Conteúdos orientam sobre a prevenção ao câncer de mama

Tempo de Leitura: 4 minutos

No mês de conscientização sobre o câncer (de mama) que mais atinge as mulheres, pesquisadores da USP ajudam a informar sobre prevenção e tratamento da doença.


De acordo com dados do Ministério da Saúde, o câncer de mama é uma doença que atingiu mais de 2,3 milhões de mulheres no mundo todo só no ano passado, com o maior índice de mortes, mas com alta chance de cura quando descoberto precocemente. O câncer de mama representa cerca de 24,5% entre os tipos de tumores diagnosticados. Por isso a campanha do Outubro Rosa, movimento nascido na década de 1990 nos Estados Unidos e consagrado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em que o Ministério da Saúde reforça o alerta para prevenção ao câncer de mama, tradicional mês de conscientização sobre a doença, que começou no dia primeiro de outubro.

Em 2019, o Brasil registrou 18.068 mortes por câncer de mama, sendo o principal tipo da doença que leva mulheres a óbito. Projeções do Instituto Nacional de Câncer (INCA) até 2030 apontam para a estabilidade das taxas de mortalidade entre 30 e 69 anos. Uma das metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável até 2030 é reduzir em um terço das mortes prematuras por doenças crônicas não transmissíveis, entre elas, o câncer. A Organização das Nações Unidades (ONU) estabelece uma meta de redução de 30% desse tipo de câncer em todo mundo.

Para a coordenadora de Prevenção e Vigilância do INCA, Liz de Almeida, os dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), chamou atenção para a importância de as mulheres procurarem ajuda desde os primeiros sinais da doença. “O profissional de saúde também deve estar preparado para esclarecer e encaminhar essa mulher para as unidades adequadas”, alertou. “A pesquisa mostrou que cerca de 40% das mulheres na faixa etária recomendada não fizeram o exame de prevenção nos dois últimos anos antes da pesquisa. Diante desse resultado, precisamos nos perguntar por que isso acontece. A mulher não estava informada ou ela não teve acesso ao exame?”, questionou.

No Brasil, em 2020, cerca de oito mil casos de câncer de mama tiveram relação direta com fatores comportamentais como consumo de bebidas alcoólicas, excesso de peso e inatividade física. O número representa 13,1% dos 64 mil casos novos de câncer de mama em mulheres com 30 anos e mais, em todo o país, de acordo com dados do INCA. Em outro recorte, relativo a 2018, o estudo retrata que o gasto para tratamento da doença no SUS passou dos R$ 813 milhões. Os quatro principais fatores de risco representaram 12,6% de todo o custo, ou seja R$ 102,5 milhões. A inatividade física correspondeu à maior fração do valor total (4,6%), seguida pelo não aleitamento materno (4,4%), excesso de peso (2,5%) e consumo de bebida alcoólica (1,8%).

Causas

Com origem em causas genéticas ou pelos hábitos de vida, o câncer de mama ultrapassa 60 mil casos por ano no Brasil e nos últimos anos, com a pandemia, o número deve ter uma elevação já que a realização de exames preventivos ficou prejudicada. Por isso, as campanhas alertam para a retomada da mamografia, que é a principal aliada da mulher contra a doença, inclusive as que passaram dos 60 anos. Ela não vai prevenir o aparecimento do câncer, mas faz o diagnóstico num momento em que a doença é inicial e tem maior chance de cura.

Algumas recomendações do INCA para reduzir a mortalidade por câncer de mama no Brasil

Conteúdos disponíveis

Os especialistas orientam que prestar atenção no próprio corpo, independentemente de manter a rotina dos exames, é fundamental. Além disso, se surgir alguma alteração nas mamas, é necessário procurar atendimento para avaliar e investigar.

Jornal da USP fez uma seleçãode conteúdos que pode ajudar a entender, prevenir e tratar a doença:

O curso de Medicina da USP em Bauru criou uma série de vídeos com informações e dicas da especialista em Oncologia Mariane Nunes de Nadai, que é professora e médica assistente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HC-FMRP) da USP. Os vídeos curtos dão orientações básicas para as mulheres se cuidarem, como por exemplo na abordagem sobre a importância da mamografia. Os vídeos fazem parte do programa De bem com a saúde, disponível no canal da TV USP Bauru no YouTube.

Clique no nos links abaixo e confira outros vídeos:

De bem com a saúde – Câncer de Mama: Como fazer o autoexame da mama e o que procurar?

Grupo Genoma USP elaborou uma série de três vídeos para esclarecer o público sobre questões relacionadas à genética do câncer de mama. Os vídeos abordam como andam os estudos sobre a busca por causas genéticas para o câncer de mama, se o câncer de mama pode ser hereditário e como este tipo pode ser identificado a partir da suspeita clínica até chegar aos testes genéticos.

Para acessar outros conteúdos clique aqui.

Fontes: Jornal da USP, Ministério da Saúde, INCA

Foto destaque de Michelle Leman/Pexels


https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/edital/

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3807 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento