Frances McDormand: de bem com suas rugas

“Estamos em alerta vermelho quando se trata de como estamos percebendo nós mesmos como espécie. Não há nenhum desejo de ser adulto. A idade adulta não é uma meta, não é vista como uma dádiva. Algo aconteceu culturalmente: ninguém pode passar dos 45 anos – em relação a forma de se vestir, em relação aos cosméticos que se usa e em relação a forma de se expressar.

Franchesca Ramsey *

 

frances-mcdormand-de-bem-com-suas-rugasTodos se vestem como adolescentes, todos tingem seus cabelos, todo mundo se preocupa com uma face sem rugas.”

Para a atriz Frances McDormand, de 58 anos, envelhecer (e mostrar sinais disso) não é algo tão ruim. Ela vê o envelhecimento como uma dádiva. Mas parece que ela é minoria.

Frances McDormand faz parte da realeza de Hollywood. Ela estrelou em filmes clássicos como “Mississipi em chamas”, “Quase famosos” e “Arizona Nunca Mais” e tem mais do que alguns prêmios (um Oscar e um Tony) para mostrar sua longa carreira. Mas o que vem junto a longa carreira é a idade. E o que Frances tem percebido é que nossa cultura não é muito interessada na velhice, em ficar velha.

“Estamos em alerta vermelho quando se trata de como estamos percebendo nós mesmos como espécie. Não há nenhum desejo de ser adulto. A idade adulta não é uma meta, não é vista como uma dádiva. Algo aconteceu culturalmente: ninguém pode passar dos 45 anos – em relação a forma de se vestir, em relação aos cosméticos que se usa e em relação a forma de se expressar. Todos se vestem como adolescentes, todos tingem seus cabelos, todo mundo se preocupa com uma face sem rugas”, diz Frances McDormand, uma estrela sem tempo para a vaidade.

frances-mcdormand-de-bem-com-suas-rugasEmbora Hollywood e nossa cultura obcecada pela juventude incomode Frances, ela é humana. Portanto, às vezes tem seus momentos de insegurança por causa das rugas de seu rosto ou pescoço. Mas para ela uma linha de risadas não é apenas uma linha de risadas. É muito mais.

Em uma entrevista recente Frances comparou seu rosto a um mapa ao dizer que uma de suas rugas, por exemplo, representava seu filho Pedro e todos os 20 anos em que ela disse “Oi!”, ou “Meu Deus!”.

Quando eu li a entrevista dela, percebi que nunca tinha pensado sobre o meu rosto dessa forma.

Agora vou contar um segredo não muito secreto. Tenho 31 anos de idade. Respiração profunda. Na verdade, meus 30 tem sido incríveis até agora, mas estou sendo lentamente consumida pelos meus pensamentos de “Meu deus! Estou começando a parecer velha!”. Tenho um monte de cabelos brancos rebeldes emoldurando meu rosto (eles obviamente estão bem na frente) e às vezes temo fazer cara feia com medo de ficar com a cara daquele jeito. Eu sei que estas são preocupações muito irracionais, mas até eu fui afetada pelo mundo de cremes antienvelhecimento e câmeras HD de smartphones.

Sou uma dessas feministas que pensam “Se uma mulher quer mudar seu rosto, ela deve fazer isso!”. Todo mundo deveria ser feliz com suas aparências, mesmo que isso signifique maquiagem, exercícios faciais ou cirurgias. Mas também gosto da ideia de uma cultura que não pestaneje quando uma mulher não faz absolutamente nada com seu rosto.

images/img_k2/julho2015/frances-mcdormand-de-bem-com-suas-rugasFrances McDormand e seu rosto natural de 58 anos de idade é inovador porque parece completamente estranho para os padrões de Hollywood.

Por ser honesta com sua jornada e inseguranças, ela está criando um grande impacto nas jovens e não tão jovens mulheres. Inclusive eu. Aqui estou esperando que em meus 50 anos, ver rostos envelhecidos das mulheres nos filmes ou na tela da tevê não será algo tão desesperador. E até lá, eu terei meu próprio mapa com histórias incríveis para contar.

Assista a entrevista onde ela fala sobre o seu longeviver: Disponível Aqui

* Franchesca Ramsey escreveu para Upworthy. Tradução livre por Dhara Lucena. Artigo original disponível Aqui

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2479 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento