Saúde mental em tempos de coronavírus

Tempo de Leitura: 3 minutos

As repercussões em nossa saúde mental, neste momento de coronavírus, se dão devido ao sentimento de incerteza frente ao futuro, quando a quarentena irá acabar, quando retornaremos à normalidade da vida, como ficarão as minhas finanças… Situações que acabam gerando um estado de alerta constante.


O momento que estamos vivendo frente ao coronavírus é muito crítico, não só no Brasil, mas em todo mundo. Vive-se, hoje, uma pandemia sem precedentes e que tem afetado a saúde mental de todos nós, impreterivelmente. Neste momento duas situações nos são postas. Uma de uma magnitude macro, a qual não temos o controle, que seria sobre o vírus, a forma que ele se alastra, as decisões dos governantes, etc. E a outra de magnitude micro, que diz respeito a mim e aquilo que eu posso controlar, ou seja, a minha forma de enfrentar a situação. Ficando assim um chamado para cada um olhar para dentro de si, se escutar e reconhecer quais sentimentos estão emergindo neste momento, na tentativa de encontrar recursos adaptativos de enfrentamento.

As repercussões psíquicas, neste momento de coronavírus, se dão devido principalmente ao sentimento de incerteza frente ao futuro, quando a quarentena irá acabar, quando retornaremos à normalidade da vida, como ficarão as minhas finanças. Medo de contrair o vírus, de transmitir aos familiares, preocupação excessiva com os sintomas relacionando qualquer tosse ou falta de ar ao vírus. Todas estas questões por estarem muito presentes no nosso dia-a-dia acabam gerando um estado de alerta constante, nos levando a um estresse, gerando ansiedade, insônia, irritabilidade, depressão e até, no futuro, um provável transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

A solidão é um sentimento que emerge neste momento como reflexo ao isolamento social. Este sentimento fica mais forte quando a pessoa desloca ele para uma percepção de abandono. Para algumas pessoas esta situação poderá produzir uma tristeza em excesso, o que também pode ser potencializada por traços depressivos pré-existentes.

Se faz necessário, neste momento, que cada um de nós fique atento aos sentimentos e emoções que estão emergindo, reconhecendo se possui disponível recursos de enfrentamento para esta situação. Caso não esteja conseguindo dar conta sozinha é recomendado que procure uma ajuda profissional. Neste momento, a maioria dos psicólogos está oferecendo seu serviço de forma online. Não fique sem ajuda. Estudos evidenciam que as pessoas que buscam auxílio psicológico no momento de crise tem uma melhor resposta no curto prazo, do que as pessoas que esperam por mais tempo para buscar este apoio.

Dicas para manter a sua saúde mental

– Importante manter uma rotina diária, pois ela é estruturante para o nosso psiquismo;

– Evitar o excesso de informações. As notícias não mudam rapidamente, a dica é escolher uma hora do dia para se informar;

– Ler um livro (muitas editoras estão disponibilizando versões em ebook);

– Assistir um bom filme;

– Escutar música;

– Realizar atividade física dentro de casa (tem muitos vídeos disponibilizados de exercícios);

– Silenciar as notificações do celular e evitar dar aquela olhadinha a todo momento;

– Utilizar a tecnologia para se aproximar das pessoas através de ligações ou vídeo chamadas;

– Se dedicar a alguma atividade que goste;

– Praticar meditação, sua prática melhora os sintomas de ansiedade, diminui o estresse, melhorando inclusive o seu sistema imunológico (tem vídeos na internet de meditação guiada, para quem ainda não é praticante);

– E, por fim, cultivar pensamentos positivos, pois os pensamentos pessimistas são os maiores responsáveis pelo nosso adoecimento psíquico.

Para as pessoas que trabalham Home Office fica a dica para manter uma rotina diária, com horário de início e final de expediente. É muito comum a pessoa, muitas vezes como uma fuga da realidade, exceder as horas. Ao contrário também pode acontecer de o trabalho não render devido as distrações e interrupções.

O que todos sabemos é que este período complicado vai passar, os sobreviventes vão seguir suas vidas. Ainda não sabemos o tempo que levará para voltarmos à normalidade, mas ela virá. E eu espero muito que toda essa crise nos toque e que possamos, todos, crescer no individual e coletivo, valorizando as coisas que realmente importam nesta vida.

Importante ressaltar que pessoas que já possuem um histórico de doença mental, seja ansiedade, depressão, pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, podem ter seus quadros agravados neste momento, por isso é preciso atenção. Pessoas que nunca tiveram nenhum sintoma podem começar a apresentar, então a dica é se escutar. Se sentir a necessidade busque auxílio profissional.

Foto destaque: Luis Dalvan


Adquira o mais recente ebook da nossa editora.

Lidiane Andreza Klein

Lidiane Andreza Klein

Psicóloga, Especialização em Neuropsicologia (UFRGS), Mestre em Psicologia e Saúde (UFCSPA) e Doutoranda em Ciências da Reabilitação (UFCSPA). Blog: https://www.lidianekleinpsicologa.com/blog. E-mail: lidiklein@msn.com

lidianeklein escreveu 10 postsVeja todos os posts de lidianeklein