Envelhecer de maneira saudável e ativa

Tempo de Leitura: 3 minutos

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) acredita que a idade avançada não impeça as pessoas de ser e fazer o que querem ou valorizam. O tema foi discutido recentemente na sede da Representação da Opas/OMS no Brasil, em um evento feito em conjunto com o Ministério da Saúde brasileiro. Na ocasião foi dito que o idoso precisa ter acesso a estruturas e espaços que o permitam ter mais autonomia.

Opas/OMS (*)


O número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos vai mais que dobrar no mundo em 2050, passando dos atuais 900 milhões para cerca de 2 bilhões. Por isso, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) acredita ser importante que os idosos de hoje e os do futuro possam envelhecer de maneira saudável e ativa. Ou seja, que a idade avançada não impeça as pessoas de ser e fazer o que querem ou valorizam. O tema foi discutido recentemente na sede da Representação da Opas/OMS no Brasil, em um evento feito em conjunto com o Ministério da Saúde brasileiro.

De acordo com o Representante Adjunto da Opas/OMS no Brasil, Luis Codina, é necessário que várias áreas sejam trabalhadas concomitantemente para uma melhor resposta das instituições nacionais e internacionais a esse desafio. “Precisamos diminuir as inequidades na saúde para essa população na América Latina e no Caribe. O idoso precisa ter acesso a estruturas e espaços que o permitam ter mais autonomia. Há municípios com experiências bem sucedidas e importantes de serem reproduzidas”, afirmou.

O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, também acredita ser necessária a integração de diferentes setores para atendimento a pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. “Há um desenho fundamental a ser feito de construirmos uma grande linha do cuidado”.

O evento contou ainda com a apresentação de um estudo feito pela professora Maria Fernanda Costa, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – Minas Gerais. O levantamento, feito com dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), mostra que um em cada três idosos brasileiros apresenta alguma limitação funcional. Desses, 80% (cerca de 6,5 milhões de idosos), contam com ajuda de familiares para realizar alguma atividade do cotidiano, como fazer compras e vestir-se, mas 360 mil não possuem esse apoio.

Plano

A OMS lançou em 2015 o Plano de Ação Mundial sobre Envelhecimento e Saúde. O documento contempla 5 objetivos estratégicos que objetivam promover a capacidade funcional durante todo o ciclo de vida por meio da adoção de medidas de envelhecimento saudável; criação de ambientes adaptados ao idosos; harmonização dos sistemas de saúde para as necessidades das pessoas idosas; fomento aos sistemas sustentáveis e equitativos de atenção a longo prazo e melhoria dos sistemas de investigação.

Da redação Portal

O Plano de Ação Mundial sobre Envelhecimento e Saúde realça que o envelhecimento saudável é mais que apenas a ausência de doença. Assinala o seguinte: “Para a maioria dos adultos maiores, a manutenção da habilidade funcional é mais importante. Os maiores custos à sociedade não são os gastos realizados para promover esta habilidade funcional, mas sim os benefícios que poderiam ser perdidos se não implementarmos as adaptações e investimentos necessários. O enfoque social recomendado para abordar o envelhecimento da população, que inclui a meta de construir um mundo favorável aos adultos maiores, requer uma transformação dos sistemas de saúde que substitua os modelos curativos baseados na doença pela prestação de atenção integrada e centrada nas necessidades dos adultos maiores”.

(*)Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial de Saúde. Saiba mais Aqui

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3693 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento