Sexualidade na velhice: novas formas de relacionamento

Tempo de Leitura: 3 minutos

Uma visão limitada em relação à sexualidade e à velhice classifica esta fase da vida como um período de assexualidade e de renúncias. No entanto, vários estudos indicam que uma parte considerável dos idosos tem vida sexual, mesmo enfrentando dificuldades físicas, sociais e psicológicas.


Tenho 75 anos sou viúva há dez e fui feliz com meu marido durante 30 anos. Atualmente, tenho um namorado de 80 anos solteiro. Nos conhecemos nos eventos do clube que somos sócios e estamos namorando há 2 anos. Tenho apenas um filho casado com 2 netos que moram em Miami. Devido a distância tenho contato com minha família geralmente na época do Natal e nas férias quando eles vêm ao Brasil. Eu o apresento para minha família como um amigo do clube, pois temo pelo preconceito de meus familiares.”


A sexualidade na terceira idade é o tema do filme nacional “Antes que eu me esqueça”, estrelado por José de Abreu. Narra a vida de um soberbo juiz aposentado, 80 anos de idade, que vive sozinho e decide investir seus fundos numa boate de striptease em Copacabana para que os velhos pudessem ter outras formas de relacionamento sexual.

Em declarações à imprensa brasileira, José de Abreu comentou que “Embora ele [personagem juiz] não consiga mais ter relação sexual, ele tem contato físico com mulheres … Não de resolver o problema da libido, mas de uma maneira lúdica, de tentar aproveitar os últimos momentos de vida”.

A importância e o interesse pelo sexo na velhice são um reflexo de toda uma vida e de toda a estória de cada um, como já dizia Butler em 1985. A velhice e o envelhecimento são realidades heterogêneas, não podemos afirmar que todos os idosos são iguais, nem mesmo em relação ao sexo.

Uma visão limitada em relação à sexualidade e à velhice classifica esta fase da vida como um período de assexualidade e de renúncias. No entanto, vários estudos sugerem que uma parte considerável dos idosos tem vida sexual, malgrado possam enfrentar dificuldades físicas, sociais e psicológicas, como assinalam Wanget e colaboradores (2015).

Na atualidade, no Brasil, existe urgência em se falar sobre sexualidade numa sociedade que envelhece e que a cada dia sente necessidade de companhia, carinho e afeto. De acordo com Falcão (2015), em nosso país ainda há muita resistência a esse tema em pleno século XXI, pois ainda existe tamanha diversidade e preconceitos que inibem e escondem as novas relações amorosas e o recasamento na velhice.

Nos meus atendimentos em psicogerontologia com adultos e idosos esclareço a importância dos relacionamentos afetivos e os de amizade, não só de companheirismo, mas de relações afetivas e íntimas, pois vários estudos comprovam que a qualidade dos relacionamentos influi de forma positiva no envelhecimento.

As construções de relações amorosas e sexuais se apresentam de forma mais democráticas e flexíveis, apesar da sociedade ainda demonstrar preconceito e dificuldades em aceitar que as pessoas idosas se relacionem sexualmente com seus pares românticos.

A minha participação como apresentadora de uma mesa sobre “Amor e Sexo na Terceira Idade” no 11º Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, em São Paulo, me evidenciou o grande interesse de geriatras e gerontólogos sobre esse tema tão importante e significativo para uma velhice prazerosa. 

O amor é uma fonte de vínculos entre humanos e na velhice gostar e amar alguém faz toda a diferença!

Referências

Butler, R. N.; Lewis, M. I. (1985). “Sexo e Amor na Terceira Idade. Ed. Summus.

Falcão, DVS; Matsumoto C., Boroni, C.; Borges, V. (2015). As relações amorosas entre casais jovens, adultos de meia-idade, e idosos (relatório de pesquisa /2015.São Paulo; USP.

Wanget, V. et al. (2015). Sexual Health in later life and function in life in older adults. Geriart Psychiatric, 2015.

Foto destaque: José de Abreu em cena do filme ‘Antes que eu me esqueça’. Divulgação 


Este workshop ministrado por Karen Harari no Espaço Longeviver tratará das diversas velhices, diversas sexualidades. Um olhar através das artes e da literatura. Um convite ao pensamento sobre a sexualidade na velhice através do olhar que as artes e a literatura nos fornecem. Inscrições abertas: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/workshop-sexualidade/

Eliana Novaes Procopio de Araujo

Eliana Novaes Procopio de Araujo

Psicóloga, mestre em Gerontologia pela PUC-SP, especialista em Gerontologia pela SBGG e doutoranda em Ciências da Saúde na Faculdade de Saúde Pública da USP. E-mail: eliananovaespa@hotmail.com

eliananovaes escreveu 18 postsVeja todos os posts de eliananovaes