Instituto de Longevidade coloca o envelhecimento na agenda do país

instituto-de-longevidade-coloca-o-envelhecimento-na-agenda-do-paisIniciativa da seguradora Mongeral Aegon, empresa de seguros e previdência privada, o Instituto de Longevidade lançado no dia 12 de abril na cidade de São Paulo veio para contribuir com ações concretas, especialmente na área de reinserção de pessoas acima de 50 anos no mundo do trabalho, de qualificar as cidades e a mobilização social, para colocar a questão da longevidade na agenda de desenvolvimento da sociedade brasileira e propor soluções em torno dos seus impactos sociais e econômicos.

Beltrina Côrte e Maria Antonia Demasi *

Requalificação e reinserção dos profissionais com mais de 50 anos no mercado de trabalho por meio da implantação do Regime Especial de Trabalho do Aposentado (RETA) que prevê incentivos fiscais e tributários a empresas que contratarem pessoas nessa faixa etária; qualificação das cidades mais amigas; e Movimento REAL.IDADE, são os focos de atuação do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, recém inaugurado na cidade de São Paulo. A iniciativa é da seguradora Mongeral Aegon, empresa de seguros e previdência privada, que pretende, via o Instituto, contribuir com ações concretas, especialmente na área do trabalho, de cidades e mobilização social, para colocar a questão da longevidade na agenda de desenvolvimento da sociedade brasileira e propor soluções em torno dos seus impactos sociais e econômicos.

O idealizador do Instituto é Nilton Molina, que justifica a criação do mesmo baseado nas estimativas do IBGE. O Brasil possui hoje 46 milhões de pessoas acima dos 50 anos e este número será mais que o dobro em três décadas. A redução da taxa de fecundidade aliada ao aumento da expectativa de vida do brasileiro fará com que pessoas acima de 50 anos passem a representar um percentual maior da população. Em 2050, o país terá mais de 95 milhões de habitantes com mais de 50 anos, o que corresponderá a quase metade do total.

Um dado interessante e que foi o grande vetor para a largada do Instituto é que pesquisa do Data Popular recente confirma que a renda média dos brasileiros com 50 anos ou mais é 40% acima da renda média nacional, movimentando em torno de R$ 1,58 trilhão de reais, equivalente ao consumo de duas Holandas, e que metade da renda dos brasileiros dessa faixa etária é proveniente do trabalho (51%), seguida da aposentadoria (36%), pensão (9%), aluguel, juros e rendimentos e outros.

Projetos

Saiba um pouco mais sobre os projetos do Instituto de Longevidade:

RETA – A proposta de Projeto de Lei que cria o Regime Especial de Trabalho do Aposentado (RETA) é o carro chefe político do Instituto. O RETA é comparado à Lei de Estágio (Lei N.º 11.788, de 25 de setembro de 2008), prevendo relações trabalhistas mais flexíveis e incentivos para empresas que contratarem profissionais aposentados e com mais de 60 anos, projeto que está em linha com o Estatuto do Idoso. A redação do projeto de lei é dos professores Hélio Zylberstajn, da FEA, e Nelson Mannrich, da Faculdade de Direito da USP.

instituto-de-longevidade-coloca-o-envelhecimento-na-agenda-do-paisSegundo o idealizador e presidente do Instituto, Nilton Molina (foto), “Hoje no Brasil, o déficit nas contratações já começa aos 50 anos. O país e as empresas precisam facilitar a reinserção dessas pessoas ao mercado de trabalho e a sua requalificação”. Molina é especialista em longevidade e impactos sobre a previdência, seguros e sistema previdenciário. Ele preside o Conselho de Administração da Mongeral Aegon Seguros e Previdência S/A e o Conselho Deliberativo da Mongeral Aegon Fundo de Pensão Multipatrocinado. É membro titular do Conselho Nacional de Previdência Complementar – CNPC.

Índice REAL.IDADE de Longevidade – O outro projeto do Instituto destacará anualmente as cidades brasileiras mais bem preparadas para atender as necessidades de suas comunidades, cada vez mais longevas. Trata-se da criação do Índice e Prêmio REAL.IDADE de Longevidade. O desenvolvimento da iniciativa foi encabeçado pelo pesquisador Wesley Mendes da Silva, do Instituto de Finanças da FGV/SP. O Índice REAL.IDADE de Longevidade reunirá mais de 80 indicadores de 500 cidades brasileiras, agrupados em 7 variáveis – desde saúde e bem-estar até finanças e habitação.

Movimento REAL.IDADE – O Movimento reúne apoiadores em todos os segmentos da sociedade (indivíduos, iniciativa privada, instituições e poder público) em torno do tema, a fim de discutir a rápida mudança demográfica no Brasil e aprofundar a percepção das oportunidades e desafios provocados por esse processo. O Movimento conta com um portal que já disponibiliza conteúdo (entrevistas, estudos e reportagens) sobre temas atuais ligados à longevidade no Brasil e no mundo. Também disponibilizará serviços e ferramentas úteis como cursos de requalificação profissional, auxílio na reinserção ao mercado de trabalho, auxílio tecnológico, orientação financeira, programa de desconto em medicamentos, entre outros benefícios.

Modelo AARP

O Movimento REAL.IDADE, plataforma composta por diversas iniciativas, se assemelha à plataforma da AARP (Associação Americana dos Aposentados – entidade parceira do Instituto de Longevidade) uma organização sem fins lucrativos, apartidária, composta por sócios, que ajuda pessoas acima de 50 anos ou mais a melhorar sua qualidade de vida. Segundo Bradley Schurman, da AARP internacional, presente no lançamento do Instituto de Longevidade, a entidade conta atualmente com 38 milhões de sócios, a maior do país, e tem escritórios nos 50 estados dos EUA, no Distrito de Columbia, em Puerto Rico e nas Ilhas Virgens dos Estados Unidos.

instituto-de-longevidade-coloca-o-envelhecimento-na-agenda-do-paisEm entrevista ao Portal do Envelhecimento, Bradley Schurman (foto), explicou como é o funcionamento da Associação, composta hoje por diversos braços: a) AARP Foundation, braço filantrópico, cuja missão é apoiar as pessoas mais necessitadas, entre elas as pessoas com menor renda, as mulheres e as minorias; b) AARP Services, entidade subsidiária que administra as relações comerciais com os provedores aprovados por AARP, oferecendo para seus sócios produtos financeiros e de saúde, turismo e lazer; c) AARP Financial, outra entidade subsidiária, que oferece capacitação financeira, assessoria e administração de produtos financeiros e seguros de vida; d) AARP Global, aliança de organizações nacionais, apartidárias, que trabalham para satisfazer as necessidades de idosos em todo o mundo, a partir de conhecimentos, tecnologias, variedade de descontos e serviços; e) Por último, a NRTA, por onde tudo começou e que hoje é uma divisão da AARP, dirigida para educadores e pessoal de escolas, promovendo oportunidades, apoios e serviços relacionados à educação.

Assim, a AARP atua com serviços comunitários via a Fundação e por meio de doações. Atua ainda em publicações, pesquisas, eventos, produtos e serviços, em que se arrecadam os recursos para sua sustentabilidade, além de anúncios em seu portal. Cada sócio paga atualmente $16 ao ano, cerca de R$ 56,00. Os associados têm direito aos benefícios que a AARP oferece (tal como os cartões de crédito, por exemplo, que oferecem descontos em restaurantes, viagens, hotéis, etc).

Schurman nos contou que a AARP foi fundada em 1958, e se desenvolveu a partir de uma associação de professores aposentados, chamada NRTA, criada por Ethel Percy Andrus, em 1947, pós-segunda guerra, onde não existia proteção social e se iniciava a formação de uma classe média. Naquela época o seguro de saúde privado era inalcançável para os norte-americanos aposentados. Andrus se aproximou de várias empresas de seguros até encontrar uma disposta a assumir o risco de assegurar idosos. Depois ela criou outros benefícios e programas, entre eles a venda de produtos farmacêuticos com descontos. Como a NRTA foi recebendo muitos outros interessados, após 10 anos a AARP foi criada, aberta a todos os norte-americanos. Hoje, a NRTA é uma divisão da AARP. Depois de 1963 a AARP começou a criar redes e se expandir internacionalmente.

instituto-de-longevidade-coloca-o-envelhecimento-na-agenda-do-paisBradley Schurman assinalou que as condições em que a AARP foi criada nos Estados Unidos são muito diferentes das do Brasil, país que sempre se considerou um país jovem. Segundo ele, trabalhar mais tempo beneficia os países, e que a inserção de pessoas acima de 60 anos no mercado de trabalho não vai tirar emprego dos mais jovens, pelo contrário, vai trazer mais trabalho para os jovens, fazendo uma analogia quando da entrada da mulher no mercado de trabalho. Schurman também considera que um sistema de saúde deve incluir pessoas que envelhecem.

Saiba mais

Parcerias – O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon conta com a parceria de diversas entidades internacionais, como a AARP; a ANBO, entidade holandesa com mais de 120 anos de atuação e os centros de pesquisa MIT AgeLab, Stanford Center of Longevity e Leyden Academy, na Holanda. Além disso, o Instituto está associado a outros Institutos de Longevidade apoiados pelo grupo Aegon: O Instituto Transamerica, nos Estados Unidos, e o Centro Aegon para Longevidade e Aposentadoria, na Holanda.

Mongeral Aegon – Com 181 anos de atuação, a empresa possui mais de 2 milhões de clientes, para os quais assegura mais de R$ 270 bilhões. Desde 2009, a empresa faz parte da Aegon, grupo holandês que figura entre os maiores do mundo na área de seguro, previdência e investimentos financeiros. Nos últimos anos, a expansão dos negócios deu origem ao Grupo Mongeral Aegon, que é formado, além da seguradora, pela Mongeral Aegon Fundo de Pensão, pela Mongeral Aegon Investimentos e pela empresa de gestão previdenciária Mongeral Aegon Administração de Benefícios. O grupo está presente em todo o país por meio de 60 unidades de negócios, 1.200 funcionários e 4 mil corretores parceiros.

* Beltrina Côrte é jornalista, editora de conteúdos do Portal do Envelhecimento e docente da PUC-SP/ Programa de Estudos Pós-Graduados em Gerontologia. Email: beltrinac@gmail.com

Maria Antonia Demasi é jornalista, colaboradora do Portal do Envelhecimento, mestranda em Gerontologia pela PUC-SP. Email: tonhademasi@gmail.com

 

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2454 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento