Os efeitos terapêuticos do cranberry

Quem já ouviu falar dessa frutinha vermelha chamada “cranberry” ou como foi chamada no Brasil “oxicoco”? Realmente poucas pessoas conhecem o suco da fruta e suas respectivas propriedades terapêuticas, entre elas estão: seu efeito antioxidante e o poder de combater infecções urinárias.

 

 

os-efeitos-terapeuticos-do-cranberryOs sucos de cranberry prontos para beber já podem ser encontrados nas prateleiras de algumas redes de supermercados e também em cápsulas. É uma das três frutas nativas dos Estados Unidos, ao lado do blueberry (mirtilo) e da concord grape (um tipo de uva escura), e é considerada poderosa por uma série de possíveis benefícios que traria à saúde.

Um mercador promissor

Antevendo o mercado promissor de sucos no Brasil, o empresário Edson Mazeto se lançou no negócio em janeiro de 2007. Desde então, a empresa Juxx comercializa os sucos de cranberry vendidos no Brasil.

Em entrevista concedida à jornalista Maria Lígia Mathias Pagenotto do Portal do Envelhecimento – Observatório da Longevidade Humana (OLHE) em 2010, Mazeto forneceu algumas informações sobre as propriedades terapêuticas do suco de cranberry.

 

os-efeitos-terapeuticos-do-cranberrySobre o tratamento das infecções nos rins, o empresário diz que o suco é prescrito inclusive por médicos, especialmente no caso de pessoas que sofrem de infecções recorrentes. Ele diz: “Fiz muita divulgação em congressos médicos e em sociedades especializadas em nefrologia e urologia (que tratam dos rins) explicando sobre esse poder terapêutico da fruta. Existem muitas pesquisas científicas que comprovam isso”.

Além de proteger os rins, Mazeto explica à jornalista o poder antioxidante do suco: “Ajuda a retardar o envelhecimento do organismo como um todo. Os seus efeitos antioxidantes provem da cor avermelhada.

Aspectos positivos

Edson Credidio, médico nutrólogo, clínico geral-pesquisador e doutor em Ciências de Alimentos pela Unicamp lembra que “os índios norte-americanos já usavam a fruta para prevenir e tratar doenças do trato urinário há séculos e isso sempre intrigou os cientistas que vêm estudando os potenciais benefícios do suco de cranberry para a saúde nos últimos anos”.

Ele conta que o suco combate cistites e infecções urinárias porque a fruta possui uma substância que impede a adesão das bactérias nas paredes da bexiga, em especial a Escherichia coli, maior causadora das cistites.

Entretanto, o médico alerta: “Na maioria dos casos deve-se tratar as infecções urinárias, após a realização de exame de urina e urocultura, e utilizar o cranberry na prevenção de recidivas de infecções do trato urinário”.

Aspectos à discutir

Daher Chade, urologista do Instituto do Câncer de São Paulo, tem outra opinião: “Apesar de haver estudos científicos, antigos, mostrando discreta redução na incidência de infecção urinária com o uso de cranberry, infelizmente, os mais recentes e de maior nível de evidência não comprovaram a utilidade no uso deste produto para evitar ou tratar infecção urinária, tanto em forma de suco como em cápsulas”.

Fernando Almeida, urologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), diz que pesquisas que começaram por volta de 2001 demonstraram que houve diminuição de casos de cistites recorrentes (cinco casos por ano) em mulheres que tomaram o suco. Porém, ele admite: “Os benefícios do cranberry para o trato urinário não é uma questão fechada”.

Ele cita pesquisas do Centro de Pesquisa de Evidências Científicas Cochrane que, após análise de alguns estudos mais recentes, avaliou que não há comprovações para se recomendar o uso do suco de cranberry nos tratamentos de cistite: “Eu não recomendo o produto. Além disso, não acho que seja um suco que agrade ao paladar do brasileiro e é caro, porque é importado. Talvez, ofereça algum benefício, mas seria pequeno”.

Poder antioxidante

Credidio lembra que, como as demais frutas vermelhas (morango, cereja, framboesa e mirtilo), o cranberry contém vitaminas A, C e D, além de flavonoides, fitoquímicos com poderes antioxidantes. “Ele também contém muitos polifenois que protegem o coração e reduzem o colesterol no sangue, inclusive o famoso resveratrol”, diz.

Chade concorda em partes: “Cranberry apresenta propriedades antioxidantes e, como outras ‘berries’, é conhecido por diminuir a incidência de doenças cardiovasculares e prevenir o câncer em estudos laboratoriais. Porém, não existem estudos demonstrando esta eficácia no uso clínico para tornar seu consumo uma recomendação”.

Quanto as qualidades da fruta, a nutricionista Vanessa Suzuki, da Educação Nutricional explica: “Como antioxidante, seu uso pode ser benéfico para a saúde de um modo geral, pois alguns estudos relatam que os fitoquímicos da fruta são responsáveis pela inibição da oxidação do colesterol LDL. No entanto, há necessidade de mais pesquisas para real comprovação”.

Úlcera e saúde bucal

Credidio defende outro benefício do cranberry, sua ação sobre úlceras: “As substâncias chamadas proantocianidinas, presentes na fruta, podem impedir a fixação da bactéria Helicobacter plorim, que causa gastrite e úlcera, na mucosa estomacal. Vários estudos constataram que pessoas propensas a desenvolver esse problema apresentaram melhoras ao consumir o suco de cranberry”.

Já Suzuki comenta que alguns trabalhos trazem o cranberry como eficiente somente na inibição de úlcera péptica causada por Helicabacter pylori.

Outra pesquisa citada por Credidio, publicada no “Journal of the American Dental Association” (periódico científico de odontologia) em 1998, revelou que testes in vitro com componentes isolados da fruta reverteram a adesão das bactérias da doença periodontal em 58%. O que aponta que a cranberry também previne a placa bacteriana.

“Com relação à doença periodontal, o cranberry pode inibir a colonização de bactérias periodontopatogênicas, que é uma etapa essencial para o início da doença”, afirma Suzuki.

O urologista Daher Chade diz que há pesquisas demonstrando a capacidade de formação de um biofilme protetor contra uma bactéria chamada Streptococcus: “Porém, não há evidência suficiente para uso rotineiro da fruta”.

Quantidade e contraindicações

Credidio recomenda o consumo de um copo de 200 ml de suco, uma vez ao dia, ou a ingestão de uma cápsula de 50 mg duas vezes ao dia ou, o indicado, segundo a prescrição de um médico. Já a nutricionista Vanessa Suzuki afirma que a recomendação usual diária é de 240 ml a 475 ml de suco.

Credidio alerta: “Os diabéticos também devem evitar o suco, em demasia, por conta da frutose. Seu consumo deve ser indicado somente por um especialista que acompanhe o paciente”.

Já a nutricionista enfatiza que a ingestão excessiva de cranberry pode aumentar a excreção e que pessoas que fazem uso de medicamentos como antidepressivos e analgésicos à base de morfina devem consultar um médico antes de consumir o cranberry. No caso dos diabéticos, ela afirma que seu uso não é recomendado, pois os resultados dos estudos ainda não são conclusivos.

Quanto à contraindicação, a nutricionista conta que o produto deve ser utilizado com precaução em crianças menores de dois anos, durante a gravidez e a amamentação.

“Em 2004, um alerta do Comitê de Segurança em Medicina do Reino Unido, que lida com segurança de medicamentos, aconselhou que pacientes que usam o medicamento varfarina (um anticoagulante) não devem ingerir suco de cranberry, por reações adversas. Contudo, estudos de casos e estudos pilotos realizados entre 2006 e 2008 relatam que não houve interações significantes entre o consumo de 250 ml de suco de cranberry e utilização da medicação na população em geral”, encerra Suzuki.

Como vimos existem opiniões diversas e contraditórias, mas o que fica para todos nós é que a ingestão de sucos ou cápsulas com propriedades terapêuticas deve acontecer sempre após consulta e orientação de um profissional da área da saúde.

Assim pesquisas são e serão sempre bem vindas, já que temos um mercado da longevidade que se abre para todos os segmentos. Para Edson Mazeto, “um campo de trabalho bastante promissor, pois a vida longa exige diversas demandas. E apostar em prevenção é sempre uma boa pedida, pois as pessoas querem viver muito, mas querem também ter uma vida com qualidade”.

Referências

GUARESEMIN, C. (2013). Usado por índios contra infecção urinária, “cranberry” começa a ganhar espaço no Brasil. Disponível Aqui. Acesso em 15/01/2013.

PAGENOTTO, M.L.M. (2010). Sucos para uma vida longa e saudável. Disponível Aqui. Acesso em 15/01/2013.

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2388 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento