Curso “Envelhecimento e Reabilitação: Cuidado Interdisciplinar em Saúde”

Tempo de Leitura: 3 minutos

Curso visa proporcionar reflexões e desenvolvimento de temas na área da Gerontologia, em sua interface com a Saúde e a Reabilitação de Pessoas com Deficiência Física

Isadora Di Natale Nobre (*)


Estudos mostram que um dos maiores temores do ser humano não é a morte, mas a dependência.  Na área da Gerontologia muito se estuda o envelhecimento ativo, refletindo sobre fatores que contribuem para uma velhice com qualidade de vida, essa equivocadamente compreendida como independente e sem limitações. Ninguém deseja ou planeja um envelhecer com dependência. Entretanto, a realidade nos mostra caminhos diversos e a vida pode nos surpreender e muitas vezes nos lançar em situações que não imaginamos.

Dados do IBGE revelam que no Brasil, em 2019, 17,3 milhões de pessoas possuíam algum grau de deficiência. O aumento da expectativa de vida e o longeviver podem propiciar o aparecimento de doenças e deficiências na velhice, ao mesmo tempo em que as pessoas que nasceram com ou adquiriram alguma deficiência ao longo da infância, juventude ou vida adulta também estão envelhecendo; o que demanda um olhar e um cuidado para esse segmento da população, que possui suas particularidades.

Trabalhando em centro de reabilitação para pessoas com deficiência física ao longo dos anos fui me deparando com esse cenário. Cada vez mais recebia idosos em meu quadro de atendimento, com os mais variados quadros de saúde, que haviam sofrido Acidente Vascular Encefálico (AVE), lesão medular, amputações, sobreviventes da Poliomielite, entre outros, que estão vivenciando um envelhecer com algum grau de dependência.

Dessa forma, busquei referências e especializações na área da Gerontologia para aprimorar o meu trabalho como psicóloga da reabilitação. Minha dissertação de mestrado consistiu em uma pesquisa com idosas amputadas buscando compreender os sentidos de saúde, reabilitação e envelhecimento sob o viés da subjetividade e de uma Grande Saúde (Nietzsche, 2008), que não exclui adversidades, mas se utiliza delas como potência e força para o existir.

Afinal, o que é a saúde? O que compõe um corpo? Reflexões como essas colocam o envelhecer com alguma deficiência no campo de outras experimentações, que escapam à lógica da produtividade e do desempenho, vislumbrando a vida como acontecimento.

Curso

O curso “Envelhecimento e Reabilitação: Cuidado Interdisciplinar em Saúde”promovido pela Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) vem ao encontro dessas inquietações e do compromisso ético na atuação e reflexão frente à qualidade de vida das pessoas que envelhecem com alguma deficiência ou mesmo considerando essa uma das possibilidades da velhice. A AACD é uma organização sem fins lucrativos focada em garantir assistência médico-terapêutica de excelência em Ortopedia e Reabilitação. A Instituição atende pessoas de todas as idades, recebendo pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS), planos de saúde e particular.

O curso será dividido em três módulos. O primeiro intitulado “Longevidade e o Processo do Envelhecer” propõe-se a refletir sobre o processo de envelhecimento em si. O segundo “Saúde e Reabilitação” tem como objetivo trazer contribuições sobre as intervenções médicas e terapêuticas no contexto da reabilitação e da saúde em geral. Já, o terceiro módulo “O idoso e os recursos da comunidade” trará a abordagem histórica e social da pessoa com deficiência e dos recursos da comunidade voltados à população idosa.

O curso contará também com o lançamento e divulgação de meu livro, fruto da pesquisa de minha dissertação, que foi publicado pela editora Portal Edições em 2021.

Para maiores informações sobre o curso e cronograma completo: https://ensinopesquisa.aacd.org.br/curso/envelhecimento-e-reabilitacao

Referências
BRASIL, Agência. Pessoas com deficiência em 2019 eram 17,3 milhões. Disponível em: < https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-08/pessoas-com-deficiencia-em-2019-eram-173-milhoes >. Acesso em: 19 jun. 2022.

NIETZSCHE, Friedrich [1908]. Ecce Homo. Como se chega a ser o que se é.Tradução Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

NOBRE, Isadora Di Natale. Corpo e Velhice: tecendo novos arranjos. São Paulo: Portal do Envelhecimento, 2021.

SÃO PAULO, Folha. Brasileiros não temem a morte, mas a dependência. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2018/01/1953745-brasileiros-nao-temem-a-morte-mas-a-dependencia-mostra-datafolha.shtml >. Acesso em: 19 jun. 2022.

(*) Isadora Di Natale Nobre – Psicóloga, mestre em Gerontologia Social pela PUC-SP. Formação em Acompanhamento Terapêutico (AT), atua nas áreas da Saúde Mental, Reabilitação Física e Psicogerontologia. Aperfeiçoamento em Reabilitação na Deficiência Física: Enfoque Multidisciplinar pela Associação de Assistência à Criança Deficiente –AACD (2014). Trabalha no setor de Psicologia Adulto da AACD desde 2014.

Foto: Michelle Leman/Pexels

Atualizado às 9h51

Serviço

https://ensinopesquisa.aacd.org.br/curso/envelhecimento-e-reabilitacao

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3962 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento

WhatsApp
LinkedIn
Share
Instagram