Aposentadoria para nossas mães já!

Tempo de Leitura: 3 minutos

Sobrecarregadas com os trabalhos de cuidado, as mães chegam na terceira idade sem nenhuma garantia do Estado, por não terem tido a possibilidade de cumprirem com o tempo de contribuição necessário para se aposentarem.

#AposentadoriaParaNossasMaes


Nossa luta é para que mulheres que dedicaram a vida aos cuidados com seus filhos, e por isso não puderam trabalhar de forma remunerada, também tenham o direito de se aposentar! (Talíria Petrone)



O Projeto de Lei 2757/2021, inspirado em uma lei aprovada na Argentina, visa garantir aposentadoria a mulheres maiores de 60 anos que tenham filhos e não possuam os anos de contribuição necessários para as demais formas de aposentadoria. Segundo Talíria Petrone, deputada federal e autora do Projeto, “não é de hoje que o trabalho doméstico não é considerado trabalho, sendo reconhecido apenas como ‘cuidado’ ou ‘amor’. Mas ele é fundamental para a reprodução social da humanidade e acaba gerando uma dupla, tripla jornada, em especial para as mães”.

Em 2020, mais de 8,5 milhões de mulheres saíram do mercado de trabalho no Brasil devido à sobrecarga nos trabalhos de cuidado não remunerados. São mais de 11 milhões de mães só no país, a maioria delas negras vivendo abaixo da linha da pobreza e, ainda assim, as únicas responsáveis por cuidar dos filhos e garantir a renda financeira de toda a família, sem o direito à aposentadoria quando chegam na terceira idade. Precisamos cuidar de quem sempre nos cuidou! A campanha #AposentadoriaParaNossasMães via pressionar os Deputados para aprovarem o requerimento de urgência do Projeto de Lei 2757/21 que garante o direito de nossas mães se aposentarem!

Cuidado cotidiano

Quando você era criança, quem cuidava de você? Quem era a pessoa responsável pelas tarefas da casa? Fazer comida, criar os filhos, garantir saúde e educação, fornecer apoio afetivo e psicológico, realizar a limpeza e organização do lar, são algumas das múltiplas tarefas não remuneradas que histórica e culturalmente recaem sobre as mulheres, principalmente as mães. O acúmulo desses trabalhos, além de gerar uma sobrecarga física e mental imensa, também dificulta muito que elas permaneçam no mercado de trabalho, sobretudo para as mulheres negras e pobres.

Triplas jornadas ou desemprego são alguns dos problemas graves que elas enfrentam. Uma vez que muitas são obrigadas a deixarem seus empregos, por serem sobrecarregadas com os trabalhos de cuidado, elas chegam na terceira idade sem nenhuma garantia do Estado, por não terem tido a possibilidade de cumprirem com o tempo de contribuição necessário para se aposentarem.

Os trabalhos de cuidado realizados pelas mulheres são essenciais não apenas para todo o bem-estar da sociedade, mas também para o funcionamento da economia. No Brasil, as mulheres gastam em média mais de 61 horas por semana com essas atividades. Nós só chegamos onde estamos porque milhares de mulheres desempenham diariamente esses trabalhos invisibilizados.

Mas quem cuida de quem cuida? As nossas principais cuidadoras se veem abandonadas no momento de mais vulnerabilidade de suas vidas. Nós precisamos cuidar de quem sempre nos cuidou! Nos ajude a pressionar os Deputados para conseguirmos as 257 assinaturas que precisamos para que seja aprovado o requerimento de urgência do Projeto de Lei 2757/21, que garante o direito à aposentadoria para mulheres mães maiores de 60 anos que não possuem os anos de contribuição necessários.

O peso dos trabalhos de cuidado não remunerados

Segundo levantamento da Oxfam, uma organização da sociedade civil, “Tempo de cuidar: o trabalho de cuidado não remunerado e mal pago”, as mulheres em todo o mundo dedicam 12,5 bilhões de horas por dia aos trabalhos de cuidado não remunerado. Isso compreende as atividades diárias de cuidar de outras pessoas, cozinhar, limpar, entre outras, que são essenciais para a sociedade e para a economia mundial.

De acordo com a Oxfam, o valor monetário desses trabalhos não remunerados representa 10,8 trilhões de dólares por ano à economia global. A soma é mais de três vezes maior que o estimado para toda indústria de tecnologia do mundo.

Mais de 150 mil mulheres já foram beneficiadas por essa Lei na Argentina

No ano passado, em 2021, em uma decisão histórica, o Governo da Argentina instituiu um novo marco para os direitos das mulheres e passou a reconhecer o direito à aposentadoria das mães que dedicam suas vidas aos trabalhos de cuidados dos filhos, contabilizando-o como tempo de serviço para a aposentadoria, uma vez que muitas dessas mulheres quando se tornam mães são obrigadas a saírem do mercado de trabalho. A medida beneficiou de forma imediata mais de 150 mil mulheres, entre 60 e 64 anos, que não tinham os 30 anos de contribuição exigidos por lei no país.

Pressione AGORA os Deputados! Assine já: https://www.aposentadoriaparamaes.nossas.org/#block-38757

#AposentadoriaParaNossasMaes JÁ!
#CuidadoMaternoÉTrabalho


Portal do Envelhecimento

Redação Portal do Envelhecimento

portal-do-envelhecimento escreveu 3962 postsVeja todos os posts de portal-do-envelhecimento

WhatsApp
LinkedIn
Share
Instagram