“Atitudes inusitadas” geraram o Envelhecer Sorrindo

O projeto Envelhecer Sorrindo surgiu em 1999 quando da declaração do Ano Internacional do Idoso pela Organização Mundial de Saúde. Na ocasião, a Profa. Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio, já sensibilizada em relação ao envelhecer, chamava a atenção para essa comemoração divulgada pela mídia.

Denise Araujo. Texto e fotos *

 

atitudes-inusitadas-geraram-o-envelhecer-sorrindoComo era conselheira do Departamento de Prótese, acreditava que as pessoas idosas ali atendidas iriam cobrar alguma participação, e por isso ela pensou em uma jornada que acabou se tornando 14 anos mais tarde em um projeto social que envolve vários departamentos e saberes.

Portal – Quando começou seu interesse pelo envelhecimento?

Meu interesse pelo envelhecimento começou com o fato de ser vizinha dos meus pais.

Como assim?

Eu fazia o mestrado, trabalhava na Faculdade de Odontologia da USP e meu catedrático (isso mesmo catedrático!!!) era muito exigente (além de dar um belo exemplo). Todo esse grau de exigência fez com que eu acabasse mudando para a casa ao lado dos meus pais quando minha filha do meio tinha 3 dias, ou seja, da maternidade para o novo lar. Tenho de admitir que meus pais foram fundamentais para que eu tivesse a paz necessária para construir minha carreira universitária. Com o passar dos anos, no entanto, pude perceber alterações de comportamento daquelas pessoas que me eram tão caras, e a partir de então saí em busca de explicações para aquelas atitudes inusitadas… E foi assim que tudo começou!

E quando surgiu a ONG Envelhecer Sorrindo?

O Envelhecer Sorrindo surgiu em 1999 – Ano Internacional do Idoso, quando a mídia chamava a atenção para essa comemoração da Organização Mundial da Saúde. Eu era conselheira do departamento de Prótese e acreditava que as pessoas idosas, que lá eram atendidas iriam nos cobrar alguma participação. O departamento solicitou que eu cuidasse desse assunto e foi assim que surgiu a primeira Jornada de Estudos sobre Saúde Bucal e Envelhecimento – Envelhecer Sorrindo. Toda a comunidade da Faculdade de Odontologia da USP foi convidada a participar do evento e a partir de então passamos a ser procurados para atender idosos, que eram na grande maioria pais e avós de funcionários, além de alunos da FO. No entanto, ao constatar a complexidade que envolve os cuidados com a pessoa idosa, o desafio passou a ser maior a cada dia… Procuramos o Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, que nos ajudou a perceber que incentivar a sociabilização, propiciar a aquisição de novos conhecimentos e desenvolver habilidades eram de grande valia nessa etapa da vida.

Quantas pessoas já foram atendidas?

Cerca de 1200 pessoas procuram o projeto anualmente, seja para avaliação, orientação ou tratamento. O programa tem parceria com outros institutos da USP e através destas parcerias oferece atendimento nutricional, fonoaudiológico, fisioterapêutico, além de arteterapêutico. Em sala de espera acontecem conversas informais entre uma gerontóloga e pessoas, que procuram o programa.

Onde o projeto atua?

O projeto atua na Clínica do Departamento de Prótese da Faculdade de Odontologia da USP, na Cidade Universitária, em São Paulo.

atitudes-inusitadas-geraram-o-envelhecer-sorrindoQuantos eventos a ONG já realizou até o momento?

Já foram realizados 15 eventos. Os primeiros aconteceram no auditório da FO, que tem capacidade para cerca de 120 pessoas. Depois passamos para o Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo – CEPEUSP e ultimamente temos feito nossos eventos no auditório da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – FAUUSP, que tem capacidade para cerca de 500 pessoas.

Qual foi o último evento?

Procuramos fazer os eventos no final do ano. Ele tem o intuito de dar informações referentes ao processo de envelhecimento de maneira a gerar mudanças de atitude e disposição para encarar mais um ano de vida. Escolhemos um tema para ser explorado a cada ano. Nosso último evento – a XV Jornada do Envelhecer Sorrindo, aconteceu no dia 3 de dezembro de 2013, no auditório da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. O tema escolhido foi “Relembrando Vitórias”, em alusão a Copa do Mundo, que acontecerá no Brasil a partir do próximo mês de junho. Essa jornada reuniu 500 idosos em um encontro descontraído entre pessoas com 60 anos e mais, colaboradores do Envelhecer Sorrindo, além de profissionais, que fizeram palestras informativas sobre o processo de envelhecimento com qualidade de vida.

Quem organiza esses grandes eventos?

O Departamento de Prótese da FOUSP oferece todo o apoio necessário para a realização do evento. Os professores Dra. Maria Luiza Arantes Frigerio e o Dr. Roberto Chaib Stegun representam a FOUSP. O Prof. Ricardo Linares Pereira, do CEPEUSP e a Dra. Rita Cecília Reis Ferreira, psiquiatra e arteterapeuta do PROTER – Programa para Terceira idade do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, colaboram de várias maneiras.

Qual foi a programação da XV Jornada?

O evento costuma ser bastante prestigiado. No ano em que surgiu recebeu a Primeira Dama do nosso Estado – D. Lila Covas e também D. Maria Lucia Alckmin. Em 2013 compareceram a abertura a Profa. Dra. Ana Estela Haddad – Primeira Dama da Cidade de São Paulo, além de Docente do Departamento de Ortodontia e Odontopediatria da FOUSP; Dra. Marly Lautenschager Cortez Alves – Presidente do Conselho Estadual do Idoso; Prof. Dr. Waldyr Antonio Jorge – acumulando as funções de Superintendente de Assistência Social da USP e Diretor da FOUSP; Prof. Dr. Gil da Costa Marques – na ocasião Superintendente de Relações Institucionais da USP; Prof. Dr. Igor Studart Medeiros – Presidente da Comissão de Cultura e Extensão da FOUSP; Profa. Dra. Dalva Cruz Laganá – Chefe do Departamento de Prótese; Prof. Atlas Edson Moleros Nakamae – na ocasião representando o presidente da Fundecto além da anfitriã do evento, Profa. Dra. Maria Luiza.

atitudes-inusitadas-geraram-o-envelhecer-sorrindoO evento contou com quais palestras?

No período da manhã aconteceu a palestra: “Renovando seus hábitos de saúde bucal”, ministrada pelo Prof. Dr. Roberto Chaib Stegun, que alertava para a importância da prevenção para a saúde oral. A jovem Verona Íris prendeu a atenção dos presentes ao apresentar a dança do ventre, enquanto a palestra “Revendo sua postura”, ministrada pela Fisioterapeuta Maria Beatriz Arantes Frigerio Tobal, explicou como as alterações da postura corporal podem ter consequências indesejáveis ressaltando as atitudes, que são capazes de preveni-las. Encerrou-se o período da manhã com atividade física dentro do próprio auditório da FAU, tendo como fundo músicas das Copas do Mundo. O Prof. José Carlos Astrauskas, também do CEPEUSP, conduziu os participantes, que ao se levantarem de suas cadeiras o acompanhavam numa coreografia animada. Após a refeição houve apresentação de música popular brasileira com Ricardo Arantes, Tiago Rocha e Tabatha Fher. Na sequência, a Fundación Mapfre alertou para os “Mitos e verdades da 3º idade e envelhecimento ativo”, além da “Qualidade de vida no trânsito e segurança viária para idosos”. O encerramento ocorreu com muita alegria e descontração com direito a música sertaneja cantada pela dupla Anderson e Alyson e acompanhada pelo sanfoneiro Fábio Menezes. O show foi gentilmente oferecido pela casa noturna Villa Country.

E em 2014, haverá outro evento? Qual será o tema?

Já começaram as reuniões para se discutir o próximo evento, que ainda não tem um tema definido. E como já fomos informados pela comissão de eventos da FAU que o auditório estará em reforma, teremos que pensar numa solução alternativa.

Quais são as principais dificuldades da ONG Envelhecer Sorrindo?

Como o Envelhecer Sorrindo funciona dentro de uma universidade existe sempre a cobrança de pesquisa e publicações além da atividade de extensão e cultura, que é sua maior vocação. Os atendimentos odontológicos demandam profissionais comprometidos, dispostos a ceder parte do seu tempo para atender as pessoas que procuram o programa, além de interesse pela causa. Existe uma demanda reprimida grande pois trata-se de um atendimento complexo para pessoas, que apresentam vários tipos de comprometimentos.

Como as pessoas podem colaborar?

As pessoas podem colaborar de várias maneiras: se for um profissional da odontologia pode participar doando horas do seu tempo e aprendendo o protocolo do programa; se for fono, fisio, t.o., psicólogo, pode colaborar com as demais atividades que suportam o projeto.

Deseja falar mais alguma coisa?

Que pergunta difícil de responder! Existe tanta coisa a ser dita diante do tema que seria um abuso ocupar mais espaço do Portal. Aproveito para cumprimentá-la pelo belo trabalho que realiza em prol da causa do envelhecimento. Muitíssimo obrigada pela oportunidade!

* Denise Araujo é Administradora de Empresas, Especialização em Gerontologia e Mestranda em Gerontologia Social – PUC SP. É professora de informática para adultos e idosos, colaboradora da ONG Envelhecer Sorrindo e integrante do Programa Vigilantes da Memória. A partir de 2014 integra a Rede de Colaboradores do Portal do Envelhecimento. Email: denisearaujo@ig.com.br

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 2599 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento