Você é competente?

Exercício de autocrítica oferece uma base para avaliarmos como nossa imagem profissional está chegando aos decisores de nossa carreira: eu sou competente? 

 

Esta é uma pergunta que desconcerta a maioria dos profissionais, principalmente os mais velhos, no momento da entrevista e também na hora de falar sobre sua evolução profissional.

O que você responderia? Como pode discorrer com mais profundidade sobre essa resposta?

O conceito de competência tem uma composição que permite dar um embasamento para a sua resposta. Esse conceito tem como “nome” CHAE, de conhecimento de muitas pessoas que estudam e se aprofundam neste assunto.

Detalhando:

C – Conhecimento do assunto em questão, pois precisamos definir a área de atuação em que somos competentes;

H – Habilidade; saber fazer a atividade, produto ou serviço em que a competência estiver sendo avaliada;

A – Atitude; além de conhecer do assunto, ter a habilidade de saber fazer o trabalho, tomar a atitude de fazer o que tiver que ser feito. Saímos da teoria, com as ferramentas nas mãos, e vamos para a realização do trabalho;

Complementando a avaliação de competência, temos ainda a

E – Entrega. Com nosso Conhecimento, Habilidade e Atitude, precisamos estar atentos à entrega que vamos fazer, que deve estar alinhada com as especificações dessa entrega que precisa ser feita, de acordo com a qualidade, detalhamento, precisão e o quanto conseguimos surpreender e superar as expectativa sobre essa nossa entrega.

CHAE, nos dá uma consistente avaliação de como estamos sendo vistos pelo nosso cliente, interno ou externo.

Esse exercício de autocrítica nos oferece uma base, interessante, para avaliarmos como nossa imagem profissional está chegando aos decisores (stakeholders) de nossa carreira.

Negociação

Passando para um exemplo prático, vou usar um tema que todos os profissionais precisam, a negociação.

Você é competente em negociação? Avaliando cada componente apresentado acima:

C – Conhecimento: O quanto você já estudou sobre o assunto? Existem centenas de livros que discutem a negociação dentro de várias vertentes, considerando vendas de produtos e serviços, ideias, projetos, pedir aumento e uma infinidade de outros objetivos a serem alcançados;

H – Habilidade: mede e define como colocar em prática seu conhecimento sobre negociação, avaliando a forma de abordar o assunto, usando as ferramentas adequadas para se preparar e planejar a melhor forma de colocar o tema em prática;

A – Atitude: Ação de propor a negociação apresentando de uma forma mais direcionada para os seus objetivos. A prática da negociação vai trazer mais confiança quando esta competência for exigida de você.

E – Entrega: Avaliação dos resultados e entender se os resultados da negociação atenderam e satisfizeram ambos os lados.

Proponho esse mesmo exercício para a avaliação e identificação de competência que precisa ser trabalhada, para que você esteja mais confiante em ocupar sua posição atual.

Avalie e construa o plano de ação para que aumente determinada competência, proporcionando mais autonomia em sua atividade.

Estou à disposição!

Sucesso!

Foto de destaque de özgür özkan

 

 

José Floro Sinatura Barros

José Floro Sinatura Barros

Mestre pela Faculdade de Medicina da USP com o tema “Indicadores da qualidade de vida relacionados com o envelhecimento da força de trabalho”: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5160/tde-06062017-084959/pt-br.php; Formação em Constelação Sistêmica; Especialização em Consultoria de Carreira; Certificação Internacional de Coaching pelo ICI. Pesquisador convidado do CPET (Centro de Pesquisas sobre Envelhecimento no Trabalho); Membro dos grupos PROCAR/GEOCAR de estudos sobre desenvolvimento de carreiras FIA/FEA USP. Vivência de 12 anos como gestor de carreiras, com programas de Coaching Sistêmico, Coaching de Carreira e Coaching de Preparação para a Aposentadoria. Mantém o Blog do Floro. E-mail: jose.floro@floro.com.br.

josefloro escreveu 9 postsVeja todos os posts de josefloro