Negócio da China: terapias ilegais com células-tronco

Tempo de Leitura: 2 minutos

China vem se tornando de uns tempos para cá no país da esperança para muitos doentes do mundo inteiro – Brasil é um deles – porque muitas clínicas instaladas em grandes complexos hospitalares, como os de Pequim e Xangai prometem, via anúncios na internet, a cura da doença de Parkinson, diabetes, autismo e esclerose múltipla com uso de células-tronco, apesar da prática ser combatida pelo próprio Ministério da Saúda da China. O preço é elevadíssimo, cerca de US$ 8 mil para cada infusão das células.


Hoje, apenas algumas doenças do sangue têm a terapia com este tipo de célula comprovada cientificamente. Os demais tratamentos com células-tronco são em caráter experimental e que, para alguns casos, pode trazer mais problemas aos pacientes.

A revista “Nature”, um dos mais importantes periódicos científicos do mundo, foi quem denunciou esta prática, afirmando que o ambiente das clínicas que prometem cura está longe de ter aspecto clandestino. Cita uma delas, em Xangai, instalada em uma das áreas mais valorizadas da cidade, que vende tratamento com células-tronco do cordão umbilical ou do tecido adiposo para tratar Alzheimer, com até oito aplicações das células. Outra, na cidade de Changchun, informa ter tratado mais de 10 mil pacientes com o método. A revista diz ainda que médicos e enfermeiras também estão convencidos de que podem ajudar seus pacientes.

Em 2009 um estudo revelava que chegava a 100 o número de clínicas que faziam uso de células-tronco na China. Segundo a “Nature”, apesar do governo chinês ter adotado um pacote de ações para reprimir a prática ilegal, como decretar moratória para novas clínicas de terapia com células-tronco até o segundo semestre e proibir as existentes de cobrarem pelo tratamento, além de obrigar tais clínicas a registrarem suas atividades, métodos de pesquisa e procedência das células, não se vê resultado.

Referências

Jornal da Ciência 4475. Clínicas chinesas fazem terapias ilegais com células-tronco. Disponível Aqui. Acesso em 12/04/2012.

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3807 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento