O elixir da vida longa

A busca pela eterna juventude sempre foi alvo do mais profundo desejo humano.

A história nos mostra que para “combater o envelhecimento”, os seres humanos foram capazes das lutas mais sangrentas e das proezas mais mirabolantes.

 

 

Desde Cleópatra e seus banhos com leite de cabra, todas as civilizações guardam lendas e história que falam sobre a busca pela juventude eterna. Talvez a mais conhecida delas é a fonte da juventude disseminada em toda a Europa, durante a Idade Média, e que dizia haver uma fonte da eterna juventude em algum lugar na Índia, capaz de fazer verdadeiros milagres.

Segundo a lenda, os árabes descobriram esta riqueza há muitos anos, em meio a uma aldeia, mas foram roubados pelos bárbaros. Amaldiçoados, eles sofreram um naufrágio, levando a fonte junto. Desde então, acredita-se que ela flutue pelos oceanos e que um dia, possa chegar em terra firme e nos trazer os segredos da juventude eterna.

Embora ainda não se tenha encontrado a tal fonte, nunca se esteve tão perto dela. Nos últimos 100 anos a medicina e a ciência tiveram um desempenho surpreendente na tentativa de retardar os processos ligados ao envelhecimento.

O processo de envelhecimento

O envelhecimento é causado por alterações moleculares e celulares, que resultam em alterações funcionais progressivas dos órgãos e do organismo como um todo e se torna perceptível ao final da fase reprodutiva, muito embora as alterações funcionais do organismo comecem a ocorrer muito antes.

O desenvolvimento, a reprodução e o envelhecimento são etapas naturais da vida de cada espécie, que ocorrem de forma sequencial e interdependente: o início da senescência é dependente da fase reprodutiva que, por sua vez, é dependente do desenvolvimento.

No entanto, não há uma separação rígida entre as três fases. Nas mulheres, o início da senescência é determinado pelo final da fase reprodutiva, marcado pela menopausa, por volta de 45 anos.

A velocidade das alterações das funções fisiológicas é acelerada com o aumento da idade. Assim por exemplo, num espaço de 10 anos, ocorrem maiores alterações funcionais entre 60 e 70 anos do que entre 50 e 60 anos. Há, portanto, um efeito cumulativo de alterações dos mecanismos que regulam as respostas celulares e orgânicas frente as agressões externas, levando ao desequilíbrio do organismo como um todo.

A tendência normal do organismo de manter a estabilidade interna, ajustando processos metabólicos e fisiológicos em resposta as agressões, é chamada homeostase. Quando a homeostase é perdida, a adaptabilidade do indivíduo ao estresse interno e externo decresce e a susceptibilidade à doenças aumenta.

Várias teorias foram propostas para explicar o processo do envelhecimento. Uma delas é a teoria do envelhecimento pelos radicais livres, proposta em 1954 pelo médico Denham Harman, pesquisador da Universidade de Nebraska nos EUA. Segundo Harman, o envelhecimento e as doenças degenerativas a ele associadas, resultam de alterações moleculares e lesões celulares desencadeadas por radicais livres. Essa teoria é ancorada nas inúmeras evidências científicas de que os radicais livres estão envolvidos praticamente em todas as doenças típicas da idade, como a arteriosclerose, as doenças coronárias, a catarata, o câncer, a hipertensão, as doenças neurodegenerativas e outras.

O conhecimento molecular das alterações funcionais que ocorrem com o avanço da idade é fundamental para que se possa compreender o processo do envelhecimento e definir intervenções estratégicas para aumentar a expectativa de vida e viver a fase da senescência com qualidade.

As pesquisas

Em outubro deste ano, o site do jornal O DIA, publicou uma reportagem especial assinada por Clarissa Mello que revelava novos estudos sobre o envelhecimento humano.

À época, a publicação relatou as novas pesquisas das universidades de Milão e de Pavia, na Itália, sobre as experiências realizadas com camundongos e que revelaram algo surpreendente sobre a mistura de três aminoácidos (isoleucina, leucina e valina — substâncias que formam as proteínas) que misturada à água, seria capaz de prolongar a vida, além de melhorar o condicionamento físico.

A reportagem do site trazia ainda a informação de outro estudo realizado pela Universidade de Purdue, EUA, onde afirmava que quanto mais jovem a pessoa se sente, mais ela pode viver. A pesquisa durou 10 anos e ouviu 500 pessoas com idades entre 55 e 74 anos.

Na primeira etapa, em 1995, a maioria das pessoas respondeu se sentir 12 anos mais nova do que realmente era. Segundo os especialistas, uma década depois, em 2005, as pessoas que se sentiam jovens para a própria idade tinham mais segurança sobre as suas capacidades cognitivas — ou seja, tinham a mente mais ativa.

“Se você se sente mais velho do que a sua idade cronológica, provavelmente vai experimentar várias das desvantagens associadas ao envelhecimento”, concluiu o coordenador da pesquisa, Markus Schafer.

De acordo com a psicóloga e gerontóloga da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Lígia Py, o passo fundamental para garantir qualidade de vida é conseguir usufruir dos prazeres — e até dos sofrimentos — que a vida proporciona, saber lidar melhor com o envelhecimento.

“Também é importante diferenciar solidão de isolamento. A solidão é boa, permite que a pessoa pense sobre a vida e se conheça melhor. Já o isolamento é estar fora do circuito de relações humanas, o que pode levar à depressão”, diz. Segundo Py, seja qual for a idade, é fundamental manter amizades e buscar conhecimento. “Quem para no tempo, não busca se relacionar, e nem conhecer coisas novas, pode estar mais perto da morte”, conclui.

Pouca alimentação, exercíos físicos regulares, evitar o tabagismo e o excesso de bebidas alcoólicas são recomendados, pois está comprovado cientificamente que comer pouco, mas com qualidade, aumenta a expectativa de vida. Também é fundamental “manter o cérebro ativo — seja investindo em relações humanas, ou treinando a memória e a cognição, afirma a presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia Pereira. Ela acrescenta: “Uma pessoa com mais idade pode ser mais lenta, mas isso não significa que seja incapaz. É preciso estimular o cérebro, com jogos, palavras cruzadas, leituras. O importante é não deixar que a idade faça com que a pessoa se isole.

O ideal de qualquer tratamento é que comece antes dos 30 anos, fase em que o prazo de validade hormonal vence. A partir daí, há redução gradual de massa muscular, acúmulo de gordura na barriga, menos energia e vitalidade. No entanto, buscar por uma qualidade de vida melhor é sempre válido em qualquer época da vida.

Os desafios futuros

No Brasil, estamos em meio a um processo evolutivo caracterizado por uma progressiva queda da mortalidade em todas as faixas etárias, e um conseqüente aumento da expectativa de vida da população. A análise do crescimento populacional de diferentes faixas etárias mostra que o grupo de idosos, com 60 anos ou mais, é o que mais está crescendo no país. De 1980 a 2000, o contingente entre 0-14 anos teve um aumento de 14 % enquanto o grupo de pessoas idosas cresceu 107 %.

Esses dados configuram um enorme desafio para o país em relação ao envelhecimento coletivo. É preciso investir na promoção da saúde pública, para se lograr prevenir a morte prematura e aumentar a expectativa média de vida da população para os patamares dos países desenvolvidos. Torna-se também imperativo investir na implementação de políticas públicas para propiciar condições de vida saudável e de qualidade para a população de idosos que cresce progressivamente.

A questão que se coloca hoje para toda e qualquer pesquisa em todos os níveis do conhecimento humano, seja ele científico, social ou político, não é meramente conseguir adiar o envelhecimento e aumentar o tempo de vida humana, mas sim, prolongar a duração da vida com qualidade.

E o elixir da juventude eterna? Talvez mais importante que descobrir a fórmula da juventude eterna, é ter uma vida plena, é deixar vir a beleza madura aliada à sabedoria do saber viver bem.

Fontes: Disponível Aqui / Aqui / Aqui 

Créditos de imagem: Arte: O DIA / Arte: Revista Única

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2419 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento