“Longeviver, Políticas e Mercado”, o mais recente livro da Portal Edições

Tempo de Leitura: 3 minutos

Quais os limites do longeviver? O mercado está preparado para atender o segmento populacional idoso cada vez mais crescente? E, o Estado democrático, por sua vez, como ele vem garantindo a dignidade humana de uma vida cada vez mais longa?

Ruth Gelehrter da Costa Lopes e Beltrina Côrte (*)


A longevidade humana vem sendo abordada pela via do reconhecimento de que velhos são sujeitos com possibilidades de subverter e transformar valores e modos de vida que, social e culturalmente, são-lhes impostos. Por isso, propomos esta coletânea “Longeviver, Políticas e Mercado: subsídios para profissionais, educadores e pesquisadores“, que tem como objetivo principal auxiliar profissionais, pesquisadores, docentes e educadores, de diferentes setores e áreas, a fim de que possam compreender e atuar criticamente ante os desafios do longeviver, nas suas diversas realidades e âmbitos de práticas profissionais, políticas públicas e pesquisa. Além de apresentar capítulos com resultados de pesquisas filiadas à Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, também traz capítulos emergentes, com temas ainda não discutidos na própria universidade, que abordam questões como tecnologia, mercado consumidor, soluções digitais, negócios para o público idoso, comunicação e marketing, desafios das organizações, inovação e outros temas subestimados nas agendas de debates sobre o envelhecimento humano e populacional no país.

Não podemos ignorar que seremos nós os velhos de um futuro bem próximo e, que, precisamos urgentemente pensar e planejar as velhices a que aspiramos. Esta é a base de uma “cultura do longeviver”, que passa pela inventividade, pois por meio dela podemos superar o pensamento unitário e utilitário em relação à própria vida, ainda de forte prevalência em nosso meio. O enfoque deve ser a ressignificação da experiência vivida, tendo em conta tanto a voz do ser humano, como seu contexto político, econômico e social. Nesse sentido, a cultura do longeviver tem como interesse central a interpretação da experiência humana, a distribuição social da riqueza, a justiça social, com o objetivo de desenvolver teorias de cunho interdisciplinar que sirvam como instrumento de transformação social.

Também entendemos que o envelhecimento humano depende do meio social, pois a genética é responsável por apenas 30% do envelhecimento saudável, e o ambiente determina os outros 70%. Neste contexto, o desafio de desvendar a sociedade que envelhece no Brasil “não pode prescindir daqueles que o interpretam”, cujas disciplinas são humanisticamente mobilizadoras e capazes de sensibilizar os formadores de opinião, como as oferecidas pela PUC-SP, que têm o reconhecimento do seu impacto social, ao expandir por todo o Brasil seus conhecimentos produzidos e práticas intervencionais, formando docentes, pesquisadores e profissionais, respondendo ao “como” e ao “por quê” dos fenômenos relativos ao envelhecimento e à velhice (no Brasil e no mundo) e às consequências do ponto de vista coletivo (social) e subjetivo. Também é reconhecido o impacto educacional e social da formação, ao qualificar e aprimorar o planejamento e a gestão de políticas sociais em relação ao envelhecimento.

Entendemos que as atividades de interação e integração com a sociedade instigaram questões tais como: Quais os limites do longeviver? Como entender os cenários da longevidade e a concepção do processo de envelhecimento e da velhice numa perspectiva crítica? O mercado está preparado para atender o segmento populacional idoso cada vez mais crescente? E, o Estado democrático, por sua vez, como ele vem garantindo a dignidade humana de uma vida cada vez mais longa?

Essas questões nos levaram a propor esta coletânea, a fim de subsidiar profissionais, educadores e pesquisadores em busca de uma formação aplicável a sua atuação profissional, com competência e consciência crítica, para atuar nos mais diversos campos de trabalho, elevando-se, assim, a qualidade da gestão, dos produtos, serviços e processos e, consequentemente, o gerenciamento do nosso longeviver.

(*) Ruth Gelehrter da Costa Lopes e Beltrina Côrte – Docentes da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.


Serviço
Livro “Longeviver, Políticas e Mercado: Subsídios para profissionais, educadores e pesquisadores”
O
rganizadoras: Ruth Gelehrter da Costa Lopes e Beltrina Côrte
Apoio: PUCSP
Editora: Portal Edições
Ano: 2019

Lançamento:
Dia 18/12, das 17h às 21h
Local: Rua Mourato Coelho, 1473
Vila Madalena – São Paulo
Mais informações: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/longeviver-politicas-e-mercado/

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3432 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento