Tecnologias e idosos

Tempo de Leitura: 2 minutos

“Quando chegamos aos 50 anos, deixamos de fazer coisas simples, porém de grande importância, como estímulo de memória na prevenção dos processos demenciais”. Escreve Sandra Almeida em seu blog (Acesse Aqui), criado para que pessoas interessadas no tema tivessem oportunidade em discutir a importância do estímulo cognitivo, mediado por computador. Segundo Sandra, “vivemos em um mundo conturbado, nosso fazer é automático. Com o passar do tempo temos que refletir mais nossos atos, nos divertir mais, e viver intensamente. Um autor que não identifiquei ainda diz assim: ‘Eu não ensino, nem mando, ensinando sai cópia, mandando sai escravo, eu transmito o meu espírito’”. Para ela é assim que temos que viver.


Sandra Almeida é autora do livro Jogos e Brinquedos: Uma Proposta da Terapia Ocupacional com pacientes em declínio cognitivo, lançado na ALADEFE em 2011, em Coimbra-Portugal, livro que ensina como devemos estimular a memória através de jogos e brinquedos de forma simples e acessível.

Em seu blog ela escreveu sobre os benefícios das novas tecnologias para o idoso, a partir de uma experiência que teve com idosos em declínio cognitivo – um momento em que se encontra comprometido o sistema de memorização, interferindo na atenção, concentração e interação com ambiente, família e a sociedade -, através de um programa de tratamento usando o computador. De acordo com ela, “é um momento de grande importância quando nos referimos ao valor das novas tecnologias, e os benefícios que podem somar ao dia a dia não só dos jovens, como adultos e idosos”. Para ela, o uso das novas tecnologias busca retardar os acontecimentos presentes nos processos demenciais. As atividades realizadas no computador estimulam a reflexão, a capacidade motora fina, capacidade viso-motora, linguagem, atenção e concentração, aspectos que levam ao ajuste de memória e a interação sócio-familiar.

Relato de Experiência

Sandra Almeida reconhece que não é uma tarefa, especialmente para os pacientes de 60 a 90 anos. Ela explica que nos dias atuais o computador é uma ferramenta de trabalho, o que não era comum há 50 anos, época em que as pessoas que hoje estão nessa faixa etária faziam parte da população economicamente ativa.

Ela lembra que na época se usava a máquina de escrever para elaborar documentos. Os idosos que no passado tiveram uma interação com a máquina de datilografia, apresentam uma maior aceitação em realizar atividades mediadas por computador, apresentam facilidade em digitar, poucos erros de digitação, e em muitos momentos mantêm um diálogo sobre episódios de trabalhos, relatam histórias do tempo em que faziam parte do mercado de trabalho, melhora a autoestima, e se comportam como se a atividade fizesse parte de um novo trabalho.

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3825 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento