Cuidadores de idosos precisam de qualificação

Tempo de Leitura: 4 minutos

A professora aposentada Ivanora Portella Daniel, 63, reside com sua mãe Ida Portella, de 98 anos na cidade de São Paulo. Ida precisa de cuidados diários e atenção especial com sua saúde. Para ajudá-la, Ivanora conta com a ajuda da cuidadora de idosos Pillar Flores, 42, no período noturno, das 18h às 7h. Assim como Ivanora, existem pelo Brasil milhares de pessoas que podem se beneficiar do auxílio domiciliar oferecido por profissionais capacitados e preparados para atender idosos acamados ou com outras diversas necessidades.

Agência Comunicado

 

cuidadores-de-idosos-precisam-de-qualificacaoA profissão de cuidador de idosos está inserida na categoria de empregados domésticos, e ainda que as regras para sua contratação sejam similares, as tarefas exercidas são bem diferentes. O cuidador de idosos deve ter habilidades que variam desde a prestação de auxílios higiênicos ao idoso até a paciência e o treinamento emocional e psicológico para lidar com as mais variadas situações.

A Associação Paulista de Amparo à Mulher (APAM), organização sem fins lucrativos, presente em São Paulo há 60 anos, e gerida há três anos por um grupo de Irmãs da Congregação Mensageiras do Amor Divino, oferece o curso para profissionalização do cuidador de idosos. Boa parte do público que procura a APAM é composto por mulheres na faixa etária de 35 a 62 anos, que já atuam como cuidadoras de idosos, mas sem a qualificação profissional. “Também atendemos mulheres que exercem a dupla função de empregada doméstica e cuidadora de idoso, e ao notarem o crescimento desse mercado, buscam qualificação”, conta a Coordenadora da APAM, Ir. Érika Maida.

Fátima Aparecida Silva Almeida, 39, baiana radicada em São Paulo e aluna da APAM, ilustra o exemplo apontado pela Ir. Érika. Após dez anos trabalhando como diarista, Fátima começou a exercer a função de cuidadora e atendia uma idosa com Alzheimer. Ela se identificou com a profissão e após deixar o emprego, foi buscar qualificação no curso da APAM. “Somei mais conhecimento à minha experiência. Quem trabalha com idosos precisa de muito tato. No meu caso, por exemplo, atendi uma idosa com Alzheimer e todos os problemas decorrentes de um quadro avançado dessa condição, como o esquecimento constante das coisas. É preciso paciência e muito carinho para lidar com eles”, diz.

O curso de cuidador de idosos promovido pela APAM tem a duração de três meses e carga horária de 48 horas de aulas. O público-alvo da Associação é composto por mulheres em situação de vulnerabilidade social, mas qualquer pessoa, acima dos 18 anos, pode se inscrever. As aulas são ministradas por uma equipe de profissionais voluntários de diversas áreas, como Fisioterapia, Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Serviço Social, Direito, entre outros. No final do curso, as alunas participam de um workshop para entrevistas de emprego e são encaminhadas pela própria Associação à famílias que busquem o serviço. A taxa de inscrição do curso é de R$ 50 e esse é o único valor do curso.

Foi através do programa de empregabilidade da Associação que a professora aposentada Ivanora Portella teve contato com a atual cuidadora de sua mãe, Pillar Flores. “Entrei em contato com a APAM para buscar indicação de profissionais para cuidar da minha mãe, e a Coordenação foi até minha casa, conversou e avaliou minha necessidade, e então me recomendou a Pillar”, conta Ivanora.

A Coordenadora da APAM, Ir. Érika Maida, acredita que a maior preocupação das famílias é a de contratar profissionais qualificados e de confiança. Em contrapartida, a Associação também visa o cuidado com o próprio Cuidador, que precisa de atenção especial por conta da carga emocional gerada pela profissão. Com esse objetivo, a APAM promove, em parceria com o curso de Enfermagem da Universidade Nove de Julho (Uninove), o Grupo de Apoio ao Cuidador. “É um momento de reciclagem para as ex-alunas que já atuam na área. Nele ainda trabalhamos a formação humana, e mostramos a relevância da ética profissional e do cultivo dos valores”, ela afirma.

Após a reformulação da Emenda Constitucional 72, mais conhecida como a PEC das domésticas, a jornada de trabalho do cuidador de idosos foi uniformizada conforme a categoria. “Com a PEC das domésticas, a jornada de trabalho do cuidador deve ser de oito horas diárias ou 44 horas semanais, e a compensação ou redução da jornada deve acontecer mediante acordo ou convenção coletiva”, explica a advogada Cristina de Souza, profissional voluntária que ministra para as alunas do Curso o módulo sobre aspectos jurídicos.

A APAM fica aberta ao público de segunda a sexta-feira das 8h30 às 17h30 e aos sábados, das 8h30 às 12h30 horas. Para maiores informações sobre o Curso de Cuidador de Idosos, acesse Aqui ou entre em contato através do e-mail [email protected]

SobreaAPAM

Fundada em 1953, com o objetivo de atuar em prol das mulheres em diferentes situações de vulnerabilidade social e pela valorização das suas famílias. Em 2010, a Associação passou a ser gerida por um grupo de Irmãs da Congregação Irmãs Mensageiras do Amor Divino – organização religiosa, fundada na cidade de Aparecida (SP) em 17 de maio de 1954 e que mantém o firme objetivo de dar continuidade à missão original da entidade: apoiar mulheres e famílias em situação de vulnerabilidade social, por meio de valores cristãos, de civilidade; ampla acolhida (sem discriminação), responsabilidade social, valorização e promoção da pessoa, desenvolvimento humano e formação cidadã. Mais informações acesse Aqui e Aqui

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3762 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento