Idosos de Volta às Aulas

Quem pensava que escola era só para crianças, jovens e “alguns” adultos, se enganou redondamente. Hoje o conhecimento é acessível e está disponível para quem quer buscar mais em muitos setores, parte-se da psicologia rumo a inesperados e atraentes mares de infinito saber.

 

 

idosos-de-volta-as-aulasEm outros tempos eram somente os jovens que se preparavam para a volta às aulas, hoje a história é outra. Os idosos têm interesses, desejos e acima de tudo, tempo e disposição para se aventurar em cursos e atividades culturais. Em São Paulo, têm de tudo para todos os bolsos. O mês de fevereiro vai começar cheio de novas opções, pagas e gratuitas. Como o mercado é bastante promissor, neste ano, têm faculdade criando até núcleo específico de cursos para o público da longevidade.

Muitas universidades e escolas sabedoras de um novo segmento interessado em educação, elaboraram currículos tanto de atividades específicas para essa faixa etária como também a possibilidade de frequentar aulas junto com os alunos regulares. A professora Meire Cachioni, do curso de Gerontologia da Universidade de São Paulo (USP) comentou à imprensa nacional que “Hoje, existe a perspectiva da educação ao longo da vida. Tempos atrás, a vida era compartimentada: a infância e a adolescência eram as épocas de se aprender e a velhice, de se aposentar”.

Ela foi uma das responsáveis pela implantação do programa Universidade Aberta à Terceira Idade (UnATI) na USP Leste, em 2006. Se, naquele ano, foram registradas 60 matrículas, hoje a unidade oferece mais de 500 vagas para idosos a cada semestre. No campus Butantã, a iniciativa existe desde 1993. Outras instituições públicas, como a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp), já abriram as portas para os mais experientes.

Faculdades particulares também têm olhado com bastante atenção para o público idoso. A Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), por exemplo, lança neste ano o Núcleo de Cursos para a Terceira Idade, com programação semestral que inclui aulas de Arte e Experiência Estética, Tecnologias da Informação e da Comunicação, além de Qualidade de vida na Maturidade.

Para a psicóloga Valéria Lasca, coordenadora do núcleo, as pesquisas indicam que existe um número significativo de idosos vivendo em bairros como Higienópolis e Santa Cecília, próximos à Faap: “Identificamos que seria interessante a faculdade oferecer à população de meia-idade um espaço de educação continuada. Com a inversão da pirâmide etária, é preciso proporcionar um envelhecimento digno, com programas voltados a essa faixa e coordenados por especialistas.

Ela alerta para o surgimento de um novo perfil, antes esquecido pelas escolas: “Hoje, existem pessoas que começam projetos de vida depois dos 60 anos. Resolvem aprender um novo idioma ou estudar informática, por exemplo”.

Outra opção voltada exclusivamente para esse grupo é a Faculdade Aberta para a Maturidade Ativa (Fama), fundada há mais de 20 anos. A diretora, Cristina Fogaça, mestre em Gerontologia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), conta que a ideia para a criação do curso veio quando sua mãe, também educadora, chegou à terceira idade. Diferentemente do que ocorre em outras faculdades, os alunos têm voz ativa na escolha das disciplinas: “Não há um currículo imposto. Apresento uma lista de opções de matérias, das quais eles escolhem oito por semestre. O currículo muda a cada nove semanas e não existe um período para se formar. Ninguém está ali para pegar um diploma e correr para o mercado de trabalho. O prazer de aprender é que motiva os alunos, alguns fieis à faculdade há 20 anos”.

Apesar da seriedade das disciplinas, que incluem Geopolítica, Filosofia, História e Psicologia, a iniciativa ainda sofre preconceito. Segundo Cristina, alguns acham que, em uma faculdade voltada à terceira idade, as disciplinas só poderiam ser tricô, crochê e fofoca.

Mesmo sendo da ficção do mágico mundo das “Novelas”, lá vai outro exemplo: A personagem Moema (Claudia Mello), amiga de Iná (Nicete Bruno) da novela das 18hs da Rede Globo, “A Vida da Gente”, dá um recado: Ela decidiu fazer vestibular para o curso de enfermagem. E por que não? É certo que muitas senhoras e senhores que viram esta cena pensaram na possibilidade da volta aos bancos da universiadade.

Para Mahatma Gandhi, “a verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer atualizar o melhor de uma pessoa. Que livro melhor que o livro da humanidade?”

Cursos gratuitos

USP Leste – Universidade Aberta à Terceira Idade
Av. Arlindo Béttio, 1000, Ermelino Matarazzo
Idade mínima: 60 anos. Mais informações: 3091-1016 ou Acesse Aqui 

USP Butantã – Universidade Aberta à Terceira Idade
Rua da Praça do Relógio, 109, Cidade Universitária, Butantã
Idade mínima: 60 anos. Mais informações: 3091-3348 ou Acesse Aqui 

Unesp – Universidade Aberta à Terceira Idade
Rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271, Barra Funda
Idade mínima: 60 anos. Mais informações: 3393-8546 ou Acesse Aqui

MuBE – Curso “Faça Memórias, Cultural”
Rua Alemanha, 221, Jardim Europa
Idosos com perda de memória ou Alzheimer de grau leve a moderado. Mais informações: 2594-2601 (Ramal 21) ou Acesse Aqui

Cursos pagos

Faap: Núcleo de Cursos para a Terceira Idade
Idade mínima: 45. Informações: 3662-7449 ou Acesse Aqui

PUC: Universidade Aberta à Maturidade (Campus Ipiranga)
Idade mínima: 40. Informações: 3124-9600 ou Acesse Aqui

Faculdade Aberta para a Maturidade Ativa
Idade mínima: 45 anos. Mais informações: 5521-8561

Uni Sant’Anna (Uni Sênior)
Idade mínima: 40 anos. Mais informações: 2175-8000

Referências

ESTADÃO (2012). Volta às aulas: a vez da terceira idade. Disponível Aqui. Acesso em 03/02/2012.

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2331 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento