Hidratação é a palavra-chave no cuidado com a voz

Tempo de Leitura: 2 minutos

Beber água ao longo do dia ajuda na prevenção de problemas com a voz, assim como também se deve evitar alimentos que facilitem o refluxo gastroesofágico

Por Simone Lemos (*)


Suave, potente, aguda, grave, a voz pode se apresentar de várias formas e intensidades, podendo ser um destaque entre tantas existentes. A voz é tão importante que conta com uma data especial e campanha para sua prevenção e cuidado. Quando bebês, emitimos alguns sons e grunhidos e, conforme vamos crescendo, balbuciamos palavras até aprendermos a falar de forma que todos escutem e entendam o que está sendo dito. Mas, para que isso seja possível, há uma série de órgãos que funcionam em conjunto para que a voz seja ouvida nitidamente, como explica a fonoaudióloga Kátia Nemr, coordenadora do Laboratório de Investigação Fonoaudiológica em Voz da Faculdade de Medicina da USP.

“A voz é produzida pelo ar vindo dos pulmões e passa pela laringe, nela encontrando as pregas vocais, que vão vibrar e produzir um som que vai ser modificado pela articulação e pela ressonância.” Se essa engrenagem estiver em equilíbrio, a voz será produzida de forma mais harmônica e a comunicação será mais efetiva.

Alterações podem ser verificadas, com o passar do tempo, seja por doenças ou mudas vocais, como a adolescência, ou por hábitos inadequados, como o fumo, bebidas alcoólicas, uso de drogas e medicamentos sem prescrição médica. Kátia destaca situações em que fazemos o uso incorreto da voz. “Evitar gritar, pigarrear, falar alto ou por um tempo prolongado em um tom mais alto ou em ambiente com muito ruído, muita poeira, ar condicionado.” Todas essas situações podem danificar sua voz, por esse motivo o ideal é se poupar o máximo possível.

Hidratação

Hidratação é a palavra-chave no cuidado com sua voz. A fonoaudióloga lembra que beber água ao longo do dia ajuda na prevenção de problemas, assim como evitar alimentos que possam favorecer o refluxo gastroesofágico ou laringofaríngeo, cuidar do hábito do sono e ter tempo para o lazer. Também é importante evitar estresse muito intenso, que gere tensão corporal, o que vai interferir na produção da voz e na sua comunicação.

Estados de rouquidão persistentes, por mais de 15 dias, merecem atenção e uma avaliação médica. Exercícios ou técnicas vocais divulgadas na internet podem não fazer bem para a sua voz, já que cada pessoa tem características próprias, assim o ideal é procurar a ajuda de um fonoaudiólogo, que irá fazer o tratamento adequado. 

(*) Simone Lemos escreve para o Jornal da USP.

Foto destaque de RODNAE Productions/Pexels


Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3957 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento

WhatsApp
LinkedIn
Share
Instagram