Em Portugal, Banco de Partilha Social pretende ajudar jovens e idosos

Para combater principalmente o desemprego jovem e a solidão crônica dos idosos, seis jovens criam o Banco de Partilha Social e campanha de mobilização nacional, desafiando os portugueses a serem cidadãos participativos, abrindo uma conta no BPS com 20 euros por ano e contribuírem assim para esta causa social que pretende criar já em 2015 mais de 500 postos de trabalho.

 

 

em-portugal-banco-de-partilha-social-pretende-ajudar-jovens-e-idososNo dia 1 de Fevereiro de 2015 começará em Portugal a campanha de mobilização nacional em www.somoscidadania.pt que desafiará todos os portugueses a participarem na Causa Social Nacional de cidadania participativa, abrindo conta no Banco de Partilha Social (BPS).

O Banco de Partilha Social é uma Cooperativa de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, para benefício comum. Trata-se da concretização da cidadania participativa transformadora, rumo à dignidade generalizada, a partir da criação de milhares de novos postos de trabalho para os jovens que estão em situação desesperante de desemprego e ajudar os idosos que estão isolados, em diferentes iniciativas sociais.

A campanha de mobilização nacional desafia os portugueses a partilharem 20 euros por ano e contribuírem assim para esta causa social que pretende criar já em 2015, mais de 500 postos de trabalho.

em-portugal-banco-de-partilha-social-pretende-ajudar-jovens-e-idososO Banco da Partilha foi fundado há um ano por um grupo de seis jovens e tem entre seus objetivos

principais a criação e gestão de uma rede nacional de jovens com formação nas áreas da ação/serviço/apoio social, designados por “Anjos da Guarda Social”, cuja missão consiste em fazer o acompanhamento de idosos em situação de solidão, isolamento e/ou abandono e que desejem aderir a este projeto social.

O BPS, visando a sustentabilidade do seu objeto social principal, pretende também criar condições de empregabilidade em outro tipo de atividades presentes nas suas áreas de atuação, como por exemplo atividades agrícolas, artesanais, culturais e formativas, de investigação e desenvolvimento (I&D), etc. dando, numa primeira fase, prioridade à criação de uma Rede Nacional de Hortas de Agricultura Social de Partilha com vista à criação de postos de trabalho como “Agricultores Sociais”, essencialmente, em solidariedade para com cidadãos desempregados sem expectativas de reintegração no mercado de trabalho.

A meta é gerar 20 mil postos de trabalho em cinco anos, através da criação de uma rede nacional de jovens, chamados “Anjos da Guarda Social” para acompanhar idosos, e de “Agricultores Sociais”, fomentando a rede de hortas para desempregados de longa duração.

A situação atual dos jovens na Europa, especialmente em Portugal é alarmante, pois não há emprego. Por outro lado, a solidão em que se encontram grande parte dos idosos do país é um problema de saúde pública. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a população idosa aumentou, de 16,4% em 2001 foi para 19% em 2011. Para a população com idades superiores a 69 anos, o crescimento foi de 26% em 10 anos.

Aumentou também o número de pessoas que vivem sós, pois o número de famílias unipessoais constituídas por uma pessoa idosa representa a maior parte das famílias unipessoais. Ainda de acordo com os resultados do INE, mais de 50% da população idosa tem dificuldades em realizar tarefas do dia-a-dia, como ver, ouvir, deslocar-se, concentrar-se ou recordar-se de algo ou ainda compreender os outros ou fazer-se entender.

Criar postos de trabalho para os jovens que estão em situação desesperante de desemprego e ajudar os idosos que estão isolados, é, segundo Luís Figueiredo, um dos mentores da iniciativa, uma alternativa possível de dar dignidade a todos. É por isso que o Banco de Partilha Social, concebeu a ideia de “Anjos da Guarda Social”, buscando “Zero Solidão, Zero Isolamento, Zero Abandono”, num inovador e eficiente serviço de acompanhamento social permanente junto da população idosa. Serão jovens com formação/vocação para as áreas sociais, que se deslocarão numa viatura de serviço para dar apoio social a pequenos grupos de idosos de uma mesma localidade.

Em declaração à imprensa portuguesa, Luís Figueiredo disse acreditar que “um em cada 10 cidadãos vai querer fazer parte desta causa social nacional, através do gesto simples de partilhar ou poupar 20 euros por ano”. A proposta inicial é de já neste ano criar os primeiros postos de trabalho para os anjos da guarda sociais que atuarão junto aos idosos e que servirão de apoio a todo o resto da iniciativa.

em-portugal-banco-de-partilha-social-pretende-ajudar-jovens-e-idososA divulgação do projeto e da campanha começou no ano passado, quando os jovens percorreram 90 cidades em um Renault, batizado de “A liberdade”, indo ao encontro “de jovens desempregados e de idosos, que estão sozinhos e desencantados com a vida. Falaram com quase 15.000 jovens desempregados da área social, que, segundo Luís Figueiredo, ficaram “apaixonados pela iniciativa”, porque pode significar “um trabalho como anjo da guarda social”.

A campanha visa justamente unir duas gerações que estão em situação de fragilidade no país, por um lado, os jovens que estão em casa desempregados, no sofá, e por outro, os idosos que são os avós e que estão também sozinhos em casa, abandonados, isolados, e precisando de cuidados e de solidariedade.

Para Luís Figueiredo está na hora de agirmos, “de nos ajudarmos uns aos outros”.

Até o momento, os jovens contataram várias autarquias, que mostraram disponibilidade em ceder terrenos para criar hortas sociais, uma resposta para arranjar emprego para estas pessoas como “agricultores sociais”.

Malmequeres

Ao abrir conta no Banco de Partilha Social, os 20 euros anualmente partilhados, são automaticamente convertidos em 20 “Malmequeres”. Os “Malmequeres” são a moeda social do Banco de Partilha Social. Assim, 1 “Malmequer” é igual a 1 Euro. Os “Malmequeres” acumulados são sempre do próprio, cada um decide o que faz com o seu saldo acumulado em “Malmequeres”. Cada um terá a liberdade de gastar os seus “Malmequeres” acumulados como entender, seja em benefício próprio, ou os poderá aplicar em benefício de um projeto social que queira abraçar.

Saiba mais do projeto Aqui / Aqui

Referências

Jornal i. Banco de Partilha Social desafia portugueses a partilharem 20 euros para criar postos de trabalho. Disponível Aqui. Acesso em 10/01/2015.

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2613 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento