Curso sobre Interdição e Curatela Compartilhada

Tempo de Leitura: 3 minutos

Curso visa ensinar os fundamentos da curatela, os passos que devem ser tomados e as peculiaridades que envolvem todo o processo, tanto para a família quanto para instituições.


Na próxima sexta-feira, dia 28 de outubro, o Espaço Longeviver iniciará mais um curso sobre Curatela ou Interdição de Idosos. Vocês devem estar se perguntando: mas, de novo? Sim, de novo e de novo, pois a curatela atravessa as velhices mais fragilizadas deste país e como familiares ou profissionais devemos saber o que ela vem a ser. E poucos sabem. E, diante de uma sociedade que envelhece, são cada vez mais comuns os casos de pessoas queridas ou que atendemos que passam a apresentar algum tipo de comprometimento no desempenho de suas atividades diárias que precisarão ser curateladas.

Saber o que é curatela é fundamental para orientar ou até representar idosos próximos nos atos que sejam necessários a fim de manter o idoso protegido. Por isso o curso visa ensinar os fundamentos da curatela, os passos que devem ser tomados e as peculiaridades que envolvem todo o processo.

O curso, destinado a familiares, estudantes e profissionais das áreas da saúde, ciências humanas e sociais e demais interessados que se identifiquem com o tema, será ministrado por Natalia Carolina Verdi, advogada, especialista em Direito Médico, Odontológico e Hospitalar, mestre em Gerontologia pela PUC-SP e responsável pelo Blog Direitos do Longeviver junto ao Portal do Envelhecimento.

De acordo com a advogada, “O encargo de Curador é uma questão que toca a muitas famílias que precisam promover o processo de Curatela em decorrência de particularidades relacionadas a eventuais comprometimentos cognitivos observados em algum familiar próximo, de forma que estes comprometimentos inviabilizem a gestão de patrimônio e de negócios daquele a quem se pretende curatelar.”

Você deve estar se perguntando, mas quem pode ser curador, qualquer pessoa? Esta é uma questão a ser trabalhada no curso, mas que Natalia Carolina Verdi aprofundará de acordo com os nichos familiares e a partir da previsão legal vigente. Ela lembra que muitas vezes não há a concordância dos familiares envolvidos sobre o(s) Curador(es) nomeado(s).

Segundo ela, há a possibilidade da curatela compartilhada, que não é obrigatória, mas que está fundamentada na própria lei, uma vez que o artigo 1.775-A do Código Civil, diz que o juiz poderá estabelecer curatela compartilhada a mais de uma pessoa, e não que deverá estabelecer o encargo desta forma. É claro que para tal algumas circunstâncias, como o interesse e a aptidão dos candidatos a exercê-la e a constatação de que a medida é a que melhor resguarda os interesses do curatelado, são levados em conta, diz a advogada.

Natalia assinala ainda que é de “grande valia e importância que o encargo de curador deva ser exercido por pessoa que tenha, inclusive, uma relação afetiva, ou no sentido mais amplo, de cuidados, com aquele que será curatelado.”

Portanto, mais do que administrar patrimônio e negócios de um terceiro, o Curador deve ser aquele que deverá ter “maiores chances de exercer de maneira mais adequada o cuidado, de forma a melhor amparar a dignidade humana do Curatelado”.

Serviço
Curso Online: Interdição de Idosos (Curatela)
Dias: Quintas – 28/10 | 04/11 | 11/11
Horário: 19h às 21h30
Carga horária: 7,5 horas
Plataforma Google Meet
Desconto: 20% para estudantes; alunos e ex-alunos do Fragilidades na Velhice; ex-alunos de cursos do Espaço Longeviver; e para associados à ADECON. Para saber como usar os descontos basta mandar mensagem para o e-mail [email protected] especificando seu caso ou pelo whats: (11) 97080-4331
Certificado será encaminhado após a conclusão do curso.

Foto destaque de Pavel Danilyuk/Pexels


Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3828 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento