Promoção da alegria para idosos institucionalizados

O trabalho voluntário de um grupo de jovens comemorou dois anos de atividades no mês passado, com uma festa no Abrigo do Cristo Redentor,[1] em São Gonçalo, Rio de Janeiro. O trabalho faz parte do Projeto Baguncitos, o qual visa a promoção da alegria em idosos institucionalizados e realiza um programa de visitas mensais ao asilo gonçalense Abrigo do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

Leonardo Labanca

 

Sob forte influência do médico americano Hunter Patch Adams, o grupo acredita que o riso é importante, mas deve ser buscado dentro de um contexto de interação onde o mais importante valor buscado seja a construção da amizade, de uma relação entre duas pessoas.

O projeto nasceu em 2008, sob o nome Trupe Fadas e Palhaços. Entretanto, como o grupo utiliza também outros personagens, optou por mudar o nome para Baguncitos, um nome que pode definir todos os personagens como pessoas que no momento da visita estão motivadas a bagunçar uma determinada ordem de tristeza e solidão. A trupe visitou vários asilos e abrigos infantis ao longo deste tempo, mas a partir deste ano, optou por focar o trabalho e os estudos para os idosos institucionalizados. Todos os membros são voluntários.

Para o fundador do projeto, o estudante de direito Leonardo Labanca (Leleo Palhaço), nada substitui a família, mas diante do fato de muitos idosos não receber mais visitas, este trabalho torna-se importante: “Os palhaços, temos que admitir, são intrusos. Sim, ninguém pediu, de forma voluntária, a nossa colaboração nos asilos institucionalizados. Fomos porque entendemos a nossa utilidade frente a estes abrigos. Agora, se os idosos pudessem escolher, quem eles escolheriam: a presença de familiares ou a nossa? E daí, indago outra vez: não tendo familiares, nem entes queridos, os palhaços terão espaço, certo? Sim, sim, espaço que teremos que conquistar a partir da empatia e do improviso, espaço deixado pela pessoas que, um certo dia, lhe foram especiais.”

O elenco de personagens do Projeto Baguncitos é formado por 14 voluntários, que utilizam a música, figura do palhaço e outroselementos lúdicos como mediação para a interação com os idosos: Micaelzito, Bonsai, Primeira Dama, Fadinha Clara, Leleo Palhaço, Atalaia, Arica, Mariri Clorofila, Vanzinha, Niquita Vinagrete, Croqui, Miojito, Martelo, Naninha e Leonardo Salo.

[1] Fundado em 1939, o Abrigo do Cristo Redentor é uma sociedade civil sem fins lucrativos que tem como objetivo principal assistência a pessoas idosas carentes, atualmente com capacidade para 200 idosos (leitos) oferecendo moradia e cinco refeições diárias, além de atendimento, médico, fisioterápico, psicológico e de assistência social. A instituição é dirigida atualmente por Hélio Jorge Abicalil. Acesse Aqui

Por que escolhemos o Abrigo Cristo Redentor?

Neste momento optamos por realizar visitas regulares a apenas uma instituição. Para 2011 a idéia é aumentar o número de visitas, para depois estudarmos a realização de um trabalho em mais uma instituição. O Abrigo do Cristo Redentor foi então escolhido como a casa onde a trupe (dos) Baguncitos faz suas visitas com o intuito de trazer a subversão a um possível estado de inércia e conformismo que podem habitar em instituições de longa permanência para idosos.
Falar sobre como se deu esta escolha pode ser complicado, pois na verdade o Abrigo do Cristo Redentor não escolheu o Projeto Baguncitos e nem muito menos nós tivemos a audácia de escolhê-lo. Não aconteceu uma escolha, mas sim certo encantamento, uma afinidade recíproca e verdadeira. Coube ao destino, ou seria melhor ao acaso (?), presenciar em 05 de julho de 2008 a primeira visita da então Trupe Fadas e Palhaços, hoje conhecida como Projeto Baguncitos. Foi exatamente neste primeiro contato que vários jovens, num misto de medo, insegurança e felicidade, puderam interagir pela primeira vez com estes senhores e senhoras, dando e recebendo carinho, ouvindo e contando anedotas, iniciando um laço de amizade que já completou 2 anos.

Para nós o Abrigo do Cristo Redentor é um lar de simpáticos vovôs e vovós, que estão dispostos a receber nossos afagos, carinhos e a nossa arte musical e palhaçal. Uma arte bagunceira, como somos, utilizada como um elemento de mediação para o estabelecimento de nossas relações. Uma coisa é certa: nos esforçamos ao máximo para bagunçar qualquer ordem de tristeza e solidão durante nossas visitas. Mas se engana quem pensa que fazemos caridade. Fazemos sim um trabalho de promoção da alegria e sob a ótica da promoção da saúde

Nossa interação com os residentes do Abrigo entretanto se baseia numa relação de troca, e como tal, também somos impactados pelas relações. Podemos assim dizer que a convivência com estes “professores” da vida causa um impacto muito positivo em todos nós. Bem mais do que muitos podem imaginar. Por isso, e tenho sempre dito, quando perguntarem aos membros do projeto: – mas por que vocês escolheram justamente o Abrigo do Cristo Redentor para realizarem as suas intervenções? As respostas poderão ser ouvidas em variados tons, mas sob uma única e indefinível sentença: pergunte à afinidade e ela te responderá.

O Bagunprojeto!

alegria Fadinha Clara interagindo com a saudosa atriz Dirce Migliaccio, no Retiro dos Artistas. Com seu estado de saúde bastante debilitado, Dirce viveu os últimos meses nesta cadeira de rodas. Ela tinha bastante dificuldade para se comunicar e trazia no rosto a mesma expressão.

A fragilidade da família enquanto instituição social, problemas de violência e questões sócio-econômicas como desemprego e má distribuição de renda têm levado nos últimos anos a um crescente número de idosos que passam a viver em regime de internato integral nas chamadas instituições de longa permanência para idosos. Também conhecidas como: casas de repouso, asilos, dispensários, dentre outras denominações, estes tipos de instituição se destinam a cuidar de idosos carentes ou não. Parte deles recebe visitas regulares da família, entretanto a maioria dos idosos permanece na instituição recebendo visitas apenas eventuais, ou mesmo sem receber a visita da família.

Estimativas do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada afirmam que aproximadamente 30% dos idosos são dependentes, pois necessitam de auxílio para realizar as atividades básicas de suas rotinas diárias, sendo que apenas 40% dos idosos podem ser considerados totalmente independentes neste sentido. Também não são raros os problemas mentais, de locomoção, doenças próprias da velhice, depressão, angústia, solidão, diabetes enauanto problemas enfrentados pelos idosos.

Ainda segundo o IPEA, existem de 6 mil instituições de longa permanência para idosos no Brasil, onde vivem cerca de 100 mil idosos, a maioria do sexo feminino. A maior parte é de filantropia e/ou está ligada a religião, sendo grande a dependência do governo e de voluntariado e doações.

Boa parte dos idosos asilados não recebem visitas regulares, sendo que alguns deles nunca as recebe. Acreditamos na ligação entre bem estar subjetivo e saúde física, entendemos assim que sentimentos de angustia e solidão podem potencializar ou mesmo criar problemas de saúde física para os idosos. Neste sentido, fazemos um programa de visitas, onde a proposta é levarmos carinho afeto e atenção.

Acreditamos no poder do riso, entretanto, entendemos que o riso deve fazer parte de um contexto de amizade, um encontro entre duas pessoas, o riso para nós é um dos fatores que compõem um estado de alegria, mas o riso por si só pode ser triste, sarcástico, ou de desespero. O sentimento de alegria que buscamos está ligado à carinho, amizade, afeto, compaixão, atenção e respeito.

Maiores informações

E-mail: baguncitos@gmail.com ou no site Acesse Aqui

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2559 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento