Billy Graham, aos 93 anos, lança livro sobre os desafios da velhice

Tempo de Leitura: 5 minutos

Billy Graham, pregador batista norte-americano, conselheiro espiritual de vários presidentes e escritor, completou no último dia 7 de novembro 93 anos e continua na ativa; firme, forte e reflexivo. Seu 30º e novo livro ‘Nearing Home: Life, Faith, and Finishing Well’ (Próximo do Lar Celestial: Vida, Fé e Acabar Bem) aborda os problemas da terceira idade.

Luciana H. Mussi *

billy-graham-aos-93-anos-lanca-livro-sobre-os-desafios-da-velhiceSobre o avanço dos anos, Graham escreve: “Não posso verdadeiramente dizer que eu gostei de envelhecer”. Para ele “isso é apenas parte da realidade da vida à medida que envelhecemos”. Tendo a fé ao seu lado, ele chama os leitores “para explorar comigo (…) também a esperança e realização – e até mesmo alegria – que pode ser nossa, uma vez que aprendemos a olhar para estes anos a partir do ponto de vista de Deus e descobrir sua força para nos sustentar a cada dia”.

Sr. Graham, pergunto: Qual seria o ponto de vista de Deus? Como fazer para encontrá-lo? E se isto é possível, que força seria essa que nos sustentaria pelos dias? A cada dia encontramos forças diferentes, algumas boas outras nem tanto. Como ter no coração um Deus que não vemos, sentimos, tocamos, apenas ouvimos seu silêncio?

A crença em Deus e tudo aquilo que o “Ser Maior” pode proporcionar, é uma constante em todas as preleções de Graham: “Eu oro para que você e eu possamos aprender o que significa não só a ficar mais velhos, mas, com a ajuda de Deus, de crescer com a graça”.

No livro, Graham relata situações que ocorrem durante o envelhecimento e revela as dificuldades pelas quais tem passado. “Nunca pensei em viver até esta idade. Por toda minha vida me ensinaram como morrer enquanto cristão, mas nunca alguém me ensinou como deveria viver nos anos antes de eu morrer”.

Para um homem de fé, qual a razão de tantos ensinamentos? Na morte nos ensinam a ser cristãos, algo como um intensivo para que Deus possa nos livrar dos pecados e desejos mundanos e assim ganharmos passe livre ao reino dos justos, ao paraíso eterno. É pena que, como disse Graham, não nos ensinam a viver antes de morrer. A questão é: viver não é escola; giz, lousa, aluno e professor. E não pensem que sei o que seja viver, o meu viver é diferente do seu e do seu e…Só não acredito em conselhos e ensinamentos, parecem falsos e compreendidos apenas por um ponto de vista já que envolvem sedução, palavras carinhosas e não realidade. Prefiro a acidez das coisas.

A reportagem conta que Graham desejaria ter ouvido mais sobre como viver bem durante a reta final da vida: “Desejava que o fizessem, pois agora sou um homem velho, e acreditem, não é fácil”.Para o pregador, a Bíblia não esconde os problemas que todos enfrentam quando envelhecem nem “pinta a velhice como um tempo para ser desprezado ou um fardo para ser suportado com os dentes cerrados”. Ressalta que os tempos de velhice não são “inúteis e ineficazes”. Pelo contrário, “Deus tem um motivo para nos manter aqui”.

Para aqueles que, constantemente, são invadidos pelas inquietações da fé, estas palavras podem soar um tanto forçadas. Mas como cada um sente e pensa de acordo com suas crenças e, acima de tudo, segundo o momento que vive, pensemos em Graham como homem coerente com seus princípios. Ele segue um percurso que parece acreditar, talvez um consolo ou possibilidade concreta de estar ao lado de Deus quando seu dia chegar.

Quando ouço palavras, como as dele, “tão repletas de Deus e de certezas” lembro do filme “Dúvida” em que Meryl Streep interpreta a diretora e madre superiora; rígida em suas crenças e aparentemente fanática em sua devoção extrema. Em certo momento, ela desabafa: “tenho dúvidas, tantas dúvidas (…)”. E saibam, caros leitores, elas nunca desaparecem, insistem em nos acompanhar pela vida, talvez mais gritantes e urgentes na velhice.

Voltando a Graham e sua visão sobre as dificuldades em chegar na terceira idade, Grant Wacker, professor de história cristã na Universidade Duke, disse recentemente ao USA Today: “Mesmo com a (doença) de Parkinson, você o vê como um soldado, ainda pregando em seu próprio caminho.”

Um caminho que arrebata milhões de pessoas em suas pregações, mas que, muitas vezes, para quem o lê, nos sugere um percurso solitário numa trilha cheia de tropeços, de pés descalços e feridos (a ferida dos extremos). A “palavra” é necessária para quem a profere e não para aquele que a recebe como mais um ensinamento, dentre tantos rotineiros. Educamos a nós mesmos, seja pela “palavra” seja pelo “olhar”. E o olhar fala claramente, porque fala a linguagem da alma, em todos os idiomas.

Graham acredita que Deus tem uma razão específica para manter cada um de nós vivos. Para ele, devemos nos esforçar para descobrir o que seu propósito é para esses anos de velhice, e como eles podem ajudar a tecer a trama da vida, lidando com os medos, travando lutas particulares e enfrentando as limitações de crescimento na vida. Tudo para crescermos fortes interiormente, em meio às dificuldades. “A melhor maneira de enfrentar os desafios da velhice é se preparar para eles agora, antes que eles cheguem”, diz Graham.

Ao ler Graham, o fôlego desaparece pelas tantas coisas a fazer e todas difíceis para seres errantes e pecadores como todos nós. Me sinto na idade da pedra só de pensar no enfrentamento deste mundo incerto e indeciso. Mas, talvez, para você, leitor crédulo e de fé, Graham possa orientá-lo pelos atalhos da vida.

Nearing Home, publicado por Thomas Nelson, olha para quatro áreas-chave em 176 páginas: construção de bases sólidas e compreender o dom de anos; enfrentando transições da vida, incluindo o passar dos anos, a aposentadoria, e quando entes queridos morrem, a tomada de decisões sábias; e compreendendo nossa esperança gloriosa.

A reportagem conta que até recentemente, o filho de Billy Graham, Franklin Graham, não achou que o livro chegaria à conclusão. “Para ser honesto, eu não acho que ele o estava terminando”, disse ao USA Today. “Haveria um mês ou dois, quando ele estava muito cansado ou o medicamento o deixou lento”. No entanto, nos últimos meses, “ele teve um surto de energia. “Ele ganhou o direito de dar esse conselho e as pessoas vão seguir o conselho dele, onde eles não podem receber de nenhuma outra pessoa”.

O editor Matt Baugher diz: “O tempo alcança a todos nós. Na sua idade, com tudo o que veio antes, ele está em uma posição única para orientar a todos nós sobre o que significa para terminar bem nesta vida. Deus abençoe Billy Graham”.

Espero que Deus não esteja “ocupado” no momento da bênção. Todos a esperam, os merecedores, os errantes, os oscilantes…seres da vida, seres da morte, seres que somos e que um dia seremos.

Referências

KUMAR, A. (2011). Novo Livro de Billy Graham no Envelhecimento Não É Apenas para Idosos. Disponível Aqui. Acesso em 05/10/2011.

O DIÁRIO.COM (2011). Billy Graham completa 93 anos e não aposentou o cajado. Disponível Aqui. Acesso em 15/11/2011.

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3847 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento