Modalidades de atendimento ao idoso: do ambulatório ao domicílio

Tempo de Leitura: 5 minutos

O Programa de Assistência Domiciliar ao Idoso (PADI) e o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI NORTE), são serviços de atendimento ao idoso na cidade de São Paulo que valorizam a atuação profissional interdisciplinar na perspectiva de um olhar à pessoa idosa em sua totalidade, ou seja, nos diferentes aspectos que envolvem sua vida contribuindo para um atendimento mais integral.

Elizabete Saiki *

modalidades-de-atendimento-ao-idoso-do-ambulatorio-ao-domicilio

“Modalidades de atendimento ao Idoso: Do ambulatório ao Domicílio – CRINorte e PADI” foi tema de evento ocorrido na PUC-SP, com o objetivo de dar a conhecer alguns dos serviços hoje existentes aos idosos na cidade de São Paulo. O evento contou com as palestrantes Naira Dutra, assistente social e gerente do Programa de Assistência Domiciliar ao Idoso (PADI) do Departamento de Medicina/Disciplina de Geriatria e Gerontologia da UNIFESP, e Dayana Nicoletti Braga, fisioterapeuta e gerente assistencial do Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI NORTE). Ambas apresentaram o histórico, objetivo e modo de funcionamento dos serviços.

PADI

O Programa de Assistência Domiciliar ao Idoso (PADI), serviço que acaba de complementar 15 anos de existência, funciona nas dependências da UNIFESP, localizada no bairro Vila Clementino, na cidade de São Paulo. O Programa tem como objetivo a individualização e humanização do atendimento bem como promoção de acesso ao SUS, oferta de suporte à família para o enfretamento das dificuldades no cuidado à pessoa idosa, diminuição dos custos hospitalares e diminuição do número de reinternações.

O serviço funciona de segunda à sexta-feira com visitas domiciliares agendadas previamente à pessoa idosa, além de atendimentos extra-domicílio que incluem documentação para solicitação de medicamentos e dietas e atendimentos individuais para orientações tanto de questões previdenciárias e interdições como suporte aos cuidadores. Segundo Naira, apenas no ano de 2014 os profissionais realizaram 919 visitas domiciliares. Como cada pessoa idosa possui uma necessidade de cuidados diferente, primeiramente é definido com a família e/ou cuidador qual será o objetivo do atendimento, e é a partir desse objetivo que os profissionais da equipe irão planejar suas ações, sempre levando em consideração a realidade vivenciada pela família.

modalidades-de-atendimento-ao-idoso-do-ambulatorio-ao-domicilioA equipe é formada por assistente social, médico, enfermeira e residentes, além de profissionais colaboradores, como fisioterapeuta, nutricionista, fonoaudióloga, podóloga, oftalmologista e terapeuta ocupacional.

A pessoa idosa ou familiar pode procurar diretamente o serviço ou ser encaminhados por outros setores da UNIFESP (exemplo: pronto socorro, enfermaria) ou por equipes das UBS’s da região.

Para ser atendido pelo PADI é preciso: ter idade igual ou superior a 60 anos, apresentar patologia crônica, ter enfermidade e/ou condição social que impossibilite ou dificulte o seu comparecimento sistemático ao ambulatório, residir em perímetro de até 8 km da UNIFESP, ter cuidador responsável e não ser dependente de equipamentos de monitoramento e sustentação à vida.

CRI NORTE

O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI NORTE), localizado na região norte da cidade de São Paulo, é um serviço do nível de atenção secundária do SUS que completou 10 anos de funcionamento, sendo administrado pela Associação Congregação de Santa Catarina.

O serviço originou-se de um centro de convivência para idosos com sede inicial no Conjunto Hospitalar do Mandaqui. Nesse período de funcionamento do centro de convivência, notou-se o rápido crescimento da demanda e a necessidade de criação de um serviço de saúde que fosse referência no atendimento à pessoas idosas. A partir de um movimento social, denominado “Movimento dos Cabeças Brancas”, do qual faziam parte idosos que frequentavam os fóruns da região e o Conselho Estadual do Idoso, se pleiteou junto ao Governo do Estado de São Paulo a criação de um ambulatório no Conjunto Hospitalar do Mandaqui. Portanto, o CRI-Norte, diferente de muitos serviços, foi criado a partir de um movimento social.

Atualmente o serviço possui 183 colaboradores, 94 prestadores de serviço (segurança, limpeza, lavanderia), 74 médicos e 94 voluntários idosos. Os pilares de atendimento são: médico, assistencial (multiprofissional), centro de convivência, exames e programa Saúde do Homem. A Equipe de Especialidades Assistenciais é formada por: Enfermagem, Serviço Social, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Educador Físico, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional e Podologia. Além disso, é oferecido atendimento odontológico.

O CRI-Norte realiza aproximadamente 24 mil atendimentos por mês, portanto quase mil idosos são atendidos diariamente, além disso ao ano é produzido uma média de 70 mil consultas médicas e outras 70 mil consultas não médicas.

Segundo Dayana, o objetivo do CRI-Norte é prestar assistência interdisciplinar e ambulatorial à pessoa idosa por meio de prevenção, diagnóstico, terapia e aplicação de atividades no centro de convivência potencializando o envelhecimento ativo; realizar a gestão de doenças crônicas não transmissíveis propondo modelos inovadores na assistência à saúde; e contribuir na construção e fortalecimento das políticas públicas voltadas ao envelhecimento populacional. Dayana também pontuou a importância do trabalho em rede, ou seja, os diferentes serviços do sistema de saúde atuando juntos na atenção à pessoa idosa.

São critérios para atendimento: ter 60 anos ou mais, ser morador da zona norte de São Paulo e ter critérios de atendimento ambulatorial especializado.

A porta de entrada de uma pessoa hoje no SUS é a partir de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), portanto são as UBS’s da região norte que farão o encaminhamento da pessoa idosa ao CRI-Norte.

Observamos que em ambos os serviços apresentados valoriza-se a atuação profissional interdisciplinar na perspectiva de um olhar à pessoa idosa em sua totalidade, ou seja, nos diferentes aspectos que envolvem sua vida contribuindo para um atendimento mais integral.

modalidades-de-atendimento-ao-idoso-do-ambulatorio-ao-domicilioO evento “Modalidades de atendimento ao Idoso: Do ambulatório ao Domicílio – CRINorte e PADI”, realizado no dia 28 de abril, foi promovido pelo Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (NEPE), do Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia/Mestrado da PUC-SP, e coordenado pela Profª Drª Flamínia Manzano Moreira Lodovici. A organização do evento esteve a cargo das mestrandas: Ana Carla S. Nogueira de Sousa, Enizete Edna de Paula Balbino, Fernanda Maria Fávere Augusto, Francimar Felipa da Silva Costa e Sandra Fabiola E.S.Bertulucci.

O NEPE oferece todas as últimas quartas-feiras do mês eventos abertos à comunidade, das 9 às 12 horas, com temas relacionados ao nosso longeviver. Os eventos são divulgados na fanpage do Programa: Disponível Aqui

(*)Elizabete Saiki – Assistente Social e mestranda em Gerontologia Social pela PUC-SP. Agente de Defensoria – Núcleo Especializado dos Direitos do Idoso e da Pessoa com Deficiência – Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Email: [email protected]

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3806 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento