Pesquisa revela o Estado da Arte sobre o mercado de consumo para terceira idade no Brasil

O idoso como contínuo consumidor deveria ser incluído nos planos e projetos das empresas, assim como nos estudos de pesquisa de mercado.

 

“A população idosa aumenta em quantidade, conta com uma vida mais longa e apresenta novos hábitos e atitudes, com novos desejos e necessidades. Apresenta também participação importante na renda do país e com isso passa a ser atrativa ao mercado de consumo”. Assim começa a pesquisa de Ana Gabriela Sturzenegger Michelin, defendida em 2017, na PUC-SP.

Para Ana Gabriela, “As empresas no Brasil realizam projetos sobre este segmento de forma tímida, com um levantamento de informações e pesquisas de mercado quase inexistente sobre ele”. Segundo ela, as empresas deveriam considerar o segmento dos indivíduos com mais de 60 anos em seus planos e projetos, começando por incluí-los nos estudos de pesquisa de mercado que realizam.

Foi pensando nisso que após a defesa de sua pesquisa, Ana Gabriela Sturzenegger Michelin, que é graduada em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela FAAP (1999), com MBA em marketing pela ESPM (2015) e com 22 anos de carreira executiva, resolveu atuar (com mais conhecimento e competência) como Ceo da empresa Raízes, atuando nas áreas de pesquisa de mercado, marketing, processos de inovação e consultoria de projetos para o target 60+.

Leia a seguir a entrevista que o Portal do Envelhecimento fez com Ana Gabriela.

Gabi, a qual pergunta a tua pesquisa responde?

Procuramos saber qual é o conhecimento acadêmico existente sobre o mercado de consumo para a terceira idade e quais as lacunas de informações existentes?

Por que isso é relevante?

Para difundir o conhecimento existente e apontar áreas com necessidades de pesquisa e saber.

Faça um resumo da pesquisa

Minha pesquisa foi sobre “O Estado da Arte sobre o mercado de consumo para terceira idade no Brasil”, com base em 98 estudos acadêmicos realizados de 2006 a 2016. Seus conteúdos foram analisados, classificados, agrupados e analisados em 9 temas: Aumento da demanda, Desenvolvimento de produtos, Novas tecnologias, Serviços, Propagandas, Mídias, Uso de produtos, Direitos, Varejo/ PDV.

Quais foram as conclusões?

Com este estudo confirmamos algumas informações, entre elas:

a) Os dados sobre a dinâmica do aumento da população idosa, suas razões e consequências.

b) As mudanças de hábitos e atitudes dos idosos nesse cenário de maior expectativa de vida.

c) Os estereótipos construídos sobre o velho e a velhice, tanto os ligados à dependência e fragilidade quanto os ligados a jovialidade.

d) A importância do lugar do idoso no domicílio, principalmente nas finanças.

e) O desejo de o idoso brasileiro estar e incluir seus familiares em sua vida, passeios e diversões.

f) O idoso como contínuo consumidor, com novos hábitos e atitudes que começa a focar na busca de seu próprio bem estar, laser e prazer.

g) As empresas que começam a perceber que há fonte de negócios nesse consumidor

h) O consumidor idoso com renda, endividamento, necessidades específicas e demandas não atendidas

Quem deveria conhecer seus resultados?

Com certeza acadêmicos e executivos de negócios e de marketing.

Principais referências?

CASTRO, Gisela G. S. A vovó não é mais a vovozinha: o preconceito e a nova cara da terceira idade. Revista da ESPM. São Paulo. maio/junho 2015, p. 140-146. Disponível em: http://ic.espm.br/2015_maio_b/  Acessado em: fev. 2017.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Política. Relatório de Síntese de Indicadores Sociais – Uma análise das condições de vida da população brasileira – 2014. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv91983.pdf. Acessado em julho 201

PNAD – Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio – 2015. Disponível em http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf. Acesso em 05.07.2017.

SAMPAIO, R.F. & MANCINE, M.C. Estudos de revisão sistemática: Um guia para síntese criteriosa da evidencia cientifica. Rev. Bras. Fisioter, São Carlos, jan/fev. 2007, v.11, n. 1, p. 83-89.

TÓTORA, Silvana. Velhice: uma estática da existência. São Paulo: EDUC /FAPESP, 2015.

Pesquisa
Título: O Estado da Arte sobre o mercado de consumo para terceira idade no Brasil
Pesquisadora: Ana Gabriela Sturzenegger Michelin
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)
Programa: Mestrado em Gerontologia
Membros da Banca: Beltrina Côrte (orientadora), Gisela Castro (ESPM) e Ruth G. da Costa Lopes (PUC-SP)
Ano: 2017
URL da Pesquisa: https://tede.pucsp.br/handle/handle/20575. Ou diretamente: https://tede.pucsp.br/bitstream/handle/20575/2/Ana%20Gabriela%20Sturzenegger%20Michelin.pdf
Contato: gabi@gabimichelin.com

Foto de destaque:YIFEI CHEN

REPRINTE

REPRINTE

A Rede de Programas Interdisciplinares em Envelhecimento - REPRINTE, consolidada oficialmente em outubro de 2017, integra os programas de pós-graduação que têm como problema de pesquisa o envelhecimento, objetivando intercâmbios, compartilhamentos e fortalecimento de objetivos e/ou temáticas comuns.

reprint escreveu 3 postsVeja todos os posts de reprint