Solidão e isolamento social: maior risco de quedas em idosos?

Tempo de Leitura: 2 minutos

Morar com outra pessoa e o contato social frequente podem reduzir o risco de quedas, aliviando o estresse e permitindo que os riscos sejam identificados. 


Idosos que moram sozinhos ou sem contato social têm maior probabilidade de cair em suas casas ou de serem hospitalizadas por causa de uma queda. É o que revela um estudo publicado recentemente na revista Scientific Reports. O risco de cair faz parte de nossa vida, mas para uma pessoa com mais idade, uma queda pode muitas vezes provocar limitações corporais que antes não existiam, levando-a a depender de cuidados de outras pessoas.

O estudo foi feito por Daisy Fancourt, pesquisadora da University College London, e seus colegas, que estudaram dados de um total de 13.061 participantes com 60 anos ou mais, coletados entre 2002 e 2017 como parte da pesquisa English Longitudinal Study of Aging (ELSA). Eles analisaram dados autorreferidos sobre quedas e, quando disponíveis, registros de internações hospitalares relacionadas a uma queda. 

Daisy Fancourt é uma pesquisadora britânica, professora associada de psicobiologia e epidemiologia na University College London. Durante a pandemia de COVID-19, Fancourt estabeleceu a rede COVID Minds, com o objetivo de compreender melhor o impacto da doença coronavírus na saúde mental e bem-estar.

As quedas de idosos, objeto da pesquisa, são um grande problema de saúde pública, com mais de 50% dos participantes relatando ter sofrido uma queda durante o período do estudo, enquanto 9% tiveram uma internação hospitalar relacionada a quedas. 

Morar sozinho e ter pouco contato social, utilizados como medidas de isolamento social, foi associado pelos próprios idosos participantes a um risco maior de cair e algumas delas com necessidade de internação hospitalar em idosos. 

De acordo com dados do estudo, após levar em consideração fatores socioeconômicos e de estilo de vida, as pessoas que moram sozinhas têm 18% mais risco de relatar uma queda do que as que moram com um amigo ou familiar. Pessoas com menos contato social tinham 24% mais probabilidade de relatar uma queda e 36-42% mais probabilidade de serem hospitalizados por causa de uma queda do que aquelas com maior contato social. 

Os autores sugerem que morar com outra pessoa e o contato social frequente podem reduzir o risco de quedas, aliviando o estresse e permitindo que os riscos sejam identificados. 

No entanto, os autores recomendam a realização de mais estudos para explorar se as medidas de isolamento e distanciamento social como resultado da pandemia COVID-19 podem ter aumentado a incidência de quedas em idosos. 

Foto destaque de Mehmet Turgut Kirkgoz no Pexels


acompanhamento
https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/mini-curso-online-introducao-ao-acompanhamento-terapeutico-no-envelhecimento/

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3692 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento