Do Aging in Place ao Aging in Market

Depois do Aging in Place o Aging in Market, depois da Cidade Amiga do Idoso a Cidade para todas as idades. Depois de serem ignorados, os 60+ são o grande e bilionário mercado da vez.


O conceito do Aging in Place, criado nos Estados Unidos e que significa a capacidade de viver em casa e comunidade com segurança, independência e conforto, independentemente da idade, renda ou nível de habilidade está cada vez mais presente nas nossas vidas. O aumento da longevidade com qualidade de vida está permitindo aos idosos viver por mais tempo sozinhos nas suas casas. Segundo o IBGE quase 4 milhões de pessoas com 60 anos ou mais vivem absolutamente sozinhos ou sozinhas nas suas casas. Outro dado que dá uma dimensão do potencial do mercado dos 60+ que vivem nos seus lares é o fato de que 22% dos lares brasileiros têm uma ou mais pessoas 60+ como a única ou principal provedora de renda.

Pessoas vivendo nas suas casas por mais tempo precisam consumir, comprar, escolher, buscar serviços especializados, ou não, ou viajar. Esta abordagem de negócios, produtos e serviços deve ser guiada pelos conceitos do que batizei de Aging in Market. As pessoas estão vivendo mais, melhor e precisam ser servidas e atendidas também fora das suas casas. Supermercados, farmácias, distribuidores de gás, médicos e serviços de exames, lazer, manutenção do lar, sites, aplicativos, embalagens, sinalização, atendimento, utensílios, equipamentos, smartphones, enfim, todos estes serviços ou produtos precisam entender e atender as necessidades e demandas deste crescente público. Mesmo considerando um comportamento e vitalidade bem distinto dos idosos de 10 ou 20 anos atrás, sentem os impactos naturais e esperados do envelhecimento em seus sentidos. A visão, a força articular nos braços, mãos, dedos, pernas, joelhos e pés teve perdas sensíveis, a audição, a cognição, o paladar e outros pontos tratados e avaliados no Aging in Market refinam os produtos, marketing, design e formas de se relacionar.  

Tenho a felicidade de participar como palestrante e instrutor do Programa de Qualificação do Comércio, Turismo e Serviços de Veranópolis no Rio Grande do Sul, considerada a Terra da Longevidade e base das principais pesquisas sobre envelhecimento e longevidade do Instituto Moriguchi. Veranópolis é reconhecida pela OMS como Cidade Amiga do Idoso em um projeto orientado pelo ILC Brasil e patrocinado pela Fundação CPFL e que cresce pelo país. O programa que agora se chama Cidade para todas as Idades contou com quatro fases:  A primeira delas foi a do planejamento, a segunda foi a elaboração de um plano de ação e a partir do reconhecimento, iniciam as outras duas fases que são a implementação do plano com monitoramento de seus resultados e, por fim, a análise dos benefícios proporcionados à população. 

Cidades Para Todas As Idades se preocupam também como os idosos as usufruem por inteiro. Muito além dos prioritários aspectos de mobilidade, acessibilidade e atenção social e saúde, as cidades que estão mais avançadas neste olhar já se preocupam em fomentar, incentivar e capacitar todos os entes, canais de relacionamento, comércio e serviços onde incluímos o setor de turismo. Em março deste ano foi realizada sob a orientação do IGES e da Secretaria de Turismo a segunda edição do projeto de conscientização à qualidade no atendimento a idosos e turistas, com foco em empregados e empregadores do comércio, do turismo e prestadores de serviços. A dinâmica desta capacitação compreendeu três encontros, visitas técnicas e criação de materiais informativos e um e-book que será lançado em abril deste ano. Nos encontros foram abordados temas relacionados à qualidade no atendimento aos idosos, com suas capacidades e limitações, turismo e comércio, conhecimento da oferta turística do Município e região e tendências de mercado. A mecânica de treinamento contou com workshops e visitas técnicas orientadas por profissionais de diversos setores como psicopedagogia, geriatria, marketing e turismo.

Depois do Aging in Place o Aging in Market, depois da Cidade Amiga do Idoso a Cidade para todas as idades. Depois de serem ignorados, os 60+ são o grande e bilionário mercado da vez. Depois não vá reclamar que nós não avisamos.

https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/praticas-culturais/


Martin Henkel

Martin Henkel

Publicitário que mergulhou no marketing e branding, trocou o mercado financeiro em 2014 pelo mercado da terceira idade onde fundou a SeniorLab Mercado & Consumo 60+. Criou o conceito Aging in Market e foi co-criador do modelo CX60+ Customer eXperience 60+, ferramenta que tangibiliza os pontos críticos e oportunidade e melhorias na relação de marcas, produtos e serviços com o consumidor sênior. É palestrante sobre o tema mercado e consumo 60+, é curador da Geronto Fair e é um dos criadores do MKT60+ Seminário de Marketing 60+. Idealizou o Top10 60+ SeniorLab by Deezer, uma das maiores plataformas de streaming de música do planeta e que monitora o gosto musical dos 60+ no Brasil e no Mundo. Escreve para revistas, jornais e portais nacionais sobre o tema e é colunista da revista Envelhecer de Portugal. Sempre observador vê o mundo e as relações pela “lente” 60+ e encontra diariamente oportunidades de melhorar a relação do mercado com o segmento de consumo que mais cresce no país. Seu lema é entenda, atenda e conquiste o consumidor 60+. Email: martin.henkel@seniorlab.com.br

martinhenkel escreveu 5 postsVeja todos os posts de martinhenkel