Pesquisa revela que nos EUA idosos aderem cada vez mais à tecnologia

Até o ano de 2030, quase 132 milhões de americanos com 50 anos ou mais gastarão mais de US $ 84 bilhões por ano em produtos de tecnologia, indica pesquisa realizada nos Estados Unidos.

Brittne Nelson Kakulla (*)


Mais de 55 milhões de americanos com mais de 50 anos estão interessados em tecnologia que pode enriquecer ou facilitar suas vidas, especialmente aquela relacionada a direção e carros: 1 em cada 4 considera a tecnologia avançada de assistência ao motorista importante. É o que revela uma pesquisa com 1.546 americanos com 50 anos ou mais, ponderados para dados demográficos, usando o Painel de Conhecimento da empresa de pesquisa de mercado global Ipsos. A pesquisa, intitulada 2019 Tech Trends and the 50+, de apenas 15 minutos, foi realizada online no final de novembro de 2018, pela AARP, uma organização sem fins lucrativos, fundada nos Estados Unidos por Ethel Percy Andrus, Leonard Davis, uma das maiores associações que agrega aposentados no mundo.

Os resultados da pesquisa apontam que os idosos americanos têm, no futuro, grande interesse de compra de veículos com recursos tecnológicos avançados, como estacionamento automático, frenagem de emergência, detecção de mudança de faixa e prevenção de colisões. Hoje, a tecnologia já é parte central de suas vidas, e a pesquisa indica que a conexão com seus dispositivos cresça. Até o ano de 2030, quase 132 milhões de americanos com 50 anos ou mais gastarão mais de US $ 84 bilhões por ano em produtos de tecnologia, indica a pesquisa realizada.

Hoje, 91% das pessoas com mais de 50 anos relatam usar um computador e 94% dizem que a tecnologia as ajuda a manter contato com amigos e familiares. E, notavelmente, a suposição de que indivíduos mais velhos confiam menos em tecnologia do que as demais gerações, pode ser cada vez mais imprecisa. Mais de 80% dos norte-americanos com idades entre 50 e 64 anos têm smartphones, o que é quase o mesmo que a população em geral. Eles também estão gastando uma quantia considerável em presentes – muitos provavelmente focados em tecnologia – para seus netos.

Quanto à tecnologia na vida doméstica, cerca da metade dos norte-americanos mais velhos possui uma TV inteligente (definida como digital e conectada à Internet) e 9 milhões a mais planejam comprar uma dentro de um ano. A popularidade de assistentes domésticos, como Google Home ou Amazon Alexa, está crescendo. A pesquisa também constatou que quase 1 em cada 7 norte-americanos com mais de 50 anos possui um dispositivo desse tipo.

Mais do que nunca, a tecnologia está se tornando um meio para a educação e essa tendência tem implicações significativas para a aprendizagem ao longo da vida. A pesquisa mostra que 23% dos mais velhos estão adotando a aprendizagem ao longo da vida ativada pela tecnologia, tendo aulas online para obter certificados ou diplomas, além de tutoriais de instruções. Cerca de 13% dos adultos acima de 50 anos dizem usar a tecnologia de realidade virtual; embora esse número seja modesto, ele aumentou quatro pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Questões de privacidade e segurança continuam sendo uma preocupação para muitos na faixa etária mais avançada, muitos demonstraram não terem muita confiança nas instituições para manter seus dados pessoais seguros. A AARP descobriu que menos de 1 em cada 4 acham serviços online como varejistas, governo federal e provedores de serviços de telecomunicações, entre outros, confiáveis. Um dos achados da pesquisa destaca o interesse por mais educação aos adultos mais velhos sobre práticas tecnológicas seguras: quase 1 em cada 5 indica que tem pouca confiança em sua segurança online.

(*) Brittne Nelson Kakulla. 2019 Tech Trends and the 50+. Washington, DC: AARP Research, January 2019. https://doi.org/10.26419/res.00269.001. E-mail: bnelson@aarp.org. Tradução livre de Sofia Lucena.


Curso LUTO e SOFRIMENTO: Cuidar de alguém, vulnerável e adoecido é uma tarefa complexa que exige muito de quem está no papel de cuidador. A rotina de cuidados e o acúmulo de outras variadas atividades e responsabilidades do dia-a-dia pode resultar no abandono de si e na ameaça do bem-estar físico e emocional. O objetivo do curso é dar visibilidade e lugar de cuidado para estes personagens quase invisíveis que são os familiares e os profissionais que cuidam de pessoas fragilizadas.
Data: 19/10 das 9h às 17h
Local: Espaço Longeviver – Avenida Pedro Severino Junior, 366 – Sala 166 (Zona Sul de São Paulo). Metrô Conceição.
Inscrições: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/curso-luto-e-sofrimento/

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2630 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento