Doris e Ben – personagens, cinema, envelhecimento e gênero

O cinema e a vida tratam bem dos homens idosos, mas não das mulheres mais velhas. O cinema mostra um exemplo das contradições entre envelhecimento e gênero nestes dois filmes: Um bom entretenimento, com histórias de gente como a gente, enfrentando a passagem pela entrada na velhice.


Dois filmes recentes, Doris, redescobrindo o amor (2016) e Um senhor estagiário (2015), traçam um paralelo interessante entre envelhecimento e gênero, numa abordagem de comédia e drama. Ambos tratam das questões da entrada na maturidade, perda de entes queridos, relacionamentos de trabalho, família, amor e a convivência intergeracional.

Sally Field, ganhadora de dois prêmios Oscar, dá o suporte ao filme Doris, redescobrindo o amor, em mais uma grande interpretação. Doris, a personagem de 60 anos, exibe na tela, em close, as rugas assumidas de Sally Field, a atriz de 72 anos. A narrativa se passa num momento da vida de Doris, logo após a morte da mãe, de quem era cuidadora. A perda da mãe transforma a vida de Doris, que busca outro afeto, se apaixonando por um novo colega de trabalho, décadas mais jovem.

Funcionária da contabilidade de uma moderna empresa de marketing, trabalha reclusa num cercadinho, como uma “dinossauro”, remanescente da empresa que foi vendida. Doris é uma figura destoante no ambiente corporativo, ostentando um estilo quase ridículo pelo guarda-roupa e penteados. Vive em Staten Island e viaja de ferryboat para chegar ao local de trabalho.

Sem medo de ser feliz, e estimulada pela pregação de um guru de autoajuda, interpretado por Peter Gallagher, Doris investe no assédio ao jovem funcionário recém contratado, John Fremont, interpretado por Max Greenfield. Aconselhada pela neta de 13 anos de sua amiga Roz, Doris, cria um perfil falso no Facebook e assume o repertório de John. Num dos momentos mais hilários do filme, Doris vai ao show da banda hip rock favorita de John e se destaca entre os fãs da banda pelo seu estilo distópico.

A morte da mãe provoca um conflito entre Doris e seu irmão, que quer vender a casa onde Doris ainda vive, cercada de objetos inúteis, pois tem uma compulsão de acumuladora. O irmão e a cunhada contratam uma terapeuta para ajudar Doris no desapego do que consideram lixo. Doris resiste e cobra do irmão a ausência e o abandono da mãe aos seus cuidados. E se ressente de que enquanto ela cuidava da mãe, o irmão fez faculdade, criou uma empresa, se casou e formou uma família. O filme reforça o estereótipo do cuidador de idosos nas famílias.     

Os programas que promovem a reinserção de idosos no mercado de trabalho foram inspiração para o filme Um senhor estagiário. Robert de Niro, interpreta Ben Whittaker, executivo aposentado, representante do extinto modelo corporativo fordista, que trabalhou 40 anos numa fábrica de um produto que entrou em obsolescência, as listas telefônicas. Ben, além de ter se aposentado, ficou viúvo. No vazio da viuvez após um duradouro casamento feliz e da aposentadoria de uma carreira executiva, Ben resolveu responder a um anúncio para a contratação de estagiário sênior. Foi aceito como em uma empresa de modelo oposto ao fordista. Uma startup de comércio eletrônico de roupas femininas. Coincidentemente instalada no prédio da antiga fábrica de listas telefônicas, no coração do Brooklin.

A fábrica foi totalmente remodelada segundo o moderno layout do novo modelo de empresa flexível. Sem paredes, espaço aberto, com mesas de trabalho lado a lado, equipadas com a única ferramenta de trabalho dos negócios online, o notebook. Ben chegou no novo emprego com sua pasta executiva carregada com itens também obsoletos como agenda, grampeador e outros. Assim como a pasta executiva, o visual de terno e gravata destoava com o estilo despojado dos jovens colegas de trabalho. A CEO da empresa, criadora do negócio, é interpretada por Anne Hathaway. Apesar de estar no comando de uma empresa do novo milênio, a jovem empreendedora Jules Ostin, constrói o personagem no modelo do antigo gestor: impaciente, autoritária e individualista, que não compartilha a gestão com os funcionários. Jules/Anne vive um conflito familiar. O marido renunciou à própria carreira para cuidar da casa e da filha do casal, dando prioridade à carreira da esposa. O papel de Ben na narrativa vai ser focado no relacionamento humanizado que ele introduz no ambiente de trabalho. Dando suporte a Jules também no ambiente da família.    

Ben encontra o amor no ambiente corporativo. A empresa oferece os serviços de uma massagista como terapia alternativa para aliviar as tensões do trabalho. Renné Russo interpreta Fiona, a glamurosa massagista que desperta o amor de Ben.

O cinema e a vida tratam bem dos homens idosos como Ben Whittaker, o personagem de De Niro, que no filme se apresenta como tendo 70 anos e na época das filmagens já tinha 73 anos. Ben teve uma vida plena. Bem sucedido na carreira, no casamento, pai e avô. A Doris Miller de Sally Field, não se casou, não teve filhos, não teve carreira brilhante. Renunciou à faculdade em benefício do irmão e renunciou a um noivo, para cuidar da mãe. O cinema mostra um exemplo das contradições entre envelhecimento e gênero.  

Doris perdeu a mãe, e sua vida acomodada na função de filha cuidadora, passou por mudança importante. Teve que enfrentar um conflito familiar com o irmão e a cunhada. Ben perdeu a esposa e ficou com a boa lembrança de um relacionamento feliz.

A convivência de Doris com os jovens do ambiente de trabalho era parecida com o relacionamento entre sobrinhos e uma tia esquisitona. Ben, se tornou uma espécie de guru para os jovens colegas da empresa, inclusive para a chefe.     

No amor, Doris fez uma aposta errada no colega décadas mais jovem. Ben pode escolher entre a vizinha que o assediava e a bela massagista Fiona.

Os dois filmes, um bom entretenimento, com histórias de gente como a gente, enfrentando a passagem pela entrada na velhice.

Fichas Técnicas

Doris, redescobrindo o amor

Filme americano, lançado em 2016

Diretor: Michael Showalter

Produtores: Daniel Crown e Kevin Mann

Elenco: Sally Field, John Max Greenfield

Disponível na Netflix

Um senhor estagiário

Filme americano, lançado em 2015

Diretora: Nancy Meyers

Produtora: Celia D. Costas

Elenco: Robert De Niro, Anne Hathaway

Disponível no Google Play


https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/museu-e-voce-modulo-i-tarsila-do-amaral/

Maria do Carmo Guido Di Lascio

Maria do Carmo Guido Di Lascio

Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pós-graduação em Gestão e Políticas Públicas pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo/SP. Participou como voluntária na Junta de Freguesia da Câmara Municipal de Lisboa, Portugal, no Centro de Convívio de Idosos da Paróquia de São Paulo e Projeto “A avó vem trabalhar”, em 2018. Atuou na Prefeitura de São Paulo, Projeto Redes e Ruas, Nosso Tempo é Agora – Vivências, Memórias e Narrativas, projeto selecionado em 2016. Foi diretora comercial e administrativa da Galeria Brasil Ltda., São Paulo/SP, de 2001 a 2011; e foi gerente de marketing da Philips do Brasil de 1988 a 2000. E-mail: mariaguidodl@gmail.com

mariadocarmolascio escreveu 4 postsVeja todos os posts de mariadocarmolascio