Lançamento de livro “Envelhecimento com dependência: cuidados e cuidadores de idosos”

Na contramão do Presidente que proibiu projeto que regulamenta profissão de cuidador, o Portal do Envelhecimento, junto à sua editora, lança livro que demonstra que é preciso urgentemente investir na formação de cuidadores.


O novo lançamento da Portal Edições foi capitaneado pela saudosa professora Úrsula Karsch (21/11/1938 – 07/03/2017). Ela foi professora na PUC São Paulo por 50 anos, tornando-se força impulsionadora da institucionalização do Serviço Social na universidade, ocupando papel dirigente na Pós-Graduação Stricto Sensu da PUC-SP por mais de uma década e promovendo sua internacionalização. A professora Úrsula Karsch também foi uma das pioneiras no campo do envelhecimento no país, ajudando a implantar políticas públicas para o segmento idoso em São Paulo.

O livro que está em pré-lançamento pela editora Portal Ediçoes, Envelhecimento com dependência: cuidados e cuidadores de idosos, e organizado por Arlete Camargo de Melo Salimene, Bernadete de Oliveira e Maria Angélica Schlickmann Pereira Hayar, é resultado de anos de investigação do Grupo de Pesquisa Epidemiologia do Cuidador, coordenado pela professora Úrsula Karsch, que nos deixou as seguintes palavras:

Em sociedades como a brasileira, em que a família nuclear ainda predomina, é preciso investir na formação de cuidadores, principalmente, familiares, que, acompanhados por um serviço de supervisão técnica, podem evitar a reinternação em leitos hospitalares ou asilares, e prevenir o uso de procedimentos diagnósticos caros e sofisticados.

Assim, o envelhecimento com dependência toma significados particulares que, dentro de um contexto histórico, social, político, econômico e cultural, precisam ser analisados e esclarecidos. Na metrópole brasileira, cenário onde se concentra o envelhecimento saudável, também se concentra o envelhecimento em dependência.

A família nuclear, que vem substituindo a família tradicionalmente extensa e patriarcal, não tem mais condições objetivas de “assumir” os seus idosos. Esta é mais uma agravante do processo de envelhecimento com dependência. Sabe-se que as transformações culturais e históricas, além de políticas e econômicas têm um impacto diferenciado na estrutura das famílias. Estas, anteriormente extensas, apresentam uma nova configuração que passa, com certeza, por mulheres inseridas no mercado de trabalho e/ou chefiando o domicílio em função de separações e divórcios; filhos trabalhando desde tenra idade ou migrando em busca de oportunidades; homens desempregados ou com sub-empregos e idosos ou morando com famílias que, muitas vezes, estão na dependência de suas parcas aposentadorias ou vivendo sozinhos e desamparados. Toda essa gama de novas e inusitadas faces da família, certamente, se contrapõem ao conceito tradicional de família, onde sempre se encontrava, pelo menos, uma mulher dedicada ao lar, aos filhos e aos idosos.

https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/envelhecimento-com-dependencia-cuidados-e-cuidadores-de-idosos/

Tendo claro, pelos estudos anteriores, que a mulher é a grande e a principal cuidadora dos adultos dependentes (esposa, filha e nora), um dos objetivos dos estudos realizados pelo Grupo de Pesquisa Epidemiologia do Cuidador foi verificar se a sua figura não está sofrendo imposições das mudanças sociais e culturais que vêm modificando a estrutura familiar na qual está inserida. Esta mulher vem assumindo cada vez mais a chefia da família, principalmente quando se torna a cuidadora do chefe tradicional vitimado pelo Acidente Vascular Cerebral (AVC). E é notório o empobrecimento dessa mulher, primeiro porque sua pensão ou aposentadoria é, geralmente, menor do que a do homem. E, segundo, quando viúva ou separada, dificilmente estabelece uma nova união, passando a exercer a chefia familiar sozinha, sem apoios externos e com insumos financeiros insuficientes. Esta mulher cuidadora quando acumula sua função no mercado de trabalho com as tarefas pertinentes ao seu papel de cuidar, não tem recebido nenhuma atenção em forma de programas de apoio no Brasil, ao contrário dos países desenvolvidos, onde tem direito a diminuir sua jornada de trabalho ou mesmo de receber uma ajuda de custo para dar conta de seu encargo adicional.

Também é importante conhecer o formato da família. A longevidade e a diminuição do número de nascimentos nas cidades brasileiras estão “verticalizando” as estruturas familiares, e uma nova forma de convívio está tomando forma: a “intimidade à distância”, segundo a qual as pessoas não moram na mesma casa, mas se visitam, telefonam e trocam favores. Como fica este convívio à distância quando um idoso da família se torna dependente?

Como adquirir o livro?
O livro estará disponível para compra no final de julho via Portal Edições, mas quem desejar fazer a reserva do seu exemplar já pode fazer através do site da editora: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/envelhecimento-com-dependencia-cuidados-e-cuidadores-de-idosos/


Características do Livro:
PESO: 0,360 Kg
I.S.B.N.: 978-85-69350-23-1
ALTURA: 23,00 cm
LARGURA: 16,00 cm
PROFUNDIDADE: 1,50 cm
NÚMERO DE PÁGINAS: 306
IDIOMA: Português
ACABAMENTO: Brochura
CÓD. BARRAS: 9788569350231
ANO DA EDIÇÃO: 2019
AUTORA: Coletânea


Inscrições para o curso Modelagem de Negócios do Espaço Longeviver: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/curso-modelagem-de-negocios/

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2615 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento