O poder de escrever sua História de vida

Escrever sobre a sua trajetória, identificando suas contribuições para os resultados alcançados ajuda quando falamos, considerando a humildade, sobre nossas potencialidades. Por isso, tenha sua História de vida detalhada e atualizada, este pode ser seu primeiro passo para sua autobiografia.

 

Avaliando os resultados de uma pesquisa mundial recente (Brasil incluído) realizada pelo Linkedin, 78% dos entrevistados afirmam que falar sobre seu desenvolvimento e suas conquistas, além de fortalecer o ego, contribui muito no sucesso da carreira profissional. ​

Quando falamos sobre nossas conquistas revivemos os desafios enfrentados e reforçamos as habilidades que usamos para superar as dificuldades nesses processos.

No universo desta pesquisa, 45% dos entrevistados afirmaram terem vergonha de falar sobre suas próprias glórias, preferindo falar sobre as ações de sucesso dos amigos.

Constatamos essa dificuldade quando nas entrevistas em processos de recrutamento e seleção, perguntamos sobre suas principais competências e realizações. Quando exercitamos escrever nossa História de vida, colocamos os fatos ordenados, identificamos os mais relevantes e organizamos nossas ideias para podermos reforçar nossas conquistas.

Por isso exercite, escreva a sua História de vida, com todos os detalhes que se lembrar. Revise e atualize sua História de vida com frequência, até incluir todos os detalhes relevantes e continue atualizando com os novos fatos vivenciados.

​Miriam Rodrigues, professora e coordenadora da pós-graduação do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, ​ confirma que o nosso autoconhecimento é de​ fundamental ​importância ​para todos nós, seja no plano profissional, seja no plano pessoal.

​Reafirmamos que o autoconhecimento é o ponto de partida nas avaliações de como nos ​enxergamos, como ​nos sentimos, como nos realizamos e como construímos nossa ​própria​ trajetória. Facilita no entendimento de​ nossas competências, preferências e identificamos também os ​nossos pontos de melhorias que ​serão​ a base para a evolução pessoal e profissional.

“Se não refletirmos sobre nossos pontos fortes e pontos de melhorias, quem somos, do que gostamos, o que queremos e o que realizamos, fica muito difícil, por exemplo, num processo seletivo ou numa avaliação de desempenho ou mesmo em processos de nossas escolhas​, transmitir essas informações para alguém e para nós mesmos​”, comenta a professora.

​Quando temos a oportunidade de refletirmos, com calma, ​para respondermos as perguntas de quais são nossas principais competências ​(conhecimentos, habilidades, atitudes e entregas)​, recheando com exemplos práticos e vividos​, temos mais segurança na hora de nos apresentarmos. Outro ponto importante​, que demonstra maturidade e constante auto-avaliação, é responder os pontos que precisamos melhorar, indicando os movimentos que ​já ​estamos fazendo para buscar essas melhorias.

Humildade,​ ​bem dosada, ​também importa

Profissionais capazes de combinar a​s suas competências à​ humildade é visto como pessoas colaborativas, capazes de desenvolver empatia com os outros, alguém que tem maior disposição para aprender e alcançar a maturidade.

A característica da humildade permite a percepção da necessidade de aprendizado contínuo e a aproximação com as pessoas. Aprender e ensinar fazem parte das contribuições dos humildes aos ambientes.

Pessoas humildes contribuem na manutenção de um ambiente mais positivo, desfrutam e inspiram confiança entre seus pares. São pessoas que suportam melhor os momentos de pressão. “A humildade vem da consciência de construir um mundo melhor, onde haja consciência do que se produz, como se produz, do que se consome e do quanto se consome”, explica Andreia Campos, sócia-diretora da Simbiose.

A forma mais efetiva de mostrar a humildade está em dar exemplos de situações onde esta característica foi exercitada, onde foram detectadas competências e comportamentos que precisavam ser desenvolvidas e as ações para obtê-los.

Escrever sobre a trajetória e identificar suas contribuições, diretas (responsável) ou indiretas (contribuinte​) para os resultados alcançados ajuda quando falamos, considerando a humildade, sobre nossas potencialidades.

As ​oportunidades, em qualquer tempo, enfatizam muito profissionais humildes e que tenham a noção do quanto podem, e são capazes, de contribuir com os resultados.

​Tenha sua História de vida detalhada e atualizada, este pode ser seu primeiro passo para sua autobiografia.

 

 

 

José Floro Sinatura Barros

José Floro Sinatura Barros

Mestre pela Faculdade de Medicina da USP com o tema “Indicadores da qualidade de vida relacionados com o envelhecimento da força de trabalho”: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5160/tde-06062017-084959/pt-br.php; Formação em Constelação Sistêmica; Especialização em Consultoria de Carreira; Certificação Internacional de Coaching pelo ICI. Pesquisador convidado do CPET (Centro de Pesquisas sobre Envelhecimento no Trabalho); Membro dos grupos PROCAR/GEOCAR de estudos sobre desenvolvimento de carreiras FIA/FEA USP. Vivência de 12 anos como gestor de carreiras, com programas de Coaching Sistêmico, Coaching de Carreira e Coaching de Preparação para a Aposentadoria. Mantém o Blog do Floro. E-mail: jose.floro@floro.com.br.

josefloro escreveu 11 postsVeja todos os posts de josefloro