Itaú encerra projeto de cinema para idosos com “Minha Obra Prima”

Um projeto de muitos anos foi rompido com risos, lágrimas e indignação na última terça-feira do mês de abril de 2019, o que representa o abandono de uma obra prima. De acordo com um monitor, “para eles {os idosos} não foi dolorido, e até foi compreensível no sentido de que estão acostumados a serem podados até quando as coisas dão certo, na esfera pública ou privada”.


Foi com grande surpresa e tristeza que recebemos eu e minhas amigas a notícia do encerramento dos debates após o filme apresentado mensalmente. Este projeto é maravilhoso, pois proporciona encontros, novas amizades, reflexões, aprendizado, socialização e integração. Começa com as comunicações via telefone e WhatsApp, encontros no metrô e ônibus, cafezinho, risadas, desabafos…. aí vem o filme, e depois os debates. Eu cancelo até minha aula de inglês, a última terça feira do mês tornou-se para mim e minhas amigas (Vera, Conceição, Sonia, Zuleica, Arisoly, Iara, Cristina e outras que fizemos ao longo do tempo) sagrada. As profissionais do Portal do Envelhecimento são competentes, amorosas, pacientes e nos brindam com suas exposições e pesquisas nos fazendo refletir e enxergar além dos preconceitos, das queixas da idade, dos anos perdidos, que a partir daí nos deixam alerta para o que há de bom no presente. São assim as tardes da última terça feira do mês. Alegria, crescimento, uma sinalização de que há possibilidades para se construir uma realidade diferente, uma vida diferente. Espero, desejo que este projeto não termine, que as cabeças pensantes que coordenam esta parte humana, também reflitam e não nos prive deste deleite.” (Regina Palhares – São Paulo)

Este depoimento representa os sentimentos de aproximadamente mil idosos que nas últimas terças-feiras de cada mês largavam todos os compromissos para ir ao cinema. Sabiam que sempre iriam assistir a um bom filme com a curadoria do Portal do Envelhecimento, realizador do projeto patrocinado pelo Itaú Viver Mais.

Na última terça-feira do mês de abril de 2019, quem foi ao cinema assistir a Minha Obra Prima, sentiu-se “traído e abandonado” pelo patrocinador do projeto. Deparou-se com a notícia que não haverá mais a sessão de cinema mensal dedicada aos 55+. O que representa o abandono de uma obra prima. De acordo com um monitor, “para eles {os idosos} não foi dolorido, e até foi compreensível no sentido de que estão acostumados a serem podados até quando as coisas dão certo, na esfera pública ou privada”.

Números não mentem. Atualmente o projeto lotava duas salas em São Paulo, Bourbon e Frei Caneca, e uma em Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e Porto Alegre. Sempre nas últimas terças-feiras de cada mês, o mesmo filme era apresentado, seguido de debate, no horário das 14:00 quando a frequência costuma ser baixíssima, ou seja, dias e horários em que as salas se encontram na maioria das vezes vazias.

O sucesso do Cine-Debate Itaú, portanto, é inquestionável. Na última terça-feira de abril, uma hora antes do início do filme, uma fila quilométrica de idosos se formava na área do cinema do Shopping Bourbon. Um problema no sistema de emissão de bilhetes fez com que os idosos voltassem no tempo. Fila para entrar. Dois assuntos afligiam a todos enquanto aguardavam na fila. A expectativa de encontrar lugar e o boato sobre o fim do projeto.

Os mais de 200 lugares foram ocupados em menos de meia hora. Os organizadores deveriam soltar rojões. Tirar mais de 200 pessoas, a maioria acima de 65/70 anos, da sua zona de conforto e trazê-los para o cinema é uma façanha e tanto. No entanto, o que todos temiam aconteceu. Antes do início da sessão, uma monitora, com lágrimas nos olhos, informou que aquele seria o último filme apresentado pelo projeto.

Em fevereiro de 2019, o Cine-Debate Itaú já havia perdido o “D” de Debate, quando o Banco começou a repensar a proposta do projeto. Metade dos telespectadores costumava permanecer para o debate. Um número expressivo. O debate, coordenado por profissionais qualificados, acabava se transformando em uma profunda reflexão sobre a dor e a delícia de nosso existir e longeviver.

Mesmo sem o debate, as salas continuaram cheias em fevereiro, março e abril. Em alguns locais até ocorreu superlotação. Em 2018 este problema ocorreu em várias praças. Esperava-se, inclusive, que em 2019 o projeto fosse ampliado e não acabado.

Minha Obra Prima

Ah, o filme. Minha Obra Prima, comédia argentina, dirigida por Gastón Duprat, tendo em seu elenco Guillermo Francella, Luis Brandoni, Raúl Arévalo, entre outros. Um filme feito para rir mesmo nos momentos mais tristes. Trata, em primeiro lugar, da amizade entre um dono de galeria de arte e um artista que teve seu auge na década de 1980. Ambos idosos, mas com visão de  mundo bem diferentes que de alguma forma se completam. Um visa dinheiro; outro, reconhecimento sem abrir mão da sua autonomia e independência, da sua liberdade. A relação é colocada a prova a todo momento. Você vai chorar de rir. Um filme perfeito para gerar um grande debate sobre velhice, suicídio, intergeracionalidade, cuidados, amizade, o mercado de arte etc.

O filme “Minha Obra Prima” apresenta Arturo (Guillermo Francella), um galerista que só se preocupa em ganhar dinheiro em cima das costas do artista, Renzo (Luis Brandoni), já velho, irreverente, com personalidade arrogante que não ajuda nos negócios e que afirma fazer “algo inútil que não interessa a ninguém”. Arturo segue a jornada do herói, evoluiu. Quando Renzo precisou, lá estava ele, lado a lado, procurando formas de parcerias que pudessem ajudar os dois a crescerem.

Cine-debate resiste: Fenix Filmes organiza sessão especial

Luis Brandoni voltará às telonas no filme A Grande Dama do Cinema, um longa-metragem do diretor argentino Juan José Campanella, que traz a diva do cinema latino Graciela Borges como protagonista de sua nova obra. O filme conta a história de uma antiga estrela do cinema que firma uma amizade improvável com um ator nos últimos anos de vida, um roteirista frustrado e um diretor das antigas para preservar o universo lúdico que criaram dentro de uma mansão clássica utilizada nos seus filmes da era de ouro.

O cinema Caixa Belas Artes, em São Paulo, no próximo dia 21 de maio (terça-feira) às 16h, exibirá uma sessão especial desse filme para os 60+ seguido de debate realizado pela equipe do Portal do Envelhecimento e de uma degustação de chá da loja TeaShop, o evento está sendo organizado pela distribuidora Fênix Filmes.

Se você têm mais de 60 anos e quer participar dessa sessão mande um e-mail para cadastro@portaldoenvelhecimento.com.br e nós te mandaremos os detalhes do evento ou te avisaremos caso algo mude!

Não desistimos

A equipe do Portal do Envelhecimento não perde as esperanças! Entendemos que o cine-debate é um excelente vetor de proteção para um melhor longeviver, aliás, esse tema é título de um projeto apresentado por alunos de Psicologia, junto ao Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Nepe) da PUC-SP na última seleção de projetos do PIBIC/CNPq.


https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/museu-e-voce-modulo-i-tarsila-do-amaral/

Mário Lucena

Mário Lucena

Jornalista, bacharel em Psicologia e editor da Portal Edições, editora do Portal do Envelhecimento. Conheça os livros editados por Mário Lucena.

mariolucena escreveu 48 postsVeja todos os posts de mariolucena