“Um Lindo Dia na Vizinhança” fala sobre perdão, aceitação e reconciliação

Tempo de Leitura: 4 minutos

Filme trata de sentimentos como a solidão, o rancor e o perdão, trazendo a bondade, tão em falta nestes tempos, como pano de fundo.


Um Lindo Dia na Vizinhança, nome bizarro para um filme, mas, por ter Tom Hanks como âncora, resolvi dar uma olhada e estou aqui para sugerir a todos vocês, vale a pena passar uma horinha na companhia deste grande ator. Tom Hanks encarna aqui o papel de Mister Rogers, um apresentador de programa infantil que fez muito sucesso nos anos 60, aposenta, mas retorna nos anos 90 porque descobre que tem ainda muitas coisas para conversar com as crianças. Quais coisas seriam estas? Morte, divórcio, raiva, perdão, solidão etc. Vejam se isso é assunto para um programa infantil. Mas atenção, você, ao se decidir por este filme estará fazendo parte de um episódio muito especial que vai falar sobre… Raiva.

Sim, todos nós sentimos raiva, eu, quando estou com raiva, com muita raiva, nado de braçadas por horas ou toco bem forte as teclas graves do meu pianão, assim: booooom.

Mister Rogers é didático e muito simpático, afinal, é um programa para crianças. Tenha sempre isto em mente e neste episódio o convidado especial é mais um amigo do Senhor Rogers que ele fotografa e nos mostra na sua galeria de janelinhas como faz Raul Gil.

Comparar Mister Rogers a Raul Gil é sacanagem, não tiro o chapéu, mas tiro para Ronnie Von. Tom Hanks, aos 63 anos, o filme é de 2019, lembra mais Ronnie Von que fez sucesso nos anos 60 como cantor de modinhas e, a exemplo de Mister Rogers, retorna no início dos anos 2000 como apresentador de TV por acreditar ter mais coisas para falar com seu público.

Chega de viajar, vamos ao filme para ninguém ficar com raiva. Ah, lembrei, o episódio em questão é sobre raiva e quem está com raiva é o novo amigo de Mister Rogers, o jornalista da prestigiada revista Esquire, Lloyd Vogel (Matthew Rhys), que na foto aparece com o nariz esbofeteado.

Você sabe como é feito uma revista? Quer aprender comigo? Lembro novamente que se trata de um programa infantil e você está dentro de um episódio, portanto, tem essa pegada de mostrar como é feito isso e aquilo, e o tempo todo – ou quase – você é transportado para dentro do estúdio, na real, para os bastidores do programa, e assistirá de forma privilegiada a montagem do episódio sobre raiva, briga, perdão, aceitação e reconciliação. Ufa, é um programa infantil para toda a família, não?

A raiva de Vogel é uma história paralela que se cruzará com a de Mister Rogers e resultará no episódio em questão. Vogel é chamado para dar cabo de uma pauta que o desagrada muito: traçar o perfil de Mister Rogers. O famoso jornalista se recusa, você não me contratou para escrever sobre um adulto que conversa com bonecos. Você está aqui para fazer o que eu mandar. Vogel parte para a entrevista com mais raiva ainda.

Mas por que tanta raiva, Vogel? Será que é por que seu pai o abandonou quando você tinha apenas cinco aninhos? E agora ele volta, convidado por sua irmã, para entrar com ela na igreja. Você não vai arrumar confusão no dia do casamento da sua irmã, vai? Quer me contar quem socou seu nariz e por quê?

Não sei se vocês repararam, Vogel vai entrevistar Mister Rogers e acaba sendo entrevistado. Isso o deixa mais furioso ainda, com raiva mesmo. Tem mais, a mulher de Vogel cresceu assistindo ao programa de Mister Rogers, é sua fã, e acaba de dar à luz um lindo bebê, anda sensível demais e não quer saber de confusão, só de perdão, está farta da raiva do marido e só espera duas coisas dele, que aceite o pai para que o filho tenha um avô e não seja ácido em suas críticas em relação ao seu ídolo de infância, Mister Rogers.

Temos aqui o molho da salada e todos os ingredientes para passarmos bons momentos ao lado de Tom Hanks e seus bonecos, o Rei Sexta-Feira 13 e o leãozinho tímido que encanta as crianças com seus questionamentos. As passagens são uma atração a parte, pois são imagens de uma maquete gigante de uma cidade na qual todos os dias são lindos e a vizinhança vive feliz.

Prepare seu coração, pois o pai de Vogel não se preparou e teve um ataque cardíaco. Mister Rogers o visita e faz um pedido muito especial: reze por mim. Vogel não entende: não seria o contrário? Não, explica Mister Rogers, quem está morrendo está mais perto de Deus.

Vejam se isso é conversa para um programa infantil, mas é o que temos para hoje, até amanhã com mais um episódio de Mister Rogers’ Neighborhood, vamos cantar?

Sinopse
O filme Um Lindo Dia na Vizinhança, direção de Marielle Heller, tem Fred Rogers (Tom Hanks) como o criador do Mister Rogers’ Neighborhood, um programa infantil de TV muito popular na década de 1960, nos Estados Unidos. Em 1998, Tom Junod (Matthew Rhys), até então um cínico jornalista investigativo, aceitou escrever o perfil de Rogers para a revista Esquire. Durante as entrevistas para a matéria, Junod mudou não só sua visão em relação ao seu entrevistado como também sua visão de mundo, a começar sobre o perdão, iniciando uma inspiradora amizade com o apresentador.

Mário Lucena

Mário Lucena

Jornalista, bacharel em Psicologia e editor da Portal Edições, editora do Portal do Envelhecimento. Conheça os livros editados por Mário Lucena.

mariolucena escreveu 63 postsVeja todos os posts de mariolucena