Psicoterapia na Terceira Idade, sim!

A psicoterapia proporciona ao idoso um espaço para falar de seus medos e inseguranças, garantindo a tranquilidade de não ser julgado ou criticado, o que algumas vezes acontece no meio familiar. 

 

A vida é constituída por ciclos: nascimento, infância, adolescência, adultez e velhice. Cada uma destas etapas possui peculiaridades e desafios que precisam ser ultrapassados a fim de que possamos viver de forma plena e feliz. A caminhada por vezes não é fácil, mas podemos recorrer ao auxílio profissional para melhor enfrentamento das circunstâncias.

O processo de envelhecimento invariavelmente acarreta em alterações físicas, sociais, cognitivas e emocionais, sendo que cada pessoa irá vivenciar estas mudanças de forma singular. Nos aspectos físicos o corpo sofre alterações na aparência, o que para algumas pessoas é processo de difícil adaptação, pois a forma que a pessoa percebe seu corpo está intimamente ligada à sua construção de identidade. A mobilidade, agilidade, equilíbrio e metabolismo também passam a apresentar alterações. As funções sensoriais (audição, visão, tato, olfato e paladar) encontram-se diminuídas. Nos aspectos cognitivos há uma lentidão de processamento de informações, como principal característica dos efeitos do processo de envelhecimento, seguido por queixas de memória, atenção e funções executivas (capacidade de tomar decisões, resolver problemas, automonitoramento, controle inibitório).

Alterações psicológicas que tem sido frequentemente reportadas em idosos são depressão, ansiedade, isolamento social, transtornos alimentares (como anorexia ou obesidade), alcoolismo, entre outras, aliando-se a situações de estresse como luto por perda do cônjuge, ou de entes queridos, separação de filhos e netos, adoecimentos e muitas vezes até por dificuldades de aceitação das mudanças mencionadas. Tais tristezas fazem o sentido da vida ir perdendo sua forma, trazendo inúmeros prejuízos tanto para sua saúde (física e mental), como para sua qualidade de vida.

A psicoterapia pode ser uma facilitadora deste processo, auxiliando o indivíduo a uma melhor adaptação a esta nova fase da vida, fortalecendo-o para um melhor enfrentamento das suas demandas. Contribuindo para que ele compreenda as mudanças que estão ocorrendo, encontre alternativas para lidar com elas, e que possa reconhecer a sua identidade nesta nova etapa da vida. A psicoterapia proporciona e beneficia vários aspectos de saúde física e mental, sendo importante ferramenta para o processo de autoconhecimento, permitindo não só olhar-se sob novas perspectivas, mas também ressignificando acontecimentos, sentimentos, comportamentos e memórias que têm influência direta na sua qualidade de vida.

A psicoterapia também proporciona ao idoso um espaço para falar de seus medos e inseguranças, garantindo a tranquilidade de não ser julgado ou criticado, o que algumas vezes acontece no meio familiar. No decorrer do processo terapêutico esses sentimentos vão sendo elaborados e vão perdendo força, tornando-se menos angustiantes, à medida que outras perspectivas mais positivas vão sendo construídas.

Se você é idoso e se identificou com a escrita, saiba que não está sozinho e não precisa se envergonhar de buscar auxílio para melhor adaptação a esta fase, busque um psicólogo que atue com pessoas mais velhas e seja feliz! Ou se você tem um amigo ou familiar que precisa de auxílio faça sua parte e sinalize a busca pelo auxílio psicológico.

 

Lidiane Andreza Klein

Lidiane Andreza Klein

Psicóloga, Especialização em Neuropsicologia (UFRGS), Mestre em Psicologia e Saúde (UFCSPA) e Doutoranda em Ciências da Reabilitação (UFCSPA). Blog: https://www.lidianekleinpsicologa.com/blog. E-mail: lidiklein@msn.com

lidianeklein escreveu 4 postsVeja todos os posts de lidianeklein