O diabetes e os cuidados com os pés

Tempo de Leitura: 4 minutos

O diabetes é uma doença crônica decorrente do defeito na produção e/ou ação da insulina – hormônio necessário para permitir a passagem do açúcar que se encontra no sangue para o interior das células. Quando o pâncreas não produz a insulina estamos diante do diabetes tipo 1. Este tipo de diabetes é comum em crianças, adolescentes, e de forma mais rara pode acometer o adulto jovem também.

Maria Lucoveis (*), enfermeira estomaterapeuta


Já quando o pâncreas produz a insulina, mas as células não conseguem utilizá-la de forma adequada, estamos diante do diabetes tipo 2. Este tipo de diabetes é comum em pessoas acima do peso ou obesas, sedentárias, e geralmente acima dos 40 anos de idade. Existem outros tipos de diabetes, por exemplo, o diabetes gestacional, mas estes tipos não são tão comuns. O diabetes tipo 2 é o mais comum, acometendo aproximadamente 90 a 95 % da população com diagnóstico de diabetes.

O diabetes vem crescendo de forma alarmante e com o agravante de que metade das pessoas desconhece possuir a doença. No final do ano passado, a Federação Internacional de Diabetes divulgou que 415 milhões de pessoas no mundo já haviam sido atingidas pelo diabetes. No Brasil é estimado que 14,3 milhões de pessoas tenham a doença.

O diabetes é uma doença conhecida pela capacidade de desencadear agravos no organismo quando não é tratada e controlada adequadamente. Dentre os possíveis agravos destacam-se as complicações nos pés, os quais são alvos de alterações nos vasos sanguíneos, sofrem diminuição da sensibilidade protetora e são mais susceptíveis a infecções, o que pode acarretar em feridas nos pés.

E o que fazer para evitar essas complicações? Primeiramente, é muito importante realizar o controle do nível de açúcar no sangue, pois o açúcar em níveis elevados (hiperglicemia) é o principal responsável pelo surgimento de complicações, inclusive nos pés. Além disso, a prática de atividade física e uma alimentação saudável contribuem para o tratamento e controle da doença como um todo.

Em relação aos cuidados com os pés, algumas ações simples e de baixo custo são de suma importância para a manutenção dos Pés Saudáveis, são elas:

♣ Peça a um profissional de saúde para examinar os seus pés uma vez por ano, e caso já apresente alguma alteração solicite ser examinado com mais frequência.

♣ Verifique seus pés, diariamente, em busca de algum tipo de alteração (cortes, feridas, calos, bolhas, rachaduras, fissuras, olho de peixe, micose, mudança na cor e na temperatura, entre outros). Caso perceba quaisquer alterações acima, procure o quanto antes um profissional de saúde.

♣ Se possuir restrição de movimentos que o impeçam de abaixar-se para examinar a planta dos pés e entre os dedos, utilize um espelho para facilitar a visualização.

♣ Não ande descalço, pois se você possuir diminuição ou ausência da sensibilidade nos seus pés poderá pisar em algum objeto que provoque feridas.

♣ Realize higiene regular dos pés, de preferência higienize as unhas com escova de cerdas macias, e proceda a secagem dos pés e das unhas, em especial entre os dedos, para evitar infecções.

♣ Apare suas unhas de forma reta para evitar que a unha fique encravada, as laterais salientes podem ser discretamente arredondadas. Utilize o cortador de unhas e a lixa para finalizar o acabamento. Evite o uso de tesoura ou alicates, pois se você possuir algum acometimento das vistas correrá o risco de se ferir. Se possuir dificuldades para aparar as suas unhas peça ajuda a um familiar, vizinho ou a de um profissional especializado.

♣ A pele pode tornar-se muito seca e com rachaduras, principalmente a planta dos pés, realize a lubrificação desta pele todos os dias com um hidratante que você esteja habituado a utilizar. Esta ação preserva a função de barreira da pele contra infecções. Mas, não aplique o hidratante entre os dedos.

♣ Não faça uso de talco nos pés ou dentro dos calçados porque o talco retém a umidade nos pés predispondo-os a possíveis infecções e a odores desagradáveis. Se preferir, faça uso de um talco do tipo spray.

♣ Dê preferência ao uso de meias de algodão e acolchoadas, pois permitem a transpiração da pele. Prefira cores claras para facilitar a visualização de possíveis sangramentos que possam ocorrer em seus pés por algum tipo de trauma. Não faça uso de meias com costuras internas ou externas e evite meias com o punho apertado, pois garroteiam a circulação sanguínea.

♣ Na praia ou no campo também utilize calçados, de preferência fechado, para uma melhor proteção dos seus pés. Adote também o uso do protetor solar nos pés para evitar queimaduras.

♣ A presença de calos e calosidades pode aparecer com certa frequência devido às deformidades e alterações dos pontos de pressões nos pés, caso os apresente, não utilize agentes químicos ou mecânicos para removê-los. Procure um profissional de saúde para resolução do caso.

♣ Não realize escalda pés ou uso de bolsa térmica de água quente/gelada, pois poderá sofrer queimaduras graves, caso apresente alterações na sensibilidade dos pés.

♣ Utilize calçados confortáveis, com solado rígido, de couro macio, e sem costuras internas. Aproveite para comprar os calçados ao final do dia, pois é neste período em que os pés podem apresentar-se inchados, propiciando a compra do calçado com o tamanho adequado para os pés.

♣ É importante verificar se há algum objeto estranho dentro dos calçados antes de calçá-los. Evite o uso repetido do mesmo calçado, pois é importante realizar a sua higiene periodicamente e colocá-los para arejar e secar.

♣ Se possuir deformidades nos pés, o ideal é ser avaliado por um profissional de saúde para verificar a necessidade de um calçado adequado ao formato dos seus pés, conferindo uma marcha mais segura e prevenção de futuras lesões.

(*)Maria Lucoveis, enfermeira estomaterapeuta, escreveu para 4pressnews, email: anapaula@4pressnews.com.br

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3689 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento