Uso de medicamentos: perigos e precauções

Nenhum remédio é isento de efeitos colaterais ou, ainda, que medicamentos podem interagir com outros, causando sérios problemas de saúde.

 

Somos obrigados a fazer um check-up de medicação em todas as consultas, independentemente da especialidade, o que significa que todo médico que lhe acompanha deve rever os medicamentos que você toma“.

É o que diz a geriatra Dra. Suzanne Salamon, professora assistente na Harvard Medical School. Às vezes, as coisas mudam entre as visitas aos médicos e ajustes necessitam ser realizados. Veja a seguir o que pode ocorrer:

  1. Você toma muitos comprimidos

Estima-se que mais de um terço dos adultos mais velhos tomem cinco ou mais medicamentos entre os que são prescritos por profissionais de saúde, medicamentos adquiridos sem prescrição médica ou suplementos alimentares. Se o seu esquema de tomada de medicações é muito complicado ou confuso, aumenta o risco de você esquecer de tomar o remédio (e, como resultado, desenvolver problemas médicos), tomar um remédio em excesso (causando efeitos adversos) ou ter uma interação medicamentosa perigosa. Nestes casos, pode ser necessário subtrair uma medicação ou um suplemento.

  1. Você está sofrendo com efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais dos medicamentos, como a sonolência, podem ser atribuídos ao estilo de vida, mas, na verdade, a sua presença indica apenas que a dose de sua medicação precisa ser ajustada. Por exemplo, tomar 50 miligramas (mg) de um inibidor seletivo da recaptação da serotonina (ISRS) para depressão pode deixar você com sono o dia todo. Reduzir para 25 mg pode controlar os sintomas sem causar sonolência.

  1. Você está se auto-prescrevendo

Muitos medicamentos estão agora disponíveis no balcão da farmácia, como o anti-histamínico loratadina (Claritin). Quando você toma medicamentos sem receita médica, sem consultar seu médico, você pode estar sujeito, sem saber, à interações adversas com seus outros medicamentos e ao aparecimento de efeitos indesejados.

  1. Você acabou de sair do hospital

Se você recebeu novos medicamentos durante a sua estadia no hospital, é importante um retorno com seu médico de referência após a alta, para verificar se estes medicamentos precisam ser ajustados.

  1. Você está passando em consulta por muitos médicos

Talvez você esteja indo a vários especialistas diferentes e nem todos sabem o que os outros estão fazendo. Considere um check-up de medicamentos como parte regular da manutenção da sua saúde, a ser realizado pelo menos uma vez por ano, principalmente após cada internação. O que se aconselha: leve em uma bolsa todos os medicamentos que tem em casa. Lembre-se que é importante levar todos, pois podem ocorrer esquecimentos. Não tenha medo de fazer perguntas sobre alternativas não-medicamentosas, opções de medicamentos mais baratos, interações medicamentosas, efeitos colaterais e por que você precisa de cada medicamento. Antes de sair, peça uma lista impressa de seus medicamentos.

  1. Você não precisa mais da droga

Se você está se auto prescrevendo na farmácia ou se o seu médico lhe deu uma receita, mas não forneceu instruções claras sobre quanto tempo para tomar, você pode estar tomando uma pílula desnecessariamente. Por exemplo, alguns medicamentos, tais como os medicamentos para azia conhecidos como inibidores da bomba de prótons (omeprazol, lanzoprazol, pantoprazol, entre outros) não devem ser tomados por longo prazo e sim por um período de tempo determinado.

  1. Seus sintomas não são controlados

Seu médico pode começar com a menor dose de medicação possível, mas se você ainda estiver com sintomas, a dose pode precisar ser aumentada. Isso é comum com drogas para insuficiência cardíaca, diuréticos ou inibidores da enzima de conversão de angiotensinada (ECA). Ou se você estiver tomando medicação por um tempo e seus sintomas não forem mais controlados, isso pode indicar que sua condição piorou e que você precisa de uma dose mais forte ou de um medicamento diferente.

Referências

https://www.health.harvard.edu/staying-healthy/7-reasons-why-you-may-need-a-medication-check-up

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2787945/

 

http://www.portaledicoes.com

Maria Elisa Gonzalez Manso

Maria Elisa Gonzalez Manso

Médica e bacharel em Direito, pós-graduada em Gestão de Negócios e Serviços de Saúde e em Docência em Saúde, Mestre em Gerontologia Social e Doutora em Ciências Sociais pela PUC SP. Orientadora docente da LEPE- Liga de Estudos do Processo de Envelhecimento e professora titular do Centro Universitários São Camilo. Pesquisadora do grupo CNPq-PUC SP Saúde, Cultura e Envelhecimento. Gestora de serviços de saúde, atua como consultora nas áreas de envelhecimento, promoção da saúde e prevenção de doenças, com várias publicações nestas áreas.

maria-elisa-gonzalez-manso escreveu 15 postsVeja todos os posts de maria-elisa-gonzalez-manso