Idosos de Manaus Formam Grupo Musical

Conheci há alguns anos a Fundação Dr. Thomas, em Manaus. Na época a instituição se despontava na região como inovadora em trabalhos com a população idosa. O cuidado dos profissionais e a busca pela atualização profissional fizeram da Fundação uma entidade de referência de trabalho com idosos. E para minha surpresa, no dia 30 de março me deparo com uma notícia da imprensa nacional (ver link abaixo) citando a formação de um grupo musical, uma iniciativa que surgiu durante a atividade da Vivência, realizada às segundas, quartas e sextas-feiras, e tem como objetivo trabalhar a autoestima, coordenação motora e raciocínio.

Beltrina Côrte

 

idosos-de-manaus-formam-grupo-musicalA Fundação Dr. Thomas tem a responsabilidade ante a prefeitura, de coordenar e avaliar a execução da Política Municipal do Idoso, mediante o desenvolvimento de ações estratégicas capazes de garantir os direitos sociais da população idosa do município de Manaus e assegurar a promoção de sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade.

A matéria, intitulada “Em Manaus, idosos da Fundação Dr. Thomas formam grupo musical” dizia o seguinte: “Empolgados com a descoberta do próprio talento, idosos da Fundação Dr. Thomas botaram as mãos em instrumentos e estão formando um grupo musical”. O grupo recebe o apoio do professor Antonio Camarron, que coordena a seresta Prosa & Poesia do Parque Municipal do Idoso. Aí está uma experiência que deveria ser reproduzida em todas as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs). Notícia que só reforça quanto deveremos batalhar para trazer a biografia do corpo muito mais do que a biografia da patologia.

A educadora física Maria da Luz Abreu, responsável pela Vivência, ao perceber idosos que se identificavam e tinham habilidade com instrumentos musicais, respondendo melhor às atividades propostas, viu que eles ficavam mais alegres e participativos. Foi aí que surgiu a ideia de formar o grupo musical que basicamente toca instrumentos de percussão com o “objetivo de estimular a participação nas atividades”, disse Maria da Luz. Segundo ela, os mais habilidosos com os instrumentos ficam com pandeiro, atabaque e reco-reco. Os demais recebem instrumentos caseiros, latinhas com sementes que produzem som.

Em entrevista à imprensa, Maria da Luz assinalou que “O objetivo é incluir todos e incentivar a participação, respeitando as limitações físicas”. Idosos que possuem sequelas de acidente vascular cerebral (AVC) superam as limitações para tentar acompanhar as músicas, sacudindo as latinhas.

Segundo Maria da Luz, o trabalho musical com percussão é motivador, proporciona uma sensação de relaxamento e cria uma identidade de grupo. “Eles nem percebem que estão fazendo movimentos, trabalhando a coordenação motora e o raciocínio”. A professora acrescentou que a atividade em grupo melhora também o relacionamento entre os idosos.

A diretora-presidente, Martha Cruz, assinalou que “O grupo musical é mais uma atividades que nossa equipe desenvolve com os idosos e que vai trazer benefícios para a melhoria da autoestima e qualidade de vida. Estamos sempre buscando novas terapias”.

idosos-de-manaus-formam-grupo-musicalA matéria traz o depoimento do residente Raimundo Coelho, de 64 anos, um dos mais entusiasmados com o grupo musical. Ele é deficiente visual e aprendeu a tocar flauta sozinho há três anos, quando passou a morar na instituição. Segundo ele, “Fico prestando atenção nas músicas para tirar o som de ouvido. Aprendeu a tocar a música Banzeiro, do Raízes Caboclas, para a primeira apresentação do grupo.

Fundação Dr. Thomas

A Fundação surgiu em 1909, com o nome de Sociedade Asilo de Mendicidade de Manaus, passando, em 1932, a se chamar Asilo de Mendicidade “Doutor Thomas”, em homenagem ao médico canadense Harold Howard Shearme Wolferstan Thomas, que pertencia à Escola de Medicina Tropical de Liverpool, na Inglaterra, instituição dedicada à medicina e saúde pública nos trópicos. Enviado a Manaus, em 1905, para estudar a febre amarela na região amazônica, acabou montando o laboratório de análises clínicas Manáos Research Laboratory, demonstrando seu comprometimento pela cidade, via pesquisa das doenças tropicais e atendimento de doentes. Ele trabalhava gratuitamente na Santa Casa de Misericórdia, de onde é sócio benemérito.

Médico humanitário, Dr. Thomas residia em Adrianópolis, onde hoje funciona a Escola de Enfermagem. Parte da casa foi transformada em enfermaria para o tratamento de cidadãos ingleses da Companhia de Transporte e trabalhadores do porto. Ele faleceu em 1931, com 56 anos. Durante todo o tempo que viveu em Manaus, o médico canadense se dedicou a ajudar pessoas carentes. Abrigava pessoas de várias idades em estado de mendicância e moradores de rua, sendo a maioria idosa. Por identificar essa demanda, passou a desenvolver o trabalho de assistência direcionando o atendimento à população idosa da cidade.

Em 1967 a prefeitura criou a Fundação “Doutor Thomas”, como uma Instituição filantrópica da administração indireta e mantida pela Prefeitura de Manaus. Um ano depois, o Lions Clube de Manaus, colaborador do asilo, decidiu fazer uma obra para ampliar a estrutura da instituição, inaugurada em junho de 1970.

Saiba mais

A Fundação Dr. Thomas está localizada na Rua Dr. Thomas, 798, bairro de Nossa Senhora das Graças, CEP: 69053-035. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone (92) 3236-9629 ou pelo e-mail: fdtam@pmm.am.gov.br

Referências

Informações de assessoria da Fundação, disponível Aqui

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2407 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento