Mais três turmas de cuidadores de idosos são formadas pelo Programa “Cuidar é Viver” da Ong OLHE

Tempo de Leitura: 5 minutos

No Brasil, a ocupação de cuidador de idosos ainda não é uma profissão regulamentada por lei federal, no entanto está cada vez mais próximo o momento em que essa ocupação será finalmente reconhecida como profissão, pois o envelhecimento crescente da população idosa no país faz com que haja uma grande demanda por cuidadores ao mesmo tempo em que surgem iniciativas políticas na luta em prol do envelhecimento, como no caso do Projeto de Lei 4702/12 que tramita na Câmara e que visa a regulamentação do exercício da profissão de cuidadores de idosos.

Alessandra Anselmi / Texto e Fotos

 

mais-tres-turmas-de-cuidadores-de-dosos-sao-formadas-pelo-programa-cuidar-e-viver-da-ong-olheA ocupação de cuidador de idosos é uma das categorias que mais desponta nas agências de emprego paulistanas e foi pensando na grande demanda cada vez mais intensa e na falta de profissionais qualificados, não só tecnicamente mas também em relação ao processo de envelhecimento da população, que surgiu o Cuidar é Viver – um programa de apoio, formação e capacitação de Cuidadores de Idosos – uma iniciativa do OLHE- Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento, em parceria com a SUPPORT – uma empresa do Grupo Danone.

Em vista dessa necessidade, as instituições Envelhe-Ser, Associação Reciclázaro e CIP – Congregação Israelita Paulista contrataram o curso desenvolvido pelo OLHE e SUPPORT, mostrando, desta forma, a grande preocupação pelo aperfeiçoamento de cuidadores como uma forma também de valorização da pessoa idosa.

O curso

O curso de Formação de Cuidadores de Idosos tem carga horária de 100 horas, divididas em partes práticas e teóricas, com conteúdo dinâmico, lúdico e que contempla todas as informações pertinentes para a execução dessa função tão crescente hoje em dia no mercado que é o cuidador de idosos.

Entre os objetivos do curso estão a sensibilização, formação e atualização de cuidadores, transmitindo habilidades e valores focados na solidariedade humana e cidadania que possibilitam ao cuidador cuidar melhor de si, ampliando essa prática para a pessoa idosa.

Ao final do curso os alunos participam ainda de oito horas de Vivência Prática em duas instituições parceiras: A Mão Branca – Associação de Amparo aos Idosos e a ILPI CROPH – Coordenação Regional das Obras de Promoção Humana do Canindé, ambas em São Paulo.

mais-tres-turmas-de-cuidadores-de-dosos-sao-formadas-pelo-programa-cuidar-e-viver-da-ong-olheO resultado

Durante a formatura da Turma Envelhe-Ser, a formanda Geovana Renata Santos da Silva (foto), disse emocionada: “adorei o curso. Foi uma experiência inesquecível. Sou auxiliar de enfermagem e já trabalhei com idosos mas nunca tinha feito curso de cuidador, então surgiu essa oportunidade e eu não pude perder. Gostei de todas as aulas, os professores são maravilhosos e para mim o que mais ficou registrado foi saber que o idoso deve ter autonomia e que é papel também do cuidador, incentivar a autonomia do idoso, esse conhecimento eu vou levar para o resto da vida”. Ao final do curso, Geovana foi contratada como cuidadora pela A Mão Branca – Associação de Amparo aos Idosos – uma das parceiras do OLHE para a realização da Vivência Prática.

mais-tres-turmas-de-cuidadores-de-dosos-sao-formadas-pelo-programa-cuidar-e-viver-da-ong-olheO único aluno homem da Turma Reciclázaro 3, Pascoal P. Mastrorocco (foto), economista por formação e artesão por paixão, buscou o curso para saber como deveria orientar os cuidadores contratados na sua família: “meu pai morreu com Parkinson em 2002, aos 84 anos. Eu cuidei dele o tempo todo e sofri muito porque não tinha conhecimento para cuidar de um idoso nessas condições. Esse fato marcou a minha vida. A minha mãe é viva e a irmã do meu pai também tem Parkinson, ambas exigem cuidados. Sentindo então essa grande necessidade de conhecimento, cheguei ao OLHE por meio da internet. Gostei imensamente da Ong, do enfoque, do sentimento que existe no OLHE, da forma como isso foi passado durante o curso. Aulas incríveis, com profissionais super preparados, a aula prática de enfermagem por exemplo, foi fantástica! Indico este curso à qualquer pessoa que esteja procurando uma qualificação diferenciada, que prima não só o lado técnico, mas o lado humano. Esse curso me fez tão bem que eu nunca mais vou esquecer disso e hoje, sinto-me mais preparado para orientar, ajudar o profissional que eu coloco dentro da minha casa e ensinar com amor aquilo que aprendi com amor, para que ele possa cuidar daqueles a quem amo”.

mais-tres-turmas-de-cuidadores-de-dosos-sao-formadas-pelo-programa-cuidar-e-viver-da-ong-olheAssim como Pascoal, Vanessa Aparecida Pereira Lima (foto), que fez o curso na CIP – Congregação Israelita Paulista não queria mudar de área quando procurou o curso, mas diferente dele, agora acredita que é uma possibilidade: “quando procurei o curso eu não queira mudar de área, pois sou instrumentadora cirúrgica e trabalho na área administrativa, entrei apenas para poder ajudar o meu pai, porque é comum ver na mídia os casos de muitos cuidadores que maltratam os idosos e, por causa disso, resolvi que não queria colocar ninguém dentro de casa e decidi então buscar o conhecimento para poder cuidar dele. Minha intenção era vir, pegar a apostila e ir embora para cuidar do meu pai, mas aí comecei a ver que tinha muita coisa interessante, que o curso era muito bom, que os profissionais que vinham dar aula eram muito melhor que a expectativa que eu tinha até mesmo pelo valor do curso, aí fui ficando, não conseguia mais perder as aulas, uma aula ia puxando a outra e outra e até que resolvi não parar mais. Agora pretendo trabalhar na área e poder passar para a frente tudo que aprendi aqui, porque ter o conhecimento só pra si é uma coisa, mas poder passar para outra pessoa, é bem melhor. Uma coisa que foi muito marcante foi a Vivência Prática e acho até que ela devia ser mais no início do curso porque nós teríamos durante o curso uma ideia maior e melhor do que é cuidar do idoso, o entendimento ficaria mais fácil e o impacto seria ainda maior, porque digo por mim, optei por trabalhar como cuidadora depois da Vivência Prática”.

Sobre a importância do Curso de Formação de Cuidadores de Idosos, Marília Berzins, coordenadora e professora do curso, disse: “O OLHE sente-se muito feliz por entregar ao mercado de trabalho mais 90 cuidadores de idosos formados. O nosso curso objetiva qualificar estes profissionais de acordo com as necessidades. Parte dos alunos já trabalhava na função e fizeram o curso para serem certificados. Outra parte fez o curso para entrar no mercado de trabalho e já estão empregados. Com a aprovação da Emenda Constitucional 72 / 2013 dos empregados domésticos, muitas dúvidas estão sendo levantadas. O nosso curso discutiu o assunto com as alunas e alunos e entende que a incorporação dos direitos é uma conquista, entretanto temos várias questões a serem resolvidas. O curso do OLHE é uma contribuição para a conquista dos direitos das pessoas idosas e dos cuidadores de idosos”.

Sobre o curso do OLHE

Para maiores informações sobre os cursos e para parcerias com o OLHE, entre em contato pelo telefone: 11-3266-5540 ou pelo e-mail: [email protected]

Conheça ainda o site: Acesse Aqui e fanpage: Aqui

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3828 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento