Vila dos Idosos: Moradias dignas da melhor idade serão entregues até o fim do ano

A moradia será voltada para idosos com renda de até três salários mínimos. Serão homens e mulheres com diferentes histórias de vida que terão acesso à moradia adequada e assim garantir melhor qualidade de vida e maior participação na comunidade.

 

O edifício tem quatro pavimentos e possui uma área externa composta por quadra de bocha, área verde, praça externa e espelho d’água, uma horta comunitária e quatro espaços comunitários multiuso que irão abrigar: projeções de vídeo, atividades físicas, salas para tv e jogos, um salão comunitário, que poderá ser utilizado também para festas, sala de administração e portaria. O conjunto apresenta ainda 3 pontos com hall de acesso com elevadores.

Viver bem permite viver mais, por esse motivo a Vila dos Idosos será adaptada às necessidades físicas dos futuros residentes. O empreendimento contará com moradias criteriosamente projetadas para a população de baixa renda com mais de sessenta anos. Isso implica no uso de materiais de qualidade e adaptações nas áreas comuns e privadas que facilitem a acessibilidade.

O projeto estabelece a simplificação dos acabamentos. Todas as unidades terão ventilação cruzada, que foi possível com a colocação das janelas paralelas voltadas para uma face e para o corredor externo, o que mantém os ambientes permanentemente arejados. As unidades também terão intervenções que levem em conta a forma dos objetos, como por exemplo, largura e altura dos degraus, adequação dos pisos, altura das janelas, assim como as ordenações espaciais, considerando a necessidade de um espaço físico adequado e confortável para os moradores.

Com todos esses cuidados voltados para o melhor conforto e comodidade dos futuros residentes, será possível fomentar a autonomia e independência do idoso além do limite comum.
São 145 apartamentos distribuídos em quatro pavimentos, com quitinetes de 29 m² e apartamentos com um quarto de 43 m². Do total de unidades, dezesseis quitinetes e nove apartamentos no térreo serão projetados para uso de pessoas com dificuldade de locomoção, com barras para apoio nos chuveiros, apoio para sanitário e espaço para circulação de cadeiras de rodas. Nos outros três pavimentos haverá 48 apartamentos e 72 quitinetes. O edifício terá três acessos, todos com elevadores, que tiveram um considerável peso no orçamento. No entanto, por se tratar de uma população de idosos, os elevadores são essenciais.

Os apartamentos e quitinetes serão confortáveis e arejados, o custo de cada unidade deverá ficar em torno de R$ 30 mil. O terreno da Vila dos Idosos tem dimensão de 7.361,75 m2, cuja área total construída será de 8.193 m².

A disposição da construção do edifício foi projetada de tal forma que, além de usufruir o espaço do terreno da melhor forma possível, a edificação vai envolver a Biblioteca Municipal Adelpha Figueiredo, localizada na área ao lado do terreno, deixando-a como parte central do projeto. Com a biblioteca situada no centro dos quatro pavimentos, a Vila dos Idosos passa a ter um grande diferencial. O acesso será o mesmo tanto para os moradores da Vila dos Idosos, quanto para todos os munícipes locais.

A seleção dos moradores será feita pela Sehab/Cohab-SP e os interessados deverão atender aos seguintes critérios: ter mais de 60 anos, renda de até três salários mínimos e residir há pelo menos quatro anos em São Paulo. Famílias pouco numerosas, com casais de no máximo um filho, pessoas que vivem sozinhas e pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida terão prioridades na seleção.

Uma grande preocupação da SEHAB é manter o projeto voltado para seu público alvo, os idosos. Por isso, a pós-ocupação é de extrema importância.

Na Vila dos Idosos os moradores terão garantia de moradia enquanto estiverem dentro dos requisitos pré-estabelecidos para atendimento da demanda. Do contrário, a Vila dos Idosos deixará de ser um empreendimento voltado inteiramente para idosos e passará a atender um outro público.

Por esse motivo o acompanhamento das pessoas que irão morar na Vila dos Idosos é fundamental, no sentido de não permitir que a família do idoso ocupe a vaga que seria destinada a ele e no caso de morte do morador, à demanda específica. É importante ressaltar que a Vila dos Idosos não é uma “casa de repouso”, mas sim uma alternativa de moradia para pessoas mais idosas de baixa renda.

Essa é uma forma de oferecer qualidade de vida para uma camada da população que nem sempre é priorizada. Além disso, o projeto visa à integração social e o bem estar físico e mental do idoso, não permitindo que ele seja um fardo para sua família e, ao mesmo tempo, tenha uma vida mais duradoura e agradável. Ao conviver com outras pessoas que têm interesses em comum o idoso sente-se integrado à vida social. O projeto visa justamente resgatar a qualidade de vida dessas pessoas.

Os moradores serão beneficiados através do Programa de Locação Social, desenvolvido pela Secretaria de Municipal de Habitação. Esse programa contempla a produção de unidades habitacionais novas ou a compra e reforma de edifícios para alugar às famílias de baixa renda por um valor altamente subsidiado, que seja conciliável com a remuneração do morador. Por ser Locação Social, os moradores pagarão um aluguel compatível com os seus rendimentos, em torno de 25% de um salário mínimo.

Com recursos do OGU/PEHP e do FMH, o empreendimento, que foi iniciado em novembro de 2004, deverá ser concluído no segundo semestre deste ano. Com uma localização excelente e com um fácil acesso à região central da cidade, a Vila dos Idosos trará grandes benefícios aos moradores, que além de compartilharem benefícios comuns, terão maior facilidade no acesso aos serviços públicos e de saúde.

Pari era um lugarejo de pescadores

Localizado entre os rios Tamanduateí e Tietê, formou-se em fins do século XVI o pequeno povoado de Pari. A região foi uma parte importante para o crescimento e desenvolvimento da cidade nos seus primeiros séculos, enquanto os moradores viviam basicamente da pesca.
A região do Pari é dona de uma história rara em torno do seu nome. Pari era uma cerca de taquara ou cipó, colocada entre as margens, que os índios usaram para pescar. Daí nasceu o nome do bairro.

Somente a partir de 1870, com a chegada da ferrovia à cidade é que nasceram diversos bairros operários ao longo da linha, entre eles o Pari. Nessa época tem início os comércios e as indústrias locais.

Já em meados do século XX, o Pari ficou conhecido como o “bairro doce” da cidade de São Paulo por possuir comércio intenso, muitas indústrias e fábricas de doces na região. Apesar de ser um bairro relativamente pequeno, o Pari caracteriza-se por suas ruas largas, asfaltadas e ainda algumas com vegetação. Além disso, a região conta com uma boa infra-estrutura de iluminação, redes de água e esgoto e excelente localidade com proximidade do centro da capital.

O bairro do Pari é uma excelente região para pessoas que estão em uma fase na vida que precisam, acima de tudo, viver de forma adequada e equilibrada, onde o conforto e a convivência devem ser estimulados constantemente.

Entrevista

Nancy Cavallete da Silva, diretora da Secretaria Municipal de Habitação, é responsável pela seleção dos moradores da Vila dos Idosos. Em entrevista realizada ela explica como será feita a escolha dos futuros moradores da Vila dos Idosos e como será realizado o trabalho social da pós-ocupação.

1 – As inscrições para a seleção dos moradores na Vila dos Idosos já começaram?

As inscrições para a demanda da Vila dos Idosos já foram feitas através do site da Cohab e estão encerradas. Alguns candidatos à vaga preencheram a ficha de inscrição pessoalmente no departamento responsável da Secretaria Municipal de Habitação. Outros, fizeram via Internet. As inscrições para qualquer programa habitacional podem ser feitas diariamente pelo site e o candidato opta pelo tipo de moradia que ele deseja. No caso da Vila dos Idosos a seleção das famílias terá início no mês de julho deste ano.

2 – Como foram estabelecidos os critérios para a demanda da Vila dos Idosos?

Os critérios para a demanda estão estabelecidos na Resolução do Conselho Municipal de Habitação n°17, de 22 de fevereiro de 2006. Daremos prioridade às famílias que tem renda entre 1 e 3 salários mínimos, pois o empreendimento é uma locação social. As famílias que estiverem em áreas de risco terão privilégios durante a seleção. Quanto mais idoso, mais chance de conseguir a moradia. No caso de uma família ter mais de uma pessoa com 60 anos, esta também será priorizada. Nas quitinetes, por serem menores, ficarão no máximo duas pessoas e nos apartamentos, famílias com três pessoas, lembrando que somente serão selecionadas famílias pouco numerosas. As pessoas que tiverem dificuldade de locomoção, ou melhor, pessoas com deficiência física ou necessidades especiais terão a área térrea do edifício reservada a ela. Os candidatos à vaga que residirem nas proximidades do empreendimento terão privilégios também, pois certamente a vida dessa pessoa já está estabilizada na região.

3 – Quantas pessoas já estão inscritas para a Vila dos Idosos?

São aproximadamente cinco mil inscritos. Muitos dos inscritos não estão dentro dos pré – requisitos estabelecidos na Resolução o que torna menor o número dos verdadeiros concorrentes às vagas.

4 – Quando começará o período de seleção definitiva dos moradores?

A seleção vai começar no final do mês de julho deste ano.

5 – Caso o idoso que esteja morando na Vila faleça, como será o procedimento adotado pela Sehab/Cohab? 

No caso de morte do idoso que esteja nas unidades, a família terá que deixar a moradia, pois o principal objetivo é manter o empreendimento somente com idosos. Caso contrário, o nome Vila dos Idosos perde o sentido. Se na moradia existir duas pessoas com mais de 60 anos, um casal de velhinhos, por exemplo, e apenas um deles morrer, a família continua na unidade, tendo em vista que ela continua dentro dos critérios estabelecidos para a demanda.

6 – Como evitar que a demanda mude, ou seja, que comece com idosos e depois mude e outras pessoas morem lá?

Para manter a Vila direcionada somente para idosos, além de todo o procedimento que será adotado no caso de morte do idoso, a Sehab / Cohab vai fazer um trabalho de pós-ocupação com as famílias. É um trabalho social que será desenvolvido para melhorar ainda mais as adequações dos futuros moradores com suas novas moradias. Nesse trabalho social também será trabalhada a possibilidade, no caso de morte de algum idoso, de deixar a moradia. Eles entrarão na moradia cientes de que outras famílias poderão ocupar a vaga no caso de morte do idoso.

7 – As famílias que não forem selecionadas ficarão em uma espécie de “fila de espera”?

São aproximadamente cinco mil inscritos com interesse em moradia na Vila dos Idosos. A Sehab/Cohab vai selecionar, primeiramente, quem está dentro dos pré-requisitos estabelecidos na aResolução. Depois, na ordem de prioridades para a demanda, as primeiras 145 famílias. O restante ficará aguardando possíveis vagas que serão preenchidas a partir da primeira família que está à espera.

8 – A Secretaria Municipal de Habitação tem outros projetos para atender diretamente o público idoso?

Atualmente a Secretaria Municipal de Habitação está estudando outros projetos voltados exclusivamente para idosos.

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2455 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento