Sexo, amor e afeto…para todos

Tempo de Leitura: 4 minutos

Impressiona constatar que ainda em nossos tempos, a homossexualidade seja considerada tabu por muitas pessoas que se dizem “abertas” e que “orgulhosamente” afirmam aos quatro cantos “que toda forma de amor vale a pena” – lembrando a música de Caetano Veloso.


É, chegamos a conclusão que para “os outros” pode até ser, mas quando se trata de alguém próximo ou da família, a estranheza e o preconceito tomam lugar e viram protagonistas das histórias.

Felizmente existem pessoas que ousam, rompem barreiras (algumas intransponíveis) e se libertam das amarras impostas pela sociedade e até pelo governo.

É o que vemos na história do casal de idosos chineses e gays. Eles se casaram no dia 30/01/2013, e mostraram ao mundo que não há limite de idade para o amor. A matéria foi noticiada pelo “The Sun” e no Brasil pelo site “O DIA”.

Ambos com 60 anos, eles decidiram transmitir a cerimônia em tempo real por uma rede social semelhante ao Twitter.

A cerimônia contou com a presença de amigos e familiares que assistiram ao casal – apelidado de “pequeno tesouro” e “grande tesouro” – trocarem as alianças. Apenas um fato deixou a festa um tanto quanto triste para os noivos. O filho de um deles não compareceu ao evento por não concordar com o casamento.

Novamente, as pessoas são livres para aceitarem ou não uma determinada situação. Como criticar a posição desse filho?

A matéria, de forma sutil, também dá um tom um tanto “zombeteiro, até jocoso” quando utiliza o termo “pombinhos” para se referir ao casal que “se conheceu quando um deles, que é entregador de água, foi levar um garrafão na casa do outro, um professor de história aposentado”.

É fundamental lembrar que na China, a homossexualidade é um tema tabu, embora, segundo estimativas, existam cerca de 30 milhões de gays no país. Como a lei chinesa não permite uma união homoafetiva, a cerimônia dos idosos foi simplesmente um compromisso privado de união.

“Nós estamos determinados a não abandonar um ao outro, a não ser que um de nós venha a morrer. Vamos lutar pelo nosso amor, não importa quão difícil ou doloroso seja”, afirmaram os dois homens.

Como bem disse um ativista do Centro LGBT de Pequim: “eles têm uma coragem extraordinária, ainda mais no contexto da cultura chinesa. É difícil até para jovens homossexuais chineses expressarem abertamente sua orientação sexual”, afirmou.

Casa de repouso contrata prostitutas

Outra reportagem que chama atenção pelas mesmas questões apontadas acima vem do site da BBC “Casa de repouso causa polêmica na Inglaterra ao contratar prostitutas”. A matéria diz que o uso dos serviços de profissionais do sexo tem sido adotado há vários anos pela casa de repouso de Chaseley, em um distrito de Essex. A maior parte dos residentes é formada por ex-funcionários públicos deficientes.

A polêmica veio à tona após declarações de um porta-voz do Conselho de Eastbourne (equivalente à uma espécie de câmara distrital), que descreveu a prática como inapropriada em entrevista ao jornal The Times.

O porta-voz, que não foi identificado, disse que a contratação de prostitutas para prestar serviços de ordem sexual coloca “os residentes sob risco de exploração e abuso”.

Procurado pela BBC Brasil, o conselho disse que está investigando o caso e que não fará mais declarações sobre o assunto até a conclusão da análise. A casa de repouso também não quis comentar o caso.

Em entrevista à BBC Brasil, a porta-voz da ONG Outsiders, que defende a contratação de profissionais do sexo para prestar serviços a deficientes, disse que a casa de repouso procurou a organização em 2006, interessada na época em adotar a prática.

Tuppy Owens afirma que a ex-diretora da casa de repouso, Elena Barrow, mostrou-se satisfeita com a experiência e relatou resultados positivos, meses após a adoção da prática. Borrow está afastada da instituição por motivos de saúde.

Owens defende a iniciativa da casa de repouso, diz que a medida não é ilegal e critica o que chama de “discussão sem sentido” em torno do caso.

“Não há necessariamente um ato sexual. Muitas vezes, há apenas um abraço para quem precisa de compaixão”, afima Owens. “O objetivo é mostrar que essas pessoas têm um corpo que pode ser sexual. E esse trabalho aumenta a confiança dessas pessoas, além de oferecer algum tipo de alívio sexual”.

Sim, um corpo que respira, que vive e tem desejo de afeto, de carinho e porque não dizer “de um toque”.

Referências

BBC (2013). Casa de repouso causa polêmica na Inglaterra ao contratar prostitutas. Disponível Aqui. Acesso em 01/02/2013.

O DIA (2013). Idosos gays chineses se casam e mostram que não existe idade para amar. Disponível Aqui. Acesso em 01/02/2013.

WETZEL, F. (2013). Elderly gay couple marry in China – with ‘bride’ in a big white dress. Disponível Aqui. Acesso em 01/02/2013.

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3787 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento