Idosos abandonados, abrigos precários… até quando essa violência?

Tempo de Leitura: 4 minutos

Reportagem da Band de 12/11/2012 no Brasil Urgente denuncia: “Senhora de 93 é abandonada pelos cinco filhos”. A repórter inicia a matéria com a frase: “Um rosto marcado pelo sofrimento – Aos 93 anos, Dona Maria foi abandonada pelos cinco filhos em uma casa no Itaim Bibi, área nobre de São Paulo”.

 

 

idosos-abandonados-abrigos-precarios-ate-quando-essa-violenciaComo é desesperador – e ainda não creio que o termo seja suficientemente forte – ver a idosa naquela condição de fragilidade e indignação pela própria situação de carência e abandono em que se encontra. São imagens e palavram que chocam e nos fazem pensar na vida. Ela conta: “…não podia sair para fora…sem liberdade, cadê a chave?!?!”.

Um profissional da polícia militar que estava avaliando as condições em que Dona Maria vive lamenta: “Completamente incapaz, como uma criança, sem condições de se alimentar, sem condições de preparar algo”.

“Tem alguns alimentos na residência, contudo há algo que não é saudável, é complicado para uma pessoa se alimentar, quanto mais numa idade dessa”.

A repórter relata que o imóvel estava em péssimas condições, faltava tudo, desde limpeza até manutenção. Apenas como exemplo, ela mostra o cômodo com as telhas e a falta de forro no teto. As condições de higiene são precárias: “A louça se acumula na pia e favorece a proliferação de insetos”, ela diz.

Pela aparência física de Dona Maria, a reportagem supõe que a saúde da idosa não está bem. Os vizinhos contam que ela chega a ficar dias sem se alimentar: “Um dos filhos que cuida do dinheiro da aposentadoria da mulher só aparece para visitá-la a cada 15 dias”.

Talvez para amenizar a situação dos filhos, Dona Maria conta: “…um pouco de arroz, traz um pão de forma, isso eu não posso me queixar…”.

A idosa veio com a família para o Brasil durante a Segunda Guerra Mundial. A alemã não tem amigos, nem parentes, apenas os filhos que, segundo a reportagem, a abandonaram. Cansada de tanto sofrimento, a aposentada decidiu pedir ajuda.

Com a denúncia, Dona Maria foi encaminhada para a delegacia e os filhos vão responder processo por abandono de incapaz.

A matéria, como um todo, denuncia uma situação chocante, humilhante, ou seja, uma verdadeira indignidade para qualquer ser humano. A questão é: o que faz as pessoas agirem dessa maneira? Que processo de vida foi esse, vivido por essa família? Como essas relações afetivas e de respeito mútuo foram construídas?

Não tivemos conhecimento do desfecho dessa história real e tampouco respostas para as perguntas acima. Quantos casos assim, ainda teremos que ver acontecendo?

Falamos do caso de Dona Maria, isolada e em condições precárias na sua própria casa. E fora dela, nas instituições, abrigos que julgamos possuir toda infraestrutura de cuidados necessários para quem lá está? Será diferente?

Outra reportagem da Band de 09/11/2012 denuncia mais um caso de violência contra idosos

O jornalista Ricardo Boechat abre a matéria: “Imagens exclusivas mostram a precariedade de um abrigo para idosos no Rio de Janeiro. Uma comissão da Assembleia Legislativa disse que vai denunciar o descaso ao Ministério Público”.

Gabriela Cardoso relata: “Com a câmera escondida, nossa equipe flagrou situações de perigo e falta de estrutura. Aqui é possível ver fios elétricos expostos perto dos pacientes. Nesse quarto há apenas um ventilador que não funciona. O banheiro está em péssimas condições, o chuveiro está velho, aqui os fios também estão expostos, No quarto muitos reclamam de dor, o chão está molhado e o risco de escorregões para os pacientes idosos é grande e de acordo com funcionários nesse dia não havia fralda geriátrica no abrigo. As camas estão enferrujadas, tortas. Nesse outro banheiro, as paredes estão com mofo e infiltração. Esse senhor cadeirante que não tem uma perna tenta tomar banho sem nenhum tipo de ajuda.

A nossa equipe mostrou as imagens para o coordenador da Comissão dos Direitos Humanos da ALERG, Roberto Gerard. Ele disse que a unidade já foi denunciada várias vezes: ‘Historicamente esse abrigo é marcado por denúncias de más condições. É um abrigo que já foi responsabilidade do Governo Federal, reponsabilidade do governo Municipal, agora está sob responsabilidade da Secretaria de Assistência do Estado e mais uma vez a história se repete, a falta de condições se repete’”.

E perguntamos, por que a história sempre se repete? Descaso? Negligência? Verbas direcionadas para projetos “considerados mais importantes”?

A reportagem continua: “O Abrigo Cristo Redentor é o único da cidade administrado pelo Governo Estadual. Depois de ter acesso às imagens mostradas na reportagem, a Assembleia Legislativa do Rio afirmou que vai encaminhar uma denúncia ao Ministério Público e também pretende enviar agentes para fazer uma inspeção no local”.

Ricardo Boechat, em tom de indignação, finaliza a matéria: “A Secretaria de Estado de Assistência Social disse que deslocou uma equipe para garantir um atendimento de qualidade no abrigo. Uma equipe naquilo ali??? A nota diz ainda que o local tem cinco residências das quais quatro já foram reformadas. Certamente tudo que vimos foi da única que ainda não foi reformada!?!? Por favor, né!”

Enquanto assistimos todos os dias a um vai e vem de verbas faraônicas sendo investidas na construção dos mega estádios e demais infraestrutura para a realização da Copa do Mundo de 2012 nas principais cidades brasileiras, seres humanos são esquecidos e literalmente abandonados pelas autoridades responsáveis por manter uma condição de vida digna à quem precisa de cuidados e atenção.

Que prioridades financeiras serão essas?

Referências

VÍDEO (2012). Senhora de 93 é abandonada pelos cinco filhos. Disponível Aqui. Acesso em 14/11/2012.

VÍDEO (2012). RJ: imagens denunciam precariedade de abrigo para idosos. Disponível Aqui. Acesso em 10/11/2012.

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3793 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento