No mundo, população mais velha aumenta drasticamente

no-mundo-populacao-mais-velha-aumenta-drasticamenteÉ o que revela o Relatório Census Bureau (Um Mundo em Envelhecimento: 2015. O relatório examina as tendências demográficas, de saúde e socioeconômicos que acompanham o crescimento da população em envelhecimento, o que não significa necessariamente que elas estão vivendo vidas mais saudáveis. O aumento da população mais envelhecida apresenta muitas oportunidades e também vários desafios de saúde pública para as quais temos que nos preparar.

Redação NIA *

A população de pessoas mais velhas no mundo continua crescendo em um ritmo sem precedentes. Hoje, 8,5% das pessoas em todo o mundo (617 milhões) tem mais de 65 anos. De acordo com um novo relatório, chamado An Aging World: 2015 (Um mundo em envelhecimento: 2015). Esta porcentagem deverá aumentar para cerca de 17% da população do mundo em 2050 (1,6 bilhões).

“Um Mundo em Envelhecimento: 2015” foi comissionado pelo Instituto Nacional sobre Envelhecimento (NIA), parte dos Institutos Nacionais de Saúde, e produzido pelo U.S Census Bureau. O relatório examina as tendências demográficas, de saúde e socioeconômicos que acompanham o crescimento da população em envelhecimento.

“As pessoas mais velhas são uma proporção crescente de população do mundo”, disse o diretor do Instituto Nacional sobre Envelhecimento (NIA), Richard J. Hodes. Ele acrescenta: “As pessoas estão vivendo mais, mas isso não significa necessariamente que elas estão vivendo vidas mais saudáveis. O aumento da nossa população mais envelhecida apresenta muitas oportunidades e também vários desafios de saúde pública para as quais temos que nos preparar. NIA tem parceria com o Census para fornecer os melhores dados possíveis para que possamos entender melhor o rumo e implicações do envelhecimento da população “.

O Relatório contém informações detalhadas sobre a expectativa de vida, equilíbrio de gênero, saúde, mortalidade, invalidez, sistemas de cuidados de saúde, participação na força de trabalho e aposentadoria, pensões e pobreza entre os idosos em todo o mundo.

“Estamos vendo o envelhecimento da população em todos os países e em todas as partes do mundo”, disse John Haaga, diretor interino da Divisão de Pesquisa Comportamental e Social da NIA. “Muitos países na Europa e na Ásia estão em estágios mais avançados do processo, ou se movendo mais rapidamente, do que nós, nos Estados Unidos. Já que o envelhecimento da população afeta tantos aspectos da vida pública – necessidades agudas e de cuidados de saúde a longo prazo; pensões, trabalho e aposentadoria; transporte; habitação – há um grande potencial em aprender com a experiência uns dos outros “.

Destaques do relatório

A população de pessoas de mais de 65 anos da América está projetada para quase dobrar nas próximas três décadas, de 48 a 88 milhões até 2050.

• Em 2050, a expectativa de vida global está prevista aumentar quase oito anos, passando de 68,6 anos em 2015 para 76,2 anos em 2050.

• Espera-se que a população mundial dos idosos mais velhos – pessoas com 80 anos ou mais – mais do que triplique entre 2015 e 2050, crescendo de 126.500.000 até 446.600.000. A população dos mais velhos em alguns países asiáticos e latino-americanos está prevista para quadruplicar até 2050.

• As doenças não transmissíveis são a principal preocupação de saúde entre a população idosa em todo o mundo. Em países de baixa renda, muitos na África, a população mais velha enfrenta uma carga considerável de doenças não transmissíveis e transmissíveis.

• Fatores de risco – como o tabaco e o álcool, consumo insuficiente de frutas e vegetais, e baixos níveis de atividade física – contribuem direta ou indiretamente para a carga global de doenças. Mudanças nos fatores de risco foram observados, tais como um declínio no uso do tabaco em alguns países de alta renda, com a maioria dos fumantes em todo o mundo vivendo agora em países de baixa e média renda.

Saiba mais

O relatório foi preparado por Wan He e Daniel Goodkind, ambos do Centro de Programas Internacionais no Departamento de População do Census Bureau, e Paul Kowal, do Estudo da Organização Mundial da Saúde sobre Envelhecimento Global e Saúde do Adulto. Pesquisa e produção do relatório foram apoiadas no âmbito de um convênio interinstitucional com a Divisão de Pesquisa Comportamental e Social da NIA.

O Instituto Nacional sobre Envelhecimento orienta o esforço do governo federal conduzindo e apoiando pesquisas sobre envelhecimento, saúde e bem-estar dos idosos. O programa científico amplo do Instituto procura entender a natureza do envelhecimento e estender os anos saudáveis, ativos de vida. Para mais informações sobre a pesquisa, envelhecimento e saúde, visite o site Aqui

O National Institutes of Health (NIH), é uma agência de pesquisa médica do país, e inclui 27 institutos e centros e é um componente do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA. NIH é a principal agência federal conduzindo e apoiando estudos médicos básicos, clínicos e translacionais, e investiga as causas, tratamentos e curas para doenças comuns e raras. Para obter mais informações sobre o NIH e seus programas, visite Aqui

* Redação NIA. Tradução livre por Sofia Lucena. Disponível Aqui

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2406 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento