Covid-19: Como aumentar a resiliência e resposta imunológica das pessoas idosas?

Tempo de Leitura: 4 minutos

A médica geriatra Karla Giacomin faz recomendações para a ocupação do tempo da pessoa idosa a fim de protegê-la durante a pandemia do Covid-19. Suas sugestões visam reduzir a solidão e aumentar a resiliência comunitária, especialmente daqueles que vivem em residências coletivas.

Karla Giacomin (*)


Para prevenção do contágio do coronavírus, é imprescindível restringir os contatos sociais das pessoas idosas, mesmo que isso possa gerar sentimentos de solidão e desamparo. É preciso compreender que, assim como outras crises, esta também vai passar! Por isso, todos precisam colaborar:

Familiares, cuidadores e amigos com sintomas de gripe ou resfriado não devem visitar as pessoas idosas. O contato com crianças deve ser evitado, pois elas, mesmo que infectadas com o Covid-19, costumam ser assintomáticas.

A restrição de contatos sociais visa proteger a pessoa idosa do contágio, porque o risco de ter uma doença mais grave é maior entre as pessoas acima de 60 anos, especialmente entre os mais idosos, mais frágeis e mais doentes. As pessoas idosas institucionalizadas são notoriamente mais frágeis – daí a recomendação de restringir visitas, de evitar atividades em grupo e restringir saídas da instituição.

As visitas e saídas serão restritas, mas é importante reforçar junto aos residentes e aos idosos nos domicílios, que as pessoas amadas estão pensando muito nelas – e facilitar que elas possam entrar em contato, por telefone ou vídeo chamada, com os familiares e amigos.

Para reduzir a solidão e aumentar a resiliência comunitária sugere-se ocupar o tempo com atividades apreciadas pelos próprios residentes.

Sugestões para a ocupação do tempo da pessoa idosa durante a pandemia

É muito importante ter opções de atividades para ocupar o tempo e aumentar a resiliência comunitária e a capacidade das pessoas em isolamento preventivo de resistir a este momento. Nesse sentido, apresentamos algumas sugestões de atividades para pessoas idosas que estão isoladas preventivamente.

Nas instituições e nos domicílios: estimular atividades que a pessoa consegue realizar sozinha, tais como:

– Leitura;

– Passatempos: caça-palavras, palavras cruzadas, jogo de sete erros, colorir;

– Jogos: Resta 1 (higienizado com álcool gel 70°); baralho de uso pessoal (paciência);

– Ouvir música ou rádio;

– Assistir televisão;

– Escrever pequenos bilhetes ou cartões para as pessoas que não podem vir visitá-las;

– Conversar ao telefone ou, sendo possível, por skype ou videochamada no WhatsApp;

– Jogar em smartfones ou tablets de uso pessoal – devidamente higienizados;

– Realizar as atividades manuais de que gosta (crochê, tricô, bordado…);

– Cuidar de plantas e de animais.

Para pessoas analfabetas ou com alteração de memória, sugere-se que em diferentes momentos ao longo do dia sejam feitas leituras de pequenos textos estimulantes, fábulas, notícias por meio de alto-falantes ou comunicação interna já existentes em algumas instituições. E música, muita música que remetam a sua juventude.

Nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), sugere-se criar momentos de oração coletiva, em horários pré-estabelecidos, em que as pessoas são convidadas a se unirem em oração, mas permanecendo cada um no seu quarto.

Estimular atividades que a pessoa pode realizar com outras pessoas, desde que mantida uma distância de 1,5m e que o ambiente esteja adequadamente higienizado, em áreas arejadas dentro da instituição ou no quintal ou varanda da casa, tais como:

– Tomar sol entre 8 e 10 h da manhã ou após as 16h;

– Caminhar;

– Assistir a filmes, programas, missas ou cultos pela TV;

– Fazer jogos de adivinhação (adedanha) – a palavra é… (descobrir qual é a música com aquela palavra);

– Contar histórias ou piadas;

– Cantar ou tocar algum instrumento;

– Ouvir música ou rádio;

– Conversar.

Para aumentar a imunidade das pessoas idosas – importante manter:

– Hidratação adequada;

– Alimentação rica em frutas, frutos secos de casca, verduras, legumes, hortaliças;

– Imunização contra influenza e pneumococos em dia;

– Controle adequado das doenças crônicas, especialmente diabetes e hipertensão;

– Uso regular da medicação inalatória para doenças pulmonares;

– Cuidados com a pele, deixando-a sempre limpa e hidratada;

– Ambiente mais positivo, com a promoção das atividades de estimulação cognitiva e física sugeridas acima.

Atenção

– Pessoas com mobilidade devem evitar ficar deitadas ou assentadas por períodos maiores que 1 hora durante o dia;

– Pessoas com mobilidade reduzida ou acamadas devem ser mobilizadas a cada 2 horas;

– Pessoas com incontinência devem ser trocadas em intervalos que garantam mantê-las sempre secas e limpas.

(*) Karla Giacomin – Médica geriatra concursada da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Belo Horizonte, desde 1999, onde tem atuado na coordenação da Atenção à Saúde do Idoso. Membro Pesquisador do Núcleo de Estudos em Saúde Pública e Envelhecimento (NESPE – FIOCRUZ/UFMG). Consultora da OMS no eixo “Políticas de Saúde dos Idosos”, integrante do Plano Estratégico para o Cuidado e o Envelhecimento Ativo (2017-2021) em Cabo Verde. Material organizado pelo Centro Internacional de Longevidade (ILC-Brasil).

Foto destaque: Fundação José Carlos da Rocha (divulgação)


Sônia Fuentes apresenta um livro em forma de Caderno de Atividades contendo 30 oficinas detalhadas para se trabalhar com o público 60+: Enumera o material, orienta o ritual e os desafios que promoverão alegria, bem-estar, vivacidade, vitalidade, socialização e uma melhora considerável na memória e cognição dos participantes. Adquira já o seu: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/tecendo-o-chamado-de-atena-e-aracne-atividades-em-oficinas-desenhadas-para-o-segmento-idoso/

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2696 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento