Mestrandos em Gerontologia Social implantam Centro Dia em São Paulo

Equipamento social Centro Dia é implantado na cidade de São Paulo a partir do encontro de dois profissionais, Leonice Martins Sapucaia e Cláudio Hissashi Hara, ao fazerem o mestrado em Gerontologia na PUC-SP. Do encontro, o surgimento de um negócio social. A cidade de São Paulo agradece.

Beltrina Côrte

 

mestrandos-em-gerontologia-social-implantam-centro-dia-em-sao-pauloLeonice Martins Sapucaia, enfermeira com experiência de 14 anos na área hospitalar, casada e mãe de duas meninas; e Cláudio Hissashi Hara, formado em Zootecnia pela UNESP Jaboticabal, com sólida experiência no setor de vendas e gerência de vendas, supervisão de equipes, casado e pai de uma menina, encontraram-se durante o mestrado em Gerontologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Desse encontro nasceu o mais recente Centro Dia Angels4U na cidade de São Paulo, um equipamento social urbano dirigido a pessoas acima de 60 anos em condições de fragilidade.

Na sua experiência como enfermeira, Leonice dedicou 10 anos à gestão hospitalar como supervisora, coordenadora e gerente de enfermagem. Fez Especialização em Gerontologia e Geriatria na UNIFESP-SP e Gestão nos Serviços de Saúde pelo SENAC-SP, mas sentia falta de algo mais, então acabou fazendo o mestrado em Gerontologia da PUC-SP, tendo defendido sua dissertação em fevereiro de 2015. Atualmente Leonice é diretora da empresa Angels4U, desenvolvendo o trabalho de avaliação dos idosos nas residências, elaboração do plano de cuidado individualizado e orientação do trabalho dos cuidadores domiciliares. Realiza ainda um trabalho voluntário na Missão Belém, em São Paulo, de orientação para cuidadores de idosos, tema, aliás, de sua pesquisa de mestrado.

Com carreira desenvolvida no comércio atacadista e varejista, com mais de 25 anos atuando no setor de vendas, focado em metas e resultados, Cláudio Hissashi Hara entrou para a área de Saúde Domiciliar há pouco tempo, com a empresa Angels4U. Para entender um pouco mais da área, Cláudio buscou maiores conhecimentos ingressando no mestrado em Gerontologia da PUC-SP, possibilitando-o articular teoria e prática. Essa articulação está sendo importante para ele, fazendo-o refletir sobre o atendimento no processo de seleção dos profissionais e os recursos que se devem investir na sociedade de amanhã, visando melhoria da cidadania na área da saúde no País.
A fim de conhecer um pouco mais sobre a motivação quanto ao empreendimento social, resolvemos entrevistá-los. Eis o que eles nos dizem:

mestrandos-em-gerontologia-social-implantam-centro-dia-em-sao-pauloO que levou vocês a empreender na área do envelhecimento e por que Centro Dia para idosos?
Cláudio – A grande influência em empreender nesta área se deveu ao que vivenciamos no mestrado em Gerontologia Social da PUC-SP, onde tivemos a oportunidade de pesquisar, discutir, participar de seminários e eventos ligados ao tema do envelhecimento, entendendo este como um processo natural da vida. Surgiu o desejo de empreender e oferecer serviços de qualidade com profissionais treinados e capacitados para um atendimento humanizado. Baseamos a estruturação de um Centro Dia para idosos sempre procurando resultados nas quatro palavras lema de nossa empresa recém criada: “Amar, Ajudar, Acreditar e Acompanhar”, concretizando assim um desejo de complementarmos o trabalho que já realizamos no atendimento domiciliar com nossos cuidadores de idosos. A intenção do Centro Dia é de fazermos algo mais palpável e concreto na área do envelhecimento, que nos propicie colocar em prática as diversas teorias e experiências das quais discutimos no decorrer do mestrado. Entendemos o Centro Dia como um equipamento urbano que vem atender de certa forma uma demanda da população idosa, que já representa mais de 13% do total (segundo dados do PNAD de 2013). E que necessita, com urgência, que se estruturem equipamentos destinados ao cuidado, saúde e desenvolvimento integral da pessoa idosa, tendo o sujeito como centro desse cuidado e não suas doenças, acolhendo ainda aos familiares que a cada dia se sentem mais desamparados no sentido de atender às necessidades de seus pais, tios e avós ao mesmo tempo em que precisam dar conta da vida agitada dos grandes centros urbanos.

Como se deu a sociedade?

Leonice – No mestrado temos a oportunidade de conhecer e conviver com diversos pesquisadores e profissionais, dada a característica interdisciplinar do Programa de Gerontologia Social da PUC, além de compartilhar conhecimentos e saberes de forma muito prazerosa, criando alguns laços de amizade e confiança. E a nossa sociedade aconteceu a partir de um e-mail enviado por uma professora do programa, que tinha o seguinte enunciado: “Tenho um aluno no mestrado, Claudio Hara, pessoa responsável, pai de família e bem humorado, que está buscando forças e querendo implantar um Centro Dia. Caso alguém esteja interessada em somar, o email dele vai copiado, basta entrar em contato direto com ele.” Ao receber este email me arrisquei e respondi SIM. E pensei “acho que não vai dar em nada”. Passado dez dias o Cláudio me ligou dizendo que já tinha visto um excelente imóvel para montarmos o nosso Centro Dia. A partir daquele momento as coisas foram acontecendo, muitas caminhadas para buscar informações, visitas em outros Centros Dia, levantamento de referências bibliográficas e legislações envolvendo a implantação de Centro dia.

mestrandos-em-gerontologia-social-implantam-centro-dia-em-sao-pauloAfinal, como funciona o Centro Dia?

Leonice – O Centro Dia funciona de 2ª a 6ª feira, das 7h às 19h. E, de acordo com a rotina das famílias, elas se programam para trazer e buscar o idoso, sempre conforme suas necessidades. Temos contratos de meio-período, de manhã ou à tarde, ou ainda de apenas alguns dias durante a semana. Nesse sentido, ajudamos quanto às suas rotinas diárias, como trabalho e estudo, ao mesmo tempo em que propiciamos um ambiente acolhedor e seguro à pessoa fragilizada, já que contamos com profissionais experientes e capacitados no atendimento.

Vocês recebem pessoas a partir de qual idade?

Cláudio – Atendemos pessoas idosas a partir de 60 anos, com grau de dependência I e II. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o grau de dependência I corresponde aos idosos independentes e o grau de dependência II representam aqueles que dependem de outras pessoas em até três atividades de autocuidado para a vida diária (alimentação, mobilidade, higiene) sem comprometimento cognitivo ou com alteração cognitiva controlada, tendo em vista as diversas atividades propostas. Nos primeiros contatos com a família, a partir do site ou via telefone, é agendado um encontro no Centro Dia para que a família conheça nossa metodologia, e também para termos informações sobre a pessoa idosa, em especial ao seu estado de saúde para identificarmos se ela se adequa às propostas do Centro Dia. Após este contato, com o preenchimento da ficha de inscrição, fazemos uma visita à residência da pessoa a fim de avaliar sua rotina para que possamos propiciar no Centro Dia, na medida do possível, as mesmas rotinas e hábitos que já tenha em sua residência. Toda esta análise é descrita em uma ficha de avaliação.

O que vocês oferecem no Centro Dia?

Leonice – Quando pensamos em nossas pesquisas na área do envelhecimento, nosso desejo é oferecer tudo aquilo que acreditamos ser importante ao cuidado e desenvolvimento integral do idoso, contando para isto com uma equipe multidisciplinar competente e especializada na área do envelhecimento. Deste modo, oferecemos atividades como dança, canto, artesanato, jogos, passeios, jardinagem, informática, culinária, cinema, música, sempre com o objetivo de desenvolver os aspectos físicos, sociais e cognitivos de modo a contribuir significativamente com um melhor longeviver. Oferecemos também refeições aos idosos que, além de contar com um cardápio elaborado por nutricionista com foco nas necessidades e especificidades deste público, se constitui ainda como um espaço de socialização entre eles, contribuindo para seu bem-estar.

mestrandos-em-gerontologia-social-implantam-centro-dia-em-sao-pauloVocês pretendem oferecer algo mais?

Cláudio – Além do trabalho do Centro Dia, em breve ofereceremos cursos de cuidadores de idosos, orientação aos familiares sobre a demência, cuidados e prevenções de quedas, além de palestras e cursos para a comunidade, referente aos temas ligados ao envelhecimento.

Serviço

As inscrições para o Centro Dia podem ser feitas através do site. Acesse Aqui. Telefone (11) 5062-2916 ou ainda pelo email: centrodia@angels4u.com.br

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2614 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento