Martha é cremada e suas cinzas vão para o céu

Tempo de Leitura: 5 minutos

Esta é uma das cenas mais bonitas de Poms – As Rainhas da Torcida –, filme estrelado por Diane Keaton no papel de Martha, uma mulher madura que deseja ter dignidade em seu final de vida.


Martha é uma idosa que deseja uma morte digna. Consciente que não vencerá a doença, vende tudo e se muda para uma comunidade de aposentados na Georgia. A magnífica Sun Springs mais parece um campo de golfe gigante rodeado por belas casas e com toda a infraestrutura para que seus hóspedes Vivam Felizes Pelo Resto de suas Vidas, esta é a propaganda enganosa do empreendimento.

Em busca de um lugar sossegado e cheio de paz, Martha é atraída pela proposta do Sun Springs, deixa a metrópole, mas ainda carrega com ela a pressa e o estresse tipicamente nova-iorquino. É saudada por um comitê de recepção cheio de vida, mas superficial como tudo naquele lugar que lembra mais um Projac[1].

Por que escolheu Sun Springs? Para morrer. Ah, mas antes disso você ainda pode fazer muita coisa como participar do Clube das Damas do Sul que se reúne toda semana para tomar chá etc. e tal, fazer mil atividades, caminhar, se exercitar, participar do show de talento sênior… Obrigada, só vim aqui para morrer.

Martha é sincera, só quer morrer em paz, mas descobre que morrer em paz não é tarefa fácil. Se na cidade corria o risco de ser entubada, em Sun Springs a vizinha, uma professora aposentada, fará o impossível para acabar com sua paz. 

Sheryl é uma violadora de regras do condomínio. Abriga um neto em um lugar no qual ser jovem é proibido. Esta é uma grande sacada do filme, a intergeracionalidade, surge como disputa entre velhos e jovens, mas termina em acordo no qual os dois grupos ganham e muito.

Martha quer se isolar e se desfazer de suas memórias. Leva para o retiro apenas uma mala de roupas e seus livros, mas logo na primeira noite descobre que a vizinha promove uma jogatina clandestina com apostas em dinheiro, música alta, bebida e, provavelmente, sexo. Chama a polícia e começa as desavenças com Sheryl que se tornará sua parceira e amiga.

Ser amiga de Sheryl é se colocar em rota de colisão com a maioria conservadora que zela pelas regras e boa reputação do Sun Springs. Uma das regras é que toda moradora deve se engajar em um grupo com o objetivo de se socializar. Martha, influenciada pela vizinha, resolve propor a criação de um novo grupo que eles chamam de clube. Um novo grupo precisa ter no mínimo oito membros. A proposta de Martha esbarra no preconceito dos próprios idosos que se recusam a aprovar o grupo porque o tema escolhido não é próprio para a idade. Sem contar que a atividade proposta só interessaria a putas, vadias e vagabundas. E de nada adianta Martha argumentar que aquele tipo de grupo é uma tradição e um orgulho americano. Não para velhos e fim de papo.

Martha segue em frente. Consegue oito pessoas interessadas, mas é boicotada por todos os lados até ser proibida de usar as dependências do condomínio para reunir o grupo. A amiga, que adora violar regras, propõe seguir com o grupo na clandestinidade.

Cada membro do grupo enfrenta limitações que devem superar na sua jornada pessoal em busca do elixir da vida. Uma, apesar de rica, não consegue comprar um adereço de poucos dólares porque seu dinheiro é controlado pelo filho e o filho não aprova que faça parte do grupo de vadias. Outra quer muito fazer parte, mas o marido a proíbe: só passando por cima do meu cadáver. Uma a uma emergem do fundo da caverna para a luz e, no final, alcançam o objetivo de viver feliz o resto dos seus dias. Exatamente o que promete a propaganda do condomínio que na prática faz tudo para impedir a felicidade por não respeitar os desejos dos idosos e querer impor uma felicidade cosmética que a muitos não interessa.

O filme discute o preconceito contra o idoso tanto da parte dos jovens, mas também da sociedade e das instituições, inclusive àquelas voltadas para idosos. Há uma cena em que um oficial ameaça prender a organizadora de um evento que impede a participação do grupo de Martha com o argumento que ao se inscreverem esconderam a idade e que aquele evento é só para jovens.

Mas o regulamento é claro, trata-se de um evento para maiores de 18 anos e, de acordo com nossos documentos pessoais, somos todas maiores de 18 anos. Aliás, maiores de 60, 70, 80…

Martha sabe que não tem muito tempo e quer tudo para ontem. Além de se preocupar com a vida, precisa se preocupar com a morte. Eis que vê outro anúncio bonitinho na TV. Morrer custa caro e implica em tomar muitas providências antes da partida, por que não deixar tudo nas nossas mãos? Faremos sua cremação e enviaremos suas cinzas para o céu. Sua morte será um estouro.

Uma preocupação a menos para Martha que poderá se dedicar ao seu grupo imoral que no final se transformará no maior orgulho da tradicional Comunidade de Aposentados Sun Springs. Mais um filme delicioso comandado por Diane Keaton.

Ficha técnica
Filme: Poms – As rainhas da torcida
Gênero: Comédia
Duração: 91 minutos
Classificação: 12 anos
Direção: Zara Hayes
Com: Diane Keaton, Jacki Weaver e Pam Grier
País: EUA, Reino Unido
Ano: 2019


[1] Projac, abreviatura de Projeto Jacarepaguá, nome dado antigamente ao que é hoje Estúdios Globo, denominação dada ao complexo de estúdios da Rede Globo, localizado na cidade do Rio de Janeiro. É considerado o maior complexo de produção de conteúdo televisivo da América Latina, com uma área total de 1,73 milhão de metros quadrados.


Mário Lucena

Mário Lucena

Jornalista, bacharel em Psicologia e editor da Portal Edições, editora do Portal do Envelhecimento. Conheça os livros editados por Mário Lucena.

mariolucena escreveu 56 postsVeja todos os posts de mariolucena