Envelhe-sendo: ajuda para se envelhecer melhor

Tempo de Leitura: 6 minutos

Bruno Fernandes Barcellos, psicólogo, é um empreendedor do envelhecimento na cidade de Niterói-RJ. Foi ali que ele criou o Espaço Clínico chamado Envelhe-sendo, que surgiu do seu desejo em promover saúde, qualidade de vida e bem-estar para os idosos. Percebendo a existência de um grande número de idosos e poucos profissionais de saúde, especificamente de psicologia, voltados para atuar com este público, decidiu direcionar o foco de sua clínica para o público adulto e idoso, buscando oferecer um serviço de acompanhamento psicológico do processo de envelhecimento, atuando nas questões referentes a fase adulta, ao processo de envelhecimento e as demandas da pessoa idosa.

Alessandra Anselmi

 

Envelhe-sendo-ajuda-para-se-envelhecer-melhorNo Espaço Clínico é oferecido algumas modalidades de psicoterapia e atendimento domiciliar. E também serviços para Instituições de Longa Permanência para Idosos. Segundo Barcellos, a demanda é grande e eles atuam em seis instituições de longa permanência para idosos nos municípios de Niterói e São Gonçalo. Nessas instituições é oferecido psicoterapia individual e/ou grupo para os idosos e acompanhamento para equipe multiprofissional.

Além dos serviços remunerados, Barcellos diz que o Espaço Clínico busca atuar no campo social, promovendo palestras gratuitas sobre a forma como tratam a velhice e o processo de envelhecimento, gerando a reflexão sobre os conceitos e preconceitos que circulam em nossa cultura e apresentam a proposta da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre o Envelhecimento Ativo.

Envelhe-sendo-ajuda-para-se-envelhecer-melhorSabedor de sua responsabilidade social, Barcellos tem parceria com o Instituto Doutores de Coração – IDCOR, em que a cada três meses sua clínica participa de uma Ação Social, onde uma equipe multidisciplinar vai a um bairro diferente da cidade de Niterói-RJ, oferecendo saúde preventiva gratuitamente. Nessas ações, o Envelhe-sendo oferece orientação psicológica para adultos, idosos e famílias, encaminhando para o tratamento clínico aqueles que necessitarem/e ou desejarem.

Conheçam um pouco mais nosso entrevistado, lendo a entrevista completa:

Portal: Como psicólogo, como você vê a situação do envelhecimento no país?
Por um lado, é muito positivo percebermos o avanço do envelhecimento no Brasil, isso é um sinal de que estamos vivendo mais, porém, temos um lado negativo, que se refere ao “como” estamos envelhecendo. E a forma de envelhecimento que temos hoje ainda é muito precária, cercada de conceitos e preconceitos, ligamos a ideia de “inutilidade” e “incapacidade” dos velhos em nosso campo cultural. Essa precariedade se apresenta com a própria dificuldade em utilizar e compreender o termo “velho”. Ainda precisamos avançar muito em políticas públicas que possibilitem maior mobilidade urbana, acesso a saúde, lazer e qualidade de vida de um modo geral.

Portal: Qual é a sua opinião sobre a pesquisa do IPEA, recém divulgada, sobre o número de Instituições de Longa Permanência do país? E no RIO?
A pesquisa revela a dificuldade que temos em encarar a velhice e, principalmente, em cuidar do processo de envelhecimento. As instituições de longa permanência se apresentam como uma alternativa muito interessante para proporcionar cuidado na velhice, porém, a demanda é muito grande para os cuidados com o corpo. Em outras palavras, as demandas que chegam às instituições buscam serviços que mantenham o idoso “sobrevivendo”, mas o investimento no sujeito, em atividades para além das “necessárias”, são muito baixas. E é claro, se não há demanda, não há oferta. Ainda vemos a crença de que o velho/idoso precisa descansar ou repousar, e então a busca por “Casas de Repouso” é muito grande, mas as instituições, hoje, estão buscando investir em equipe multidisciplinar, oferecer novos serviços e promover a ideia de um envelhecimento ativo. Porém, muitas vezes, encontramos resistência dos familiares em investir nessas outras modalidades.

Portal: Como você percebe os serviços e produtos oferecidos à pessoa idosa na sua região?
É interessante esta pergunta. O idoso economicamente ativo possui uma gama de possibilidades, e principalmente, possui um lugar no campo social. Ele é respeitado porque ele pode comprar. E para este perfil de idoso, existem serviços variados, como academias, lojas de vestuário, restaurantes, cafés, teatros, museus, etc. Existe um mercado de produtos e serviços pensados para este idoso. Mas, para o idoso que recebe apenas sua aposentadoria, e ainda ajuda a sua família, suas possibilidades são mínimas. Passando pelas dificuldades de moradia, transporte, saúde, lazer e serviços, mas culminando na ausência de lugar no campo social. Este ‘não-lugar’ o invalida, o rotula e o exclui da sociedade.

Portal: Quais principais dificuldades encontradas para implantar o Espaço Clínico Envelhe-sendo?
A maior dificuldade se situa no campo clínico, porque para muitos idosos a psicologia é coisa para maluco. Então, são poucos que decidem buscar ajuda profissional espontaneamente. Um outro desafio está na compreensão da família em relação a importância do trabalho psicológico, muitas vezes complementando o tratamento médico. É comum a crença de que o idoso “não vai mudar”, ou falas como: “pra quê mudar, já está velho?”. No acompanhamento psicológico para idosos é importante a família também ser acompanhada e orientada, às vezes o conflito está nessa relação familiar, e ela pode ser melhorada com o processo psicoterapêutico.

Portal: Quais serviços tem maior demanda?
No Espaço Clínico, o serviço de orientação familiar e o acompanhamento psicológico domiciliar possuem uma grande demanda, devido as limitações físicas e emocionais do idoso. Mas, a psicoterapia individual é o serviço com maior procura. Inclusive nos acompanhamentos domiciliares, buscamos trabalhar em parceria com o paciente, para que, se não houver limitações físicas graves, ao longo do processo, o atendimento domicliar possa se transformar em uma psicoterapia individual em nosso Espaço Clínico, porque é importante o investimento do sujeito em ir até a clínica, fazendo alguma atividade física e mental e vencendo os obstáculos emocionais.

Portal: Qual é o papel do psicólogo na instituição?
Em instituições é fundamental que se tenha uma equipe multidisciplinar, esta variedade de conhecimentos, técnicas e serviços atuam de forma complementar uma à outra. No caso da psicologia, é muito importante um trabalho de escuta, em que os idosos possam falar de como se sentem, o que pensam, falar de suas histórias, e assim se situarem como sujeitos. Dessa forma, é possível trabalhar as questões referentes aos conflitos emocionais envolvidos na dinâmica institucional e outros, de ordem pessoal, familiar… É bacana também, o trabalho com a equipe, valorizando cada profissional que atua naquele espaço, e trocando conhecimentos, ampliando as visões referentes ao cuidado com idosos e sobre o trabalho institucional.

Portal: Quais profissionais atuam? Eles são capacitados permanentemente?
Nas instituições encontramos uma gama variada de profissionais, em geral são compostas por Cuidadores, Técnicos de Enfermagem, Enfermeiros, Terapeutas Ocupacionais, Fisioterapeutas, Fonoaudiólogos, Assistentes Sociais, Psicólogos e Médicos. Sem esquecer dos Administrativos, Faxineiros, Cozinheiros e Auxiliares de Serviços Gerais. Essa gama de profissionais varia de acordo com o tamanho da instituição, e muitas vezes são contratados pela instituição e pelos familiares para oferecer um maior número de sessões, dividindo os custos. Nos profissionais Técnicos e Cozinheiros, observamos maior investimento em cursos de aperfeiçoamento. No Envelhe-sendo, nossa equipe é composta por dois psicólogos que buscam se manter atualizados com cursos e palestras, além do investimento acadêmico.

Portal: Qual é a importância dos funcionários para a atençao ao idoso?
Os funcionários precisam ser valorizados, pois eles estão na maior parte do tempo no contato direto com os idosos. É por isso que na escolha de um funcionário é preciso perceber mais que as habilidades técnicas que ele possui, perceber também as habilidades emocionais, o “jogo de cintura” que ele tem para lidar com as questões referentes ao envelhecimento. Por isso muitas instituições e empresas buscam financiar palestras e cursos e o acompanhamento psicológico dos seus funcionários, para que promovam a reflexão sobre o desafio de cuidar de idosos.

Portal: Existe algum trabalho no Espaço Clínico relacionado à família do idoso?
Sim, e é muito importante. A família é a maior referência que o idoso tem de sua história, e é indispensável que a família compreenda a sua importância para o idoso. Para trabalhar isso, temos o serviço de orientação psicológica para os familiares, em que acolhemos as dúvidas e demandas dos familiares, e buscamos, juntos, encontrar meios de lidar com o conflito emocional. Que surge quando o familiar idoso apresenta limitações físicas e/ou mentais, como nos casos de Alzheimer. Para a família o sofrimento pode ser muito grande, assim como para o idoso que sofre com esta doença, por isso, auxiliar a família a apoiar e buscar o tratamento para este idoso é fundamental.

O Espaço Clínico Envelhe-sendo fica localizado à rua Castilho França, nº 30. Icaraí, Niterói-RJ. Tel: (021) 2719-1073. Site: Acesse Aqui

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3806 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento