Úrsula Karsch, legado construído ao longo da história da Gerontologia

Livro recém lançado diz respeito à população 60+, pessoas idosas e ou em processo de envelhecimento, que poderão cursar com necessidades de cuidados prolongados, especialmente de familiares, e do sistema público de saúde e de assistência social.


Ousada, visionária, pioneira, humorada, afetiva e agregadora. Estas foram as principais qualidades de Úrsula Margarida Simon Karsch (21/11/1938 – 07/03/2017) lembradas durante o lançamento do livro “Envelhecimento com dependência: cuidados e cuidadores de idosos” (Portal Edições), um registro de sua obra, compartilhada com alunos e pesquisadores atentos e tocados por sua competência, dinamismo e inquietude, como pesquisadora, como professora e como cidadã, assinala Arlete Camargo de Melo Salimene, uma das organizadoras do livro, na abertura da homenagem realizada pelo professor Ademir Alves da Silva, coordenador do pós em Serviço Social da PUC-SP.

Conheci a professora Úrsula Karsch, quando entrei na PUC-SP, para editar a revista kairós e em seguida ser docente do pós em Gerontologia, final dos anos 90. Na época ela era a presidente da pró-reitoria da pós-graduação da universidade, lugar que ocupou por cerca de 12 anos. Ao sair ela se integrou ao programa de Gerontologia, onde fomos colegas por mais de uma década. Ela conhecia como ninguém as políticas e os estudos na área de saúde relacionadas ao envelhecimento. Na ocasião, vários alunos nossos orbitavam em torno dela, a partir do grupo de pesquisa Epidemiologia do Cuidador, que reunia alunos do Serviço Social e da Gerontologia, um dos grupos mais bem estruturados.

O lançamento do livro é, na realidade, a segunda homenagem in memoriam à grande professora. A primeira homenagem aconteceu em abril de 2017, também na PUC-SP, por alunos, pesquisadores, familiares e os programas de pós-graduação em Serviço Social e Gerontologia, programas em que a professora Úrsula Karsch atuava antes de sua morte.

O livro reúne artigos de 12 autores, incluindo a própria homenageada póstuma, a professora Úrsula Karsch. Conta com a participação de autoridades no assunto e parceiros da professora na sua trajetória profissional, convidados, com os quais atuou no grupo de pesquisa Epidemiologia do Cuidador da PUC-SP, nos últimos 15 anos de sua vida na área do envelhecimento humano com dependência, como Alexandre Kalache e João Toniolo Neto, o que foi nomeado pela professora Maria Lúcia Martinelli de persistência temática acadêmica.

Na contracapa do livro, consta o depoimento registrado de kalache, o qual revela a grandeza da obra lançada:

um legado de valor inestimável na área do envelhecimento humano sob a perspectiva multifocal e interdisciplinar: saúde, políticas públicas, família e sociedade, humanismo e legislação, são alguns dos temas que se fazem presentes nesta obra”.

Alguns autores foram alunos de Úrsula Karsch, entre eles as próprias organizadoras da obra. Arlete Salimene conviveu com ela cerca de 50 anos, foi sua aluna de graduação, mestrado, doutorado e pesquisadora na área do Serviço Social; Ivone Pereira da Silva também foi sua aluna e orientanda de mestrado e a acompanhou desde a fase inicial da pesquisa, contando ao público presente a trajetória da professora, assim como relatou que tanto ela quanto Patrícia Brant produziram as primeiras pesquisas a respeito da temática de cuidadores. Bernadete de Oliveira foi sua aluna no mestrado em Gerontologia e pesquisadora; e Maria Angélica Hayar, foi aluna no mestrado e doutorado, tendo sido orientada por ela em ambos os programas.

Tanto Salimene quanto Silva falaram que a professora Úrsula Karsch formou um novo corpo de conhecimento no país, quebrando paradigmas metodológicos, mas sempre com firmeza. Foi a partir desse conhecimento pioneiro que a professora foi convidada nacional e internacionalmente a integrar projetos e assessorar políticas de cuidados.

Por isso muitos dos artigos são resultados de dissertações de mestrado e teses de doutorado que tiveram, segundo Salimene, como grande questão o seguinte: “como lidar com uma população que envelhece rapidamente mas que pode manter-se longeva com sequelas incapacitantes?”.

Tema nada fácil de ser tratado por pesquisadoras jovens. Maria Angélica Hayar lembrou com carinho como a professora Úrsula Karsch acolhia os alunos, percebendo o melhor de cada aluno, incluindo, fazendo com que todos fizessem parte, talvez por isso o espírito do grupo presente hoje seja resultado desse acolhimento.

Salimene, em sua homenagem póstuma à professora Úrsula Karsch, carinhosamente chamada de Ula, declarou que “muitas questões ainda não são suficientemente respondidas e outras estarão por vir. Cabe-nos a continuidade do pensar, agir e da sensibilidade científica e humanística da querida professora, enquanto detentora de um legado construído ao longo de sua história, da sua trajetória pessoal e profissional”.

Lembrou que em 2003, Ula já dizia que a realidade é por ela refletida e objeto de pesquisa e estudos, e que havia escrito o seguinte: “A transição demográfica brasileira exige novas estratégias para fazer frente ao aumento exponencial do número de idosos potencialmente dependentes, com baixo nível socioeconômico, consumidores de uma parcela desproporcional de recursos da saúde destinada ao financiamento de leitos de longa permanência… Portanto o envelhecimento com dependência e a inerente figura do cuidador familiar estão a exigir novas formas de assistência e novos enfoques por parte das políticas públicas de saúde e outras, considerando questões de estrutura e de conjuntura da sociedade brasileira…”, questões que continuam atuais, ainda desafio.

Para a professora Martinelli, Úrsula Karsch foi uma mulher que esteve à frente de seu tempo, muito cosmopolita. Lembrou que o cuidador nasce no processo, e no Brasil é marcado pelo gênero feminino. Disse que é muito oneroso ser cuidador, desde a década de 90 quando teve início os estudos, até hoje, e que há muita desproteção social. Segundo ela, o livro “Envelhecimento com dependência: cuidados e cuidadores de idosos” (Portal Edições, 2019), é uma homenagem que fica para as gerações.

Com certeza as gerações ali presentes, desde amiga de infância, filhos (Thomas e Corina), neta, amigos mais próximos que a acompanharam em sua trajetória (Toniolo e José Carlos Seixas), irmão, colegas dos programas de pós-graduação em Serviço Social e Gerontologia, ex alunos, pesquisadores, seremos testemunhas do que foi feito. E como disse seu querido amigo Seixas, “Úrsula Karsch nos deixou mas ela vai continuando, está aí”.

Serviço
Livro “Envelhecimento com dependência: cuidados e cuidadores de idosos”
Organizadoras: Arlete Camargo de Melo Salimene, Bernadete de Oliveira e Maria Angélica Schlickmann Pereira Hayar
Ano: 2019
Editora: Portal Edições
vendas: online


Inscrições: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/curso-luto-e-sofrimento/

Beltrina Côrte

Beltrina Côrte

Jornalista, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós.doc em Ciências da Comunicação pela USP. É docente da PUC-SP. Coordena o grupo de pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação. CEO do Portal do Envelhecimento, Portal Edições e Espaço Longeviver. Integrou o banco de avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – Basis/Inep/MEC até 2018. Integra a Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (Redip) e a Red Iberoamericana Interdisciplinar de Investigación en Envejecimiento y Sociedad (RIIIES). E-mail: beltrinac@gmail.com

beltrinacorte escreveu 32 postsVeja todos os posts de beltrinacorte