Epidemiologia de câncer analisa as principais causas e busca a prevenção

Tempo de Leitura: 3 minutos

“Quase todos os cânceres são muito mais frequentes com o avançar da idade. Essa é uma das grandes razões do aumento de câncer”, disse José Eluf Neto.


A epidemiologia de câncer é responsável por estudar o processo de disposição das doenças, ao passo que analisa os principais fatores associados à enfermidade e possíveis práticas preventivas. Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, o professor José Eluf Neto, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP, fala sobre a importância da ciência das epidemias. Eluf Neto conta que o câncer é apenas um dos diversos tipos de doenças estudadas pela epidemiologia: “O que nós estudamos primeiro é a distribuição da doença em diferentes populações, homens e mulheres, idosos e não idosos, imigrantes e não imigrantes. A epidemiologia é a disciplina básica da saúde pública, porque conhecendo as causas é possível agir na prevenção”.

Existem três tipos de prevenção, além da discussão sobre prevenção quaternária.  A necessidade da prevenção primária destacada pelo professor: “É quando age antes da doença. Não fumar, por exemplo, é uma forma de prevenção primária, fazer exercícios físicos também. É quando o indivíduo ainda não tem aquela doença particular.”

Outra forma de prevenção muito importante e que deve ser considerada é a prevenção secundária. “É o rastreamento, a detecção precoce da doença. O papanicolau é o maior exemplo, é o exame que mais tem informações, porque já detecta alterações no colo do útero”, aponta Eluf Neto.

O rastreamento ocorre quando a pessoa ainda não possui sintomas da doença, relata o professor: “Se o homem estiver com dificuldade para urinar, aí já não é mais rastreamento, ele deve ir ao urologista, porque uma grande causa é o adenoma de próstata e a adenocarcinoma de próstata. Se a mulher sentir um nódulo apalpando a mama ela deve procurar o mastologista, e isso também não é rastreamento.”

Identificação precoce

O papanicolau é muito importante e está diretamente associado à redução do número de mortes associadas ao câncer de colo de útero. De acordo com Eluf Neto, o exame é responsável por detectar o pré-câncer e, com isso, permite que as ações tomadas sejam mais efetivas. 

A detecção precoce do câncer é fundamental por conta do receio das pessoas em procurarem especialistas. A educação sobre os casos deveria ser mais eficiente, o professor exemplifica: “Quando a mulher sente alguma coisa apalpando a mama, ela deveria se preocupar, mas às vezes por medo demora quatro ou cinco meses para procurar o serviço de saúde.” 

O câncer de estômago, o de intestino e o de colorretal também foram mencionados por Eluf Neto, que segundo ele, a conservação dos alimentos pode ter sido a grande causa da queda do câncer gástrico do mundo. “A melhor conservação dos alimentos diminuiu a prevalência de infecção por Helicobacter pylori. O tabagismo e o álcool também são causas importantes do câncer gástrico, mas de longe perdem para o H.pylori”, indica.

Além disso, o professor relatou que o envelhecimento também é um fator determinante para o câncer: “Temos que lembrar que quase todos os cânceres são muito mais frequentes com o avançar da idade. Essa é uma das grandes razões do aumento de câncer.”

Fonte: Jornal da USP no Ar 

Foto destaque: Ave Calvar Martinez/Pexels


https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/curso-online-fragilidades-na-velhice-na-perspectiva-da-gerontologia-social/

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3962 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento

WhatsApp
LinkedIn
Share
Instagram