Lámen Shop: da panela para a tela, da tela para o coração

Lámen ou Ramen é o nome de um prato japonês popular e barato. A base é o macarrão que fica nadando em um caldo que mistura porco, carne, frango, algas e vegetais.

Por Maria Antonia Demasi (*)

 

Nas mais diferentes sociedades, os alimentos são não apenas comidos, mas também pensados; quer dizer, a comida possui um significado simbólico – ela expressa algo mais que os nutrientes que a compõem.”  Elle F. Woortmann.

 

Você pode estar torcendo o nariz para a descrição acima, mas, duvido que assim reagiria vendo por 1h30min as imagens delicadas e coloridas produzidas pelo diretor de LÁMEN SHOP, Eric Khoo: o filme é muito mais que uma viagem ao universo gastronômico oriental.

Embalado pela trilha sonora sensível, somos todos levados pelos olhos e pelas emoções ao universo dos afetos familiares que tão bem conhecemos.

Segredos, histórias mal contadas, relações difíceis, porém cheias de amor entre pais e filhos… Tudo na mesma grande panela de pressão dos laços familiares.

Da vida em banho-maria que levava, Masato, um jovem chefe lámen, resolve sair. A morte do pai acaba por abreviar suas dúvidas em relação a procura de respostas para o passado de sua mãe já morta.

O caminho é longo: China, Japão e Singapura territórios marcados por conflitos que deixaram marcas profundas na vida dos familiares de Masato (Takumi Saitoh) que acaba por encontrar, além de um Diário, escrito por sua mãe, recheado de segredos e receitas, a chance de refazer seus vínculos com seus antepassados.

E aí parece morar o que comumente chamamos de “a magia do cinema”: nas sete salas onde aconteceram o CINE DEBATE ITAÚ VIVER MAIS em parceria com o PORTAL DO ENVELHECIMENTO, as reações giraram basicamente em torno das emoções mobilizadas pelos personagens que, de uma maneira ou de outra, buscavam na estrutura familiar possível, um lugar de conforto.

E olha só que interessante: confort food o nome “moderno” que damos hoje à boa e velha comida que nossas mães, avôs, tios e tias cozinharam para momentos de alegria, encontros memoráveis, reuniões familiares explosivas e todos afins que de alguma maneira, todos nós já experimentamos.

Lámen Shop é, nesse sentido, um bom exemplar do que podemos chamar de um confort movie.

A cada cena, uma mexida no tacho das lembranças da infância, das saudades de um tempo que já se foi, das inseguranças em relação ao que virá, mas sempre com a certeza de que não existe a receita perfeita: cada um de nós tem um tempo de cozimento da compaixão, um tempero para capacidade de amar, uma mistura possível entre o doce e o salgado da convivência familiar e, principalmente, o ponto exato para nos mantermos inteiros, potentes e prontos para degustar todos os sabores que a vida nos oferece.

E, ao final, se parecer que deu tudo errado, relaxe: está para existir um cozinheiro que nunca tenha errado na mão!

Itaú Viver Mais Cinema e Portal do Envelhecimento

As sessões Itaú Viver Mais Cinema acontecem toda última terça-feira do mês, às 14 horas, com filmes do circuito nacional e são abertas para todos os públicos, em São Paulo (Shopping Frei Caneca e Bourbon), Rio de Janeiro (Praia de Botafogo), Porto Alegre (Bourbon Shopping Country), Salvador (Praça Castro Alves – Centro), Curitiba (Shopping Crystal) e Brasília (Shopping Casa Park). Quem tem mais de 55, o ingresso é gratuito.

Ao final da sessão, os expectadores são convidados a participarem de um debate com um especialista indicado pelo Portal do Envelhecimento sobre aspectos relevantes do filme. Esta parceria teve início em julho de 2018 e esperamos proporcionar bons debates, afinal, o cinema nos ensina a longeviver.

O filme Lámen Shop contou com os seguintes especialistas: Vicente Paulo Alves (filósofo e doutor em Ciências da Religião) em Brasília; Silvia Correa (jornalista) e Cristiane Magalhães (psicóloga) em Salvador; Wallace Hetmanek dos Santos (psicólogo) e Arthur Moreira da Silva Neto (Doutor em Educação) no Rio de Janeiro; Sérgio Antônio Carlos (doutor em Serviço Social) em Porto Alegre; Rosangela Maria Lucinda (Advogada, presidente da Comissão dos Direitos do Idoso da OAB Paraná) em Curitiba; Maria Antonia (jornalista) e Conceição Souza (Administradora de Empresas), em São Paulo, no Bourbon; e Maria Elisa Gonzalez Manso (médica e doutora em Ciências Sociais) em São Paulo, no Frei Caneca.

Não perca a próxima sessão (filme e debate), a ser realizada no dia 28 de agosto, às 14 horas. O Portal do Envelhecimento divulgará brevemente o nome do filme.

(*) Maria Antonia Demasi – Jornalista, Mestre em Gerontologia Social pela PUC-SP. Doutoranda do Programa de Ciências Sociais da PUC-SP. E-mail: tonhademasi@gmail.com