Estudo indica que analgésico pode aliviar sintoma de demência

Tempo de Leitura: 2 minutos

Especialistas britânicos e noruegueses concluíram que remédios para dor diminuíram significamentesintomas como agitação e comportamento agressivo, comuns em pessoas que sofrem da condição. Éo que diz o artigo de Jane Hugues, repórter de saúde, da BBC News. Os pesquisadores pesquisaram352 pacientes com demência grave ou moderada que viviam em lares para idosos na Noruega,sendo que a metade tomou analgésicos junto com as refeições, e os demais seguiram o tratamentoconvencional.


Os resultados mostraram que, após 8 semanas, o grupo que tomou analgésicos apresentou umaredução de 17% nos sintomas agitação e agressividade. Segundo o artigo, um grau de melhorasuperior ao que se poderia esperar de tratamentos à base de antipsicóticos. Os pesquisadoresconcluíram que, se a dor do paciente for tratada de forma adequada, os médicos poderão reduzir ouso de drogas antipsicóticas.

A matéria foi escrita a partir dos resultados do trabalho dos pesquisadores da entidade britânicaAlzheimer’s Society, especializada em pesquisas sobre demências, oferecendo suporte a pacientes eprofissionais. O estudo foi publicado no site da revista científica British Medical Journal (BMJ).

Representantes da organização britânica que representa entidades que oferecem serviços a idosos eos usuários desses serviços, a National Care Association, declarou à imprensa que o estudo ressaltaalgumas das complexidades da demência. Segundo a presidente da organização, Nadra Ahmed, “ador em si já é debilitante, então identificá-la como a causa da agitação e do comportamento agressivoé um grande avanço, que permitirá que cuidemos das pessoas de forma apropriada”.

A finalidade deste estudo, segundo o artigo, é fazer com que os profissionais, especialmente osmédicos, “passem a considerar outros tratamentos para aliviar esse tipo de sintoma em seuspacientes”, levando os pacientes a conviverem melhor com a condição, sem o uso de antipsicóticos.O mesmo artigo aponta que na Grã-Bretanha, anualmente, cerca de 150 mil pacientes com demênciaque apresentam sintomas como agitação e agressividade são tratados com antipsicóticos. O quedizer do Brasil?

Já publicamos alguns artigos no Portal alertando sobre os efeitos sedativos desses medicamentosos quais podem piorar os sintomas de demência, além de aumentar os riscos de derrames e morte.O que esta pesquisa traz de novo é que os pesquisadores do Kings College, em Londres, e daNoruega, “suspeitavam de que os sintomas poderiam, em alguns casos, resultar de dor (que ospacientes, por causa de sua condição, teriam dificuldade em expressar)”.

Para Clive Ballard, diretor de pesquisas da Alzheimer’s Society e um dos autores do estudo, “nomomento, a dor é pouco tratada em pessoas com demência porque é muito difícil reconhecê-la.”Acho que (a descoberta) pode fazer uma grande diferença na vida das pessoas, pode ajudá-las aconviver melhor com a demência”. No entanto, ele assinala que analgésicos devem ser receitadossob supervisão médica.

O artigo termina citando que a Alzheimer’s Society está publicando novas orientações sobre oassunto, sugerindo a médicos que pensem muito antes de receitar antipsicóticos e que procuremreceitar analgésicos.

Fonte: Extraído da BBCBrasil, 18 de julho, 2011. Disponível Aqui

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3827 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento