“Envelhecimento Ativo” em versão ampliada

Com abordagem ampla e foco nos determinantes do envelhecimento ativo, entre as principais tendências contemporâneas, o relatório examina temas como urbanização, globalização, aumento de iniquidades, feminização do envelhecimento, migração, inovação tecnológica, ambiente e mudanças climáticas.

Silvia M. M. Costa *

 

envelhecimento-ativo-em-versao-ampliadaA publicação também revisita o Marco Político do Envelhecimento Ativo no contexto do desenvolvimento internacional de reconhecimento e fortalecimento dos direitos humanos das pessoas idosas.

Inserido na prática de muitos brasileiros – e do mundo – o conceito de “Envelhecimento Ativo” orienta profissionais e interessados há mais de uma década, o que por si só já recomenda sua revisão e atualização.

A edição de 2002, do relatório sobre Envelhecimento Ativo, produzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), teve liderança de Alexandre Kalache, à época diretor do Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida, e atualmente co-presidente da Aliança Global de International Longevity Centres (ILCs) e presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-BR). Em 2012, Kalache propôs a elaboração de uma versão ampliada, para revisitar o que ficou conhecido como Marco Político do Envelhecimento Ativo (Active Ageing Framework).

Acaba de “sair do forno” a versão global do relatório, resultante da iniciativa de Kalache e equipe do ILC-BR, e a versão brasileira, em português, terá lançamento em outubro de 2015, em evento a ser confirmado.

envelhecimento-ativo-em-versao-ampliadaNo dia 15 de julho o relatório “ACTIVE AGEING: A Policy Framework in Response to the Longevity Revolution” foi lançado em Nova York, durante a 4ª Reunião do Grupo de Trabalho sobre Envelhecimento (Open-Ended Working Group on Ageing), realizada na Organização das Nações Unidas. A versão global do relatório, em inglês, vai ser apresentada na Sala de Conferência D, de 13:15 às 14:30 – horário em que o relatório completo estará disponível para download, juntamente com o Sumário Executivo, no site do ILC-BR: Disponível Aqui

O lançamento conta com o apoio dos parceiros internacionais: United Nations Population Fund (UNFPA), the Permanent Mission of Argentina, the Permanent Mission of Canada, the Global Alliance of International Longevity Centres, e, em especial, ILC Canada, AARP, the Global Coalition on Aging e International Federation on Ageing (IFA).

O relatório “ACTIVE AGEING: A Policy Framework in Response to the Longevity Revolution” foi produzido com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro – FAPERJ e apoio do Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Cepe), do Instituto Vital Brazil, vinculado à Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.

Com abordagem ampla e foco nos determinantes do envelhecimento ativo, entre as principais tendências contemporâneas, o relatório examina temas como urbanização, globalização, aumento de iniquidades, feminização do envelhecimento, migração, inovação tecnológica, ambiente e mudanças climáticas. A publicação também revisita o Marco Político do Envelhecimento Ativo no contexto do desenvolvimento internacional de reconhecimento e fortalecimento dos direitos humanos das pessoas idosas.

Vejam a versão completa ampliada em inglês: Disponível Aqui 

* Silvia M. M. Costa é diretora de comunicação do ILC – Centro Internacional de Longevidade Brasil (InternationalLongevity Centre Brazil – ILC-BR). Email: silvia.costa@ilcbrazil.org

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2332 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento